UNESCO no Brasil lança publicação sobre processo de criação do Museu de Congonhas

A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Série de Concertos 2
 
A criação do primeiro e único museu de sítio do país, o Museu de Congonhas, localizado junto ao Patrimônio Mundial do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, ganhou um relato impresso encomendado pela Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO no Brasil): a publicação “Museu de Congonhas: Relato de uma Experiência”, de autoria da arquiteta Jurema Machado. O livro, que registra o processo de implantação do Museu e suas contribuições para o desenvolvimento do município, será lançado na cidade de Congonhas (MG), no próprio Museu, na quarta-feira, 30/08/2017, às 17h.
“A UNESCO entendeu que seria fundamental compartilhar também o processo de fazer, com seus desafios e lições aprendidas, de forma a inspirar outros sítios do Patrimônio Mundial a criarem espaços análogos, que funcionem como um local de interpretação e valorização do patrimônio”, explica Jurema Machado.
O Museu de Congonhas foi inaugurado em dezembro de 2015. O espaço faz uso de recursos de alta tecnologia para oferecer informações relevantes para que o público entenda e reflita sobre a grandiosidade e importância histórica do sítio do Patrimônio Mundial em que o Museu está inserido: o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos.
A Representante a.i. da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, explica que “a publicação permite que o leitor conheça o Museu de Congonhas, um caso concreto onde a Convenção do Patrimônio Mundial é utilizada como uma plataforma de cooperação que reforça o papel das comunidades na preservação e salvaguarda do sítio.” O principal objetivo do documento é promover a reflexão sobre como programas e equipamentos de interpretação dos sítios do Patrimônio Mundial agregam valor tanto aos próprios sítios quanto às estratégias de desenvolvimento local e regional. Ele também mostra a importância da cooperação entre os diversos atores envolvidos como o Ministério da Cultura, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a Prefeitura de Congonhas na preservação do patrimônio.
A publicação “Museu de Congonhas: Relato de uma Experiência” foi enviada para outros sítios reconhecidos pela UNESCO como Patrimônio Mundial, para estimulá-los a terem equipamentos semelhantes. O livro pode ser consultado na Biblioteca de Referência do Museu de Congonhas, e também baixado pelo site da UNESCO no Brasil. Até o final deste ano, serão editadas as versões em inglês e espanhol da publicação.
 
Nathália Coelho
Coordenadora de Comunicação
Museu de Congonhas
(031) 98776 3379
(031) 3731 4285

Compartilhar

John Doe

John Doe

Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit dolor

Comentários

Assine a nossa newsletter

Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit

Relacionados