Tag Archives: teatro

Cultura

13º Festival Nacional de Teatro de Varginha acontece on-line a partir desta sexta (18)

Varginha vai respirar teatro. 13º Festival Nacional de Teatro de Varginha apresenta espetáculos de todo o país em versão on-line.

13º Festival de Teatro de Varginha

Ao todo são 10 companhias de teatro, 10 espetáculos a serem apresentados, cerca de 200 artistas envolvidos, em cinco dias de intenso intercâmbio cultural. Esse é apenas o saldo inicial da 13º Festival Nacional de Teatro de Varginha. Neste ano o evento acontece de 18 a 22 de junho, e pela primeira em versão on-line transmitido pelo Facebook do festival. Com o Festival de Teatro a cidade entrou de vez na rota artístico – cultural brasileira ficando em evidência entre as principais regiões do país. 

Ao longo dos últimos anos Varginha foi palco das principais manifestações teatrais da atualidade. Em suas edições anteriores passaram pela cidade as mais diferentes companhias retratando toda a diversidade estética de um país múltiplo, com artistas múltiplos e pontos de vistas múltiplos. Em Varginha, principalmente o público do sul de Minas, passou a encontrar uma referência sólida com o Festival Nacional de Teatro, que ressuscitou a tradição cênica da cidade. “Como uma das cidades mais importantes da região, Varginha precisava resgatar seu caráter cultural imponente, oferecendo a todo o sul de Minas uma opção de entretenimento que agregue valor ao roteiro artístico regional, e é isso que temos feito ao longo do tempo com o Festival de Teatro”, analisa o empreendedor Adão Marcos Misael. Ainda segundo ele, o resgate cultural de Varginha passa diretamente pelo anseio da população que poderá assistir em casa grandes espetáculos  brasileiros de alta qualidade profissional levando as manifestações culturais às mais distintas classes.

Os estados participantes desta edição são: Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas e Minas Gerais que estarão prontos para levar a platéia do Festival de Teatro para uma viagem pelos mais diversos mundos do imaginário teatral. 

A realização do Festival Nacional de Teatro de Varginha 13ª edição é do empreendedor Adão Marcos Misael com apoio da Lei Aldir Blanc no âmbito do estado de Minas Gerais.

Confira a programação:

Sexta-feira – 18 de junho às 20 horas

Cia Os Palhaços de Rua
Espetáculo: Vikings e o Reino Saqueado         
Cidade: Londrina – PR  
Categoria: Adulto rua   
Duração: 46 minutos    

Atelier Artístico Chegança  
Espetáculo: Histórias do Mundão         
Cidade: Salvador- BA   
Categoria: Palco/ Infantil          
Duração: 65 minutos

Sábado – 19 de junho às 20 horas

Rococó Produções Artísticas e Culturais           
Espetáculo: De La Mancha, O Cavaleiro Trapalhão      
Cidade: Porto Alegre- RS         
Categoria: Palco Infantil
Duração: 30 minutos

Espaço Núcleo
Espetáculo: Caravela da Ilusão
Cidade: Limeira- SP     
Categoria: Espaço Alternativo/Adulto   
Duração: 46 minutos

Domingo – 20 de junho às 20 horas

Buia Teatro Company  
Espetáculo: Cabelos Arrepiados          
Cidade: Manaus-AM     
Categoria: Palco Infantil
Duração: 49 minutos/50 segundos

Trupe Investigativa Arroto Cênico         
Espetáculo: O Patinho Feio      
Cidade: Nova Iguaçu-RJ           
Categoria: Palco Infantil
Duração: 49 minutos    

Segunda-feira – 21 de junho às 20 horas

Constância Cia de Teatro         
Espetáculo: Detrás das Nuvens
Cidade: Pindamonhangaba-SP 
Categoria: Palco Infantil
Duração: 47 minutos

Cyntilante Produções
Espetáculo: A Arca de Vinicius 
Cidade: Belo Horizonte- MG     
Categoria: Palco Infantil
Duração: 56 minutos    

Terça-feira – 22 de junho às 20 horas

Magnólia Cultural         
Espetáculo: Em Busca do Snark Invisível         
Cidade: São Paulo-SP 
Categoria: Palco Infantil
Duração: 40 minutos

Quintal das Artes Cultura e Entretenimento
Espetáculo: Luiza Mahin… Eu Ainda Continuo Aqui      
Cidade: Rio de Janeiro-RJ        
Categoria: Palco Adulto
Duração: 50 minutos

Cultura

A EXIBE, Mostra de Cinema de Barbacena 2021, está chegando!

A partir desta segunda-feira (31), as pessoas interessadas nas oficinas da 5ª EXIBE – Mostra de Cinema de Barbacena poderão se inscrever através desse link para uma das atividades do evento.

Serão três oficinas oferecidas esse ano: “Casa de Clipes” por Gabi Jacob, “Oficina intensiva de roteiro” por Guilherme Andrade e “Criação em tempos pandêmicos” por Débora de Oliveira. Os detalhes de cada oficina e dos perfis dos convidados podem ser visto em detalhes na aba “Oficinas” do site da mostra.

É preciso bastante atenção na hora de fazer sua inscrição esse ano: após fazer sua inscrição no evento, é preciso ir na aba de oficinas (no próprio site) e escolher qual a oficina que você deseja participar. As vagas são limitadas e cada participante só poderá participar de uma das oficinas. As inscrições se encerram no dia 06/06/21.

A primeira oficina começará no dia 16/06, primeiro dia da mostra, e, pouco antes do encontro, os participantes inscritos receberão um link para acessarem a oficina que será realizada através da plataforma Zoom.

Quaisquer dúvidas devem ser enviadas através da nossa aba “Contato” no site da mostra.

INSCREVA-SE AQUI

Fonte: https://barrosoemdia.com.br/

Cultura

Projeto “É agora!” reestreia na região em formato online

Sucesso em 2019, espetáculo teatral volta ao calendário com narrativa adaptada ao contexto do isolamento social

Um misto de sonhos, incertezas e angústias. Estes sentimentos, vividos pelos adolescentes na hora de escolher a carreira, são o ponto de partida do projeto “É Agora!”. A iniciativa beneficiou mais de 1.700 alunos de escolas públicas de Minas Gerais em 2019 e, após a interrupção motivada pela pandemia da covid-19 em 2020, este ano volta à programação escolar.

Com um espetáculo teatral divertido e antenado, seguido pela distribuição de uma cartilha informativa, o projeto orienta os jovens em uma das decisões mais importantes da vida.

Os alunos da Escola Estadual Hermenegildo Vilaça, em Piracema (MG), acompanharão a reestreia do projeto neste sábado, dia 22 de maio, às 9h. “Os alunos divertem-se com a peça e têm acesso a informações de qualidade para fazer uma escolha consciente sobre o futuro”, explica Guilherme Aragão, coordenador geral do projeto.

O espetáculo conta a história de três amigos no último ano do ensino médio que, instigados por uma misteriosa funcionária da escola, refletem sobre o futuro e suas carreiras. O divertido enredo trata das pressões da sociedade e da família, e também dos desafios e descobertas desta fase. E mais: tudo isso permeado pelo contexto do distanciamento social e do ensino remoto.

Após a apresentação, os estudantes receberão o material “É agora! Cartilha das Profissões”, com informações sobre o acesso ao ensino superior, cursos e carreiras, além de opções de empreendedorismo e outros dados.

O projeto “É Agora!” é uma realização da Bushido Produções em coprodução com o Studio Strazzi e patrocínio da Ferro+ e da JMN Mineração, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Fonte: Janice Miranda

Cultura

Centro Cultural Casa de Candongas abre inscrições para oficinas online gratuitas

Violão, teatro, dança de rua, canto e artesanato estão entre os cursos que serão realizados virtualmente pelos professores da companhia teatral

Comemorando 21 anos, o Centro Cultural Casa de Candongas , da Cia Candongas, abre inscrições para as Oficinas Artísticas 2021. Devido ao distanciamento social, as aulas serão realizadas online com os professores da companhia teatral. As atividades são gratuitas, com duração de quatro meses e as inscrições começam nesta terça-feira, 20 de abril.

Artesanato, dança para infância, canto e técnica vocal, teatro para infância, teatro juvenil e adulto, dança de rua e violão são os cursos ofertados nas Oficinas Artísticas. Em agosto, no final do curso, as pessoas envolvidas nas oficinas vão apresentar os trabalhos desenvolvidos durante as aulas em uma Mostra Virtual Artística. As pessoas interessadas devem se inscrever no site da Cia Candongas, http://www.cicandongas.com.br, até 30 de abril. Após o término das inscrições, as pessoas selecionadas recebem por e-mail a programação das aulas que começam em 1º de maio.

As oficinas serão realizadas no âmbito do Termo de Fomento 892268/2019 celebrado entre a Companhia Candongas e Outras Firulas e a União, por intermédio do Ministério da Cidadania, Secretarial Especial da Cultura e Secretaria da Economia Criativa.

Fonte: Igor Basilio

Cultura

Barroso terá Cine Drive-in nesta sexta-feira

Mais uma vez a Companhia Fofocas de Teatro se adaptando a pandemia do Covid-19, traz uma nova opção de lazer e cultura, o Cine Drive-in, onde a “plateia” é formada por veículos e os espectadores assistem o filme dentro do seu carro sem contato com outras pessoas.

O Cine Drive-in será nesta sexta-feira, 28 de agosto, às 18:30 horas no estacionamento do Centro SER (Antigo SENAI). O filme que será projeto é “Sing – Quem canta os males espanta” e promete agradar o público de todas as idades.

O Cine Drive-in será totalmente gratuito, limitado a 15 carros e os ingressos devem ser solicitados no e-mail: contato@fofocasdeteatro.com

Para Rixa Neves Produtor Executivo do Projeto Esquina da Cultura: “Em tempos em que o streaming vira uma das únicas possibilidades de se assistir um filme, devida a pandemia, as pessoas já estão ansiosas para sair de casa e ver um filme em uma tela enorme, se este é o seu caso, a Cia Fofocas de Teatro está te convidando para essa nossa primeira experiência do Cine Drive-in”, diz.

Esta atividade faz parte do Projeto Esquina da Cultura que é uma realização da Cia Fofocas de Teatro através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo de Minas Gerais com o patrocínio da LafargeHolcim. O projeto também conta com a parceria do Centro SER e do Instituto LafargeHolcim.

Fonte: https://barrosoemdia.com.br/

Cultura

Companhia Fofocas vai disponibilizar espetáculos teatrais na internet

Com todas as suas apresentações suspensas devido a pandemia do Covid, a Cia Fofocas de Teatro iniciou a gravação de parte de seu repertório de espetáculos como forma de manter o contato com seu público, mesmo que distante.

Inicialmente serão gravados três espetáculos, todos com equipe reduzida, sem público e sempre respeitando os protocolos de enfretamento ao coronavírus. O local das gravações é no “Espaço FOFOCAS” local que foi inaugurado no dia 13 março deste ano e fechado quatro dias depois devido as medidas de isolamento social.

O primeiro espetáculo gravado foi “Casa de Madame” que irá ao ar ainda no mês de agosto acompanhado de uma live (bate-papo) com o elenco e equipe técnica. O próximo espetáculo a ser gravado será Malazartes que será veiculado no mês de setembro.

Em breve a Cia Fofocas de Teatro disponibilizará as gravações dos espetáculos no seu canal do YouTube de forma gratuita. As novidades do projeto são divulgadas na página do grupo do Facebook: https://www.facebook.com/fofocasdeteatro e também no site oficial: www.fofocasdeteatro.com

Estas atividades fazem parte do Projeto Esquina da Cultura que é uma realização da Cia Fofocas de Teatro através da Lei Estadual de Incentivo a Cultura do Governo de Minas Gerais com o patrocínio da LafargeHolcim. O projeto também conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Barroso e do Instituto LafargeHolcim.

Fonte: https://barrosoemdia.com.br/

Cultura

Cinco anos de arte, cultura e amor

Valorizar a arte, a cultura e o desenvolvimento humano: esses são os pilares que sustentam a Casa de Arte Boca de Cena. O Centro Cultural, com sede em Congonhas, está comemorando cinco anos de atividades ininterruptas.

Criada em 2014 pelo Instituto Cultural Profetas em Arte (PROFARTE), organização sem fins lucrativos que desenvolve atividade na região do Alto Paraopeba desde a década de 80, a instituição desenvolve mensalmente dezenas de ações culturais gratuitas, projetos de incentivo e orientação para artistas e produtores culturais, além de oferecer aulas de teatro, dança, artes e literatura.

“Este ano está sendo muito especial para a casa, estamos completando cinco anos de trabalho e conseguimos viabilizar pela Lei de Incentivo a manutenção dos projetos da nossa instituição, o que reforça cada vez mais a importância e a seriedade do nosso trabalho. A intenção é tornar a Casa um Centro Cultural completo, que abrace todas as artes e que seja também um local de produção de conhecimento”, explicou Regina Bahia, presidente do Instituto PROFARTE.

O espaço também é sede do Grupo Teatral Boca de Cena que, há duas décadas, apresenta espetáculos em Minas Gerais, além de abrigar todo o acervo de cenários e figurinos. O Instituto PROFARTE é uma instituição sem vínculos com o poder público e, assim como outras entidades culturais, trabalha incansavelmente para se manter em funcionamento. Graças ao trabalho sério realizado, conseguiu, pela Lei de Incentivo Estadual, a manutenção dos projetos da instituição, contando com apoio da empresa LGA Mineradora.

Uma das grandes vocações da Casa é valorizar o artista local e, por isso, apoia ações culturais como lançamentos de livros, exposições, espaço para apresentações teatrais, danças, além de convidar especialistas na área para orientar artistas e produtores na consolidação profissional. Um exemplo dessa parceria é o sucesso da exposição INKTOBER 2018, do congonhense Felipe Gherard, que tem atraído centenas de pessoas e ganhou grande repercussão na imprensa regional.

A programação cultural da Casa de Arte Boca de Cena pode ser acessada pela página no Facebook: @casadeartebocadecena, pelo Instagram: @casadeartebocadecena ou solicitada pelo telefone (31) 3731-9172.

Texto: Janice Miranda Fotos: Janice Miranda e Mauro Barros

Cultura

Luna Lunera realiza temporada do espetáculo Urgente em BH

Companhia se apresenta entres os dias 02 e 18 de novembro no Teatro Marília com a peça que aborda temáticas como tempo, convivência e seus tensionamentos.”

Manter o diálogo vivo mesmo diante das diferenças parece ter se tornado uma tarefa hercúlea em tempos de intolerância. As estruturas da sociabilidade estão rachadas. O silêncio que embrutece é o mesmo que nos permite observar de forma esgotada o passar cada vez mais veloz dos dias. Diante da impotência, só resta a busca pela falsa sensação de estabilidade. O cotidiano se transforma em um amontoado de obrigações quase mecânicas, sonhos morrem nas gavetas e a vida é adiada para um futuro que nunca chega. Em um mundo ainda regido pela obsessão pelo novo, o envelhecimento das pessoas e dos objetos é visto como ameaça da ampulheta impiedosa. Com 1h45 de duração, “Urgente” é uma ação micropolítica de interrupção dessa rotina sufocante. Uma suspensão do tempo para criar com o público um tempo (ou um passado) em comum.

A Companhia Luna Lunera faz curta temporada do espetáculo no Teatro Marília entre os dias 02 e 18 de novembro. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada e podem ser comprados pela plataforma Sympla ( https://bit.ly/2AqqfZM ) , no posto do Sinparc da Avenida Afonso Pena (nº 1055), e na portaria do Teatro Marília duas horas antes de cada apresentação.

A direção da peça de Miwa Yanagizawa e Maria Sílvia Siqueira Campos, do Areas Coletivo de Arte, e a trilha sonora é assinada pela banda Constantina. Em um cenário composto por quatro nichos de um metro quadrado cada, onde habitam cinco personagens e suas complexidades, um enredo ficcional não linear se revela aos poucos e se relaciona com retrospectivas de vida dos atores, de dois minutos cada. Cotidianos ordinários num espaço condensado. Relações inflamadas. O que se pode – ainda – desejar? E a vida se dando num lugar rachado.

Estamos sendo inundados por todos os lados de imagens, sons, informações. Teríamos ainda a capacidade e o tempo necessário para a concentração e a reflexão? Segundo o pesquisador Paul Virilio, o homem, mesmo que absorvido pela instantaneidade, tem também a necessidade de contexto, de memória, de cultura – que demandam duração e relação. E talvez por isso vivenciamos esta atual e dolorosa busca por sentido.

Para Heidegger, um dos grandes pensadores do século passado, nós não somos, e sim estamos. Somos aqui-e-agora e, a cada instante, temos uma série de possibilidades de mudança. Para fugirmos desta responsabilidade, nós nos atarefamos, exatamente para não tomarmos consciência da nossa própria condição, para não encararmos a angustiante realidade do presente.

Ao mesmo tempo que fazemos coisas demais, que nos ocupam demais, parece que muitas vezes vivemos esperando o momento certo em que enfim viveremos de fato. Vivemos esperando o final de semana, as férias, a aposentadoria. Nos programando para viver plenamente quando conseguirmos aquela promoção, quando comprarmos o apartamento, quando chegarem os filhos ou quando os filhos crescerem. Como a famosa frase do filósofo Blaise Pascal, “nunca vivemos, mas esperamos viver; e, preparando-nos sempre para ser felizes, é inevitável que nunca o sejamos”. Sem perceber que o que deixamos passar não é apenas tempo, mas nossa própria vida.

Cia. Luna Lunera | 17 anos

Fundada em 2001, a Cia. investe em diversificados caminhos de criação através da pesquisa continuada e do diálogo com outros criadores contemporâneos do teatro, da dança, da música e das artes visuais. Tem como prática abrir seus processos criativos para o público, criando um espaço de diálogo e compartilhamento – chamado Observatório de Criação. Em seus trabalhos, busca conjugar investigações corporais, jogo cênico, uso da música como parte integrante das propostas dramatúrgicas e inserção autoral nos processos artísticos. Construiu, em dezessete anos de trajetória, sete espetáculos, com ampla repercussão nacional: “Perdoa-me por me traíres” (2001); “Nesta Data Querida” (2003); “Não desperdice sua única vida ou…” (2005); “Aqueles Dois” (2007); “Cortiços” (2008); “Prazer” (2012) e “Urgente” (2016).

FICHA ARTÍSTICA

Direção: Miwa Yanagizawa e Maria Sílvia Siqueira Campos

Assistente de direção: Liliane Rovaris

Texto: Areas Coletivo de Arte e Cia. Luna Lunera

Interlocução dramatúrgica: Carlos de Brito e Mello e Liliane Rovaris

Atores criadores: Cláudio Dias, Isabela Paes, Marcelo Souza e Sila, Odilon Esteves, Zé Walter Albinati

Elenco: Anderson Luri, Cláudio Dias, Fabiano Persi, Isabela Paes, Letícia Castilho, Zé Walter Albinati

Ambientação sonora: Constantina

Cenário: Yumi Sakate e Areas Coletivo de Arte

Cenotécnicos: Henrique Fonseca e Alexandre Silva

Figurino: Yumi Sakate

Criação de Luz: Felipe Cosse e Juliano Coelho

Assessoria de imprensa: Mateus Meireles

Assessoria administrativa: Felipe Montesano

Produção Executiva: Nathan Coutinho

Coordenação: Isabela Paes

Serviço:

Cia. Luna Lunera – temporada do espetáculo Urgente no Teatro Marília

Data: 02 a 18/11 – sábado a domingo às 20h

Ingressos: https://bit.ly/2AqqfZM

Valor: R$30 inteira e R$15 meia-entrada

Endereço: Teatro Marília – Avenida Professor Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia – BH.

Informações: (31) 3444-7983 – cialunalunera@cialunalunera.com.br; prodluna@gmail.com

Cultura

Sucesso de público e crítica: Conselheiro Lafaiete recebe a comédia “Confusão no Velório” do grupo Boca de Cena de Congonhas/MG

Centenas de pessoas já se divertiram com as confusões no velório do Abreu, agora, chegou a vez de Conselheiro Lafaiete participar, novamente, do evento fúnebre mais engraçado da região. Um morto, um bilhete premiado, uma família gananciosa e muitas surpresas marcam a comédia “Confusão no Velório” (Velório à Brasileira, de Aziz Bajur), do grupo de teatro Boca de Cena. O espetáculo, realizado pelo Instituto Cultural Profetas em Arte (Instituto Profarte), com produção da Casa de Arte Boca de Cena, estará em cartaz no Teatro Municipal de Conselheiro Lafaiete, à Rua Assis Andrade, 540, centro, nos dias 22 e 23 de setembro, às 20h.

A comédia estreou em julho deste ano em Congonhas e foi sucesso de público e crítica. Mais de mil pessoas lotaram o Cine Teatro Leon para as apresentações. Em Lafaiete, o espetáculo fez parte da programação do 18º FACE e agradou o público e os jurados, rendendo várias indicações e os troféus de “Melhor Cenário” e “Melhor Maquiagem”. Agora, atendendo aos pedidos dos muitos espectadores que não conseguiram vagas nas apresentações, o Grupo retorna à cidade com muito entusiasmo.

O Boca de Cena se apresenta há mais de duas décadas em Congonhas e região. O espetáculo tem direção de Wenceslau Coimbra, os atores Ângela Bento, Bruno Santos, Christiano Marques, Dirce Elaine, Gustavo Vasconcelos, Hudson Raony e Vera Lúcia, além da criação de luz por Magela Oliveira, execução de Filipe Santana, sonoplastia de Fernanda Santana, figurino de Edsel Duarte e colaboração artística de Lucas Emanuel.

Os ingressos, limitados, já estão à venda, a R$15 (inteira) e R$8 (meia) no site Sympla (https://www.sympla.com.br/bocadecena) e, a partir do dia 8 de setembro, no Bob’s Burgers (Av. Pref. Telésforo Cândido de Rezende, 659 – Centro) e no Setor de Xerox da UNIPAC Lafaiete.

Sobre “Velório à Brasileira”

No velório de um funcionário público, descobre-se que ele e mais dois amigos ganharam na Mega Sena. O problema é que o bilhete sumiu. A partir deste momento ninguém mais quer saber do morto, iniciando uma maratona para encontrar o bilhete premiado. O enredo foi escrito pelo mineiro Aziz Bajur com o título original “Velório à

Brasileira”. Bajur nasceu em Belo Horizonte e escreveu várias peças premiadas, como Agora ou Nunca, Perfídia, Tropicanalha e o Casamento da Dona Baratinha. Na TV adaptou histórias para o Caso Verdade, além de escrever a minissérie O Portador, com José Antônio de Souza.

Serviço:

Espetáculo “Confusão no Velório” – Grupo Boca de Cena

Dias – 22 e 23 de setembro, às 20h

Local – Teatro Municipal de Conselheiro Lafaiete

Endereço – Rua Assis Andrade, 540, Centro

Assessoria de Imprensa – Hiper Teia Comunicação

Jornalista Responsável – Janice Miranda (31) 99821-0976

Cultura

Grupo Boca de Cena estreia em Congonhas a comédia Confusão no Velório

Um morto, um bilhete premiado, uma família gananciosa e muitas surpresas fazem aquela confusão no velório do Abreu e o grupo de teatro Boca de Cena estreia essa hilária história nos dias 7 e 8 de julho, às 20h, no Cine Teatro Leon, em Congonhas, com a peça “Confusão no Velório”. O espetáculo é realizado pelo Instituto Cultural Profetas em Arte (Profarte), com produção da Casa de Arte Boca de Cena e apoio da Bahia Corretora de Imóveis, Brigadeiros Gourmet, Estúdio Blush, Cachaça Liberdade, Rádio Congonhas, Hiper Teia Comunicação Integrada, Sympla, FUMCULT, Rádio Educativa e Prefeitura de Congonhas.

No velório de um funcionário público, descobre-se que ele e mais dois amigos ganharam na Mega Sena. O problema é que o bilhete sumiu. A partir deste momento ninguém mais quer saber do morto, iniciando uma maratona para encontrar o bilhete premiado. O enredo foi escrito pelo mineiro Aziz Bajur com o título original “Velório à Brasileira”. Bajur nasceu em Belo Horizonte e escreveu várias peças premiadas, como Agora ou Nunca, Perfídia, Tropicanalha e o Casamento da Dona Baratinha. Na TV adaptou histórias para o Caso Verdade, além de escrever a minissérie O Portador, com José Antônio de Souza.

O Grupo Boca de Cena se apresenta há mais de duas décadas em Congonhas e na região e para esse espetáculo conta com os atores Hudson Raony, Ângela Bento, Vera Lúcia, Gustavo Vasconcelos, Christiano Marques, Bruno Santos e Dirce Elaine sob a direção geral de Wenceslau Coimbra. O espetáculo conta ainda com a criação de luz de Magela Oliveira, execução de Filipe Santana, sonoplastia de Fernanda Santana, figurino de Edsel Duarte e colaboração artística de Lucas Emanuel.

Os ingressos são limitados e estão à venda, a R$15 (inteira) e R$8 (meia), na loja Brigadeiros Gourmet, na Casa de Arte Boca de Cena e no site Sympla (www.sympla.com.br).

Serviço:

Espetáculo “Confusão no Velório” – Grupo Boca de Cena

Dias – 7 e 8 de julho, às 20h, no Cine Teatro Leon – Congonhas

Assessoria de Imprensa – Hiper Teia Comunicação

Jornalista Responsável – Janice Miranda (31) 99821-0976