Tag Archives: sebrae

Educação

Sebrae ajuda a extrair oportunidades da crise no mercado

A equipe da Revista Viva Minas conversou com o consultor regional do Sebrae Minas, João Roberto Marques Lobo, que respondeu perguntas relacionadas aos pequenos e microempresários, e como o Sebrae os auxilia nesse momento tão delicado. João abordou também como eles podem alavancar o seu negócio durante a pandemia do coronavírus.

De que maneira a pandemia mais afetou os pequenos empresários?

Os pequenos negócios foram bastante afetados, em menor ou maior escala, dependendo do segmento em que atuam. Isso não significa que houve uma “quebradeira” geral. Muitos se adaptaram a esse momento e, em algumas situações, obtiveram grandes melhorias. Como exemplo, temos as pequenas empresas do setor de alimentação que ainda não tinham trabalhado com delivery e foram “forçadas” a fazê-lo. Muitas obtiveram bastante sucesso, pois acabaram se preparando e conquistaram mercado nesse período crítico.  Outras, menos preparadas, pioraram a situação anterior à pandemia. Em resumo, houve impacto nas pequenas empresas, mas o contexto atingiu de forma distinta cada uma, de acordo com a forma como elas reagiram e absorveram os novos conhecimentos.

O que fazer para minimizar o impacto financeiro que as empresas vêm sofrendo devido à pandemia?

A melhor forma de as empresas vencerem esse desafio é obterem novos conhecimentos que, em alguns momentos, transformam-se em inovação. O momento exige novos olhares para o ambiente de negócios, para compreender como as empresas precisam se adaptar. Como cada setor sofreu impactos de forma distinta, é importante entender as particularidades e não pegar situações genéricas, que envolvem outros segmentos que se comportaram de maneira diferente.

As vendas online têm sido uma boa saída para micro e pequenos empresários?

As vendas online já estão no radar das pequenas empresas há muito tempo. É visível o crescimento mesmo antes da pandemia. O que ocorreu a partir do início do ano passado foi uma aceleração das empresas em busca desse canal de vendas. O problema é que muitas entram despreparadas não só nas vendas virtuais, mas também na forma como usam as mídias sociais para divulgarem seu produto. E isso tem provocado um efeito negativo na experiência do cliente, a ponto de as empresas perderem mercado.

Como o Sebrae ajuda e incentiva os empreendedores de Minas Gerais?

Trabalhamos com diversas frentes junto ao empresário. Claro que, no momento da pandemia, usamos algumas estratégias mais direcionadas, como a implantação de protocolos de segurança pelas empresas. Outro trabalho forte foi a parceria com algumas instituições financeiras para o uso do FAMPE, que é um fundo de aval do Sebrae para que as pequenas empresas possam pegar empréstimos com maior facilidade e, em alguns casos, com menores taxas. Temos uma unidade instalada em Barbacena, onde funcionamos de segunda a sexta, e ainda contamos com o atendimento remoto pelo nosso site (www.sebremg.com.br) ou pelo 0800-570-0800.

Muitos empresários tiveram queda no faturamento. Como o Sebrae minimiza isso?

Em várias situações, a redução do faturamento é consequência de uma gestão empresarial deficiente. O faturamento indica que a empresa tem problemas e que é necessária uma análise maior por um especialista para entender qual a causa dessa queda. Por isso, sempre fazemos diagnósticos no intuito de personalizar o atendimento e buscar as correções devidas. Temos um programa chamado “Sebrae na Sua Empresa”, em que deslocamos um profissional para fazer uma leitura de algumas temáticas ligadas à pequena empresa e, assim, propor soluções adequadas.

Texto: Nathália Coelho

Cidades

A capital mineira do abacaxi
Matriz de Nossa Senhora do Carmo
Foto: Giselle Oliveira

A cidade é grande produtora de abacaxi, cana, grãos, além de ser um dos polos em educação do estado. A produção de abacaxi em Frutal faz da cidade a maior produtora da fruta em Minas. A produção de abacaxi está concentrada em seu mais importante distrito, Aparecida de Minas, que segundo o Sebrae, é responsável pela produção de 80% da fruta no estado. Somando com Monte Alegre de Minas, no Triângulo Mineiro, Berilo no Vale do Jequitinhonha e Itamarandiba, no Norte de Minas, também grande produtoras de abacaxi, fazem do Estado de Minas Gerais, o terceiro maior produtor de abacaxi do Brasil.

O nome Frutal é derivado de sua história devido ao tempo de sua fundação, ter riachos cheios de jabuticabas (frutas). Daí a origem de seu nome “Frutal”. Sua população, segundo a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019, é de 59.496 habitantes. Considerada uma cidade média pequena. Foi fundada em 4 de outubro de 1887. (foto acima e abaixo da Matriz de Nossa Senhora do Carmo, de Giselle Oliveira)

Aparecida de Minas
Frutal tem cerca de 200 produtores de abacaxi, sendo 160 desses produtores, residentes em Aparecida de Minas, distrito de Frutal, situada a 13 km da Rodovia BR-153 no acesso A-900, entre as cidades de Frutal e Fronteira, no estado de Minas Gerais. A atividade econômica do distrito é rural, destacando a produção de abacaxi e cana de açúcar. O distrito é tão importante, que a Feira Regional do Agronegócio do Abacaxi, acontece no distrito, geralmente no mês de novembro.

Um local de povo hospitaleiro, solidário e trabalhador, sendo maioria católicos, buscam preservar as festas e tradições religiosas cristãs como as danças folclóricas, festas tradicionais como a Festa de “Santos Reis” (Folia de Reis), Congada, Catira e a tradicional Festa de São João. As festas religiosas são em torno da Igreja de Nossa Senhora Aparecida, que dá nome ao distrito.

Tem também outras festas tradicionais no distrito como a Festa do Peão Boiadeiro e a famosa Festa Junina, realizada pela escola local e pela Igreja Católica, com direito a casamento caipira, quadrilha, pipoca, quentão, etc.
Em todos os eventos do distrito, religiosos ou não, a culinária mineira está presente e é uma das atrações das festas onde os moradores locais e visitantes podem saborear o que temos de melhor em Minas como tutu-de-feijão, canjica de milho, pé-de-moleque, quentão, pamonha de mandioca, pamonha de milho verde, entre outras que sempre estão presentes nas festas e danças.

O artesanato também é muito valorizado pela comunidade que incentiva a preservação da tradição do artesanato local. Artesanato de crochê, balaio ou jacá (feito de taboca), peneira (de cambaúva), tapetes e colchas de retalhos. Colchas de lã de carneiro e outras variedades de obras de grande beleza e qualidade.

É uma das poucas localidades em Minas Gerais que podemos encontrar benzedeiras praticando esse tradicional ofício. As benzedeiras locais são valorizadas e respeitada. Benzem adultos e crianças contra todo tipo de mal.
Uma das características do povo de Aparecida de Minas, por serem muito supersticiosos, é preservar as simpatias. Conhecem todas, desde as que curam doenças, que afastam coisas ruins, ou que ajudam a emagrecer, etc. Tradicional também e muito praticada por seus moradores é a Medicina Popular. Seus moradores gostam de cultivar ervas medicinais em seus quintais, que ajudam na cura de doenças. Uma tradição muito valorizada por todos.

Aparecida de Minas é um distrito bastante desenvolvido, oferece uma boa qualidade de vida a seus moradores com ruas asfaltadas, escolas, postos de saúde, telefonia digital, supermercados, farmácias, padarias, lanchonetes, água de qualidade e belezas naturais em volta, já que Aparecida de Minas é banhada pelo Rio Grande, com vários cursos d´água que fazem das terras do distrito, que já são muito férteis e de ótima qualidade, super valorizadas.

Uma das características do povo de Aparecida de Minas é que são formados por famílias e que gostam do lugar em que vivem e cuidam bem da charmosa vila, que está sempre limpa, arborizada, com seu povo sempre acolhedor e amigo que recebem todos bem. Por ser um local pequeno, a amizade entre famílias vem de longa data e a confiança também.

Conheça Minas

Texto: Arnaldo Silva

Fonte: www.conhecaminas.com

Economia

Sérgio Cotrim eleito presidente do Conselho das Matas de Minas

O cafeicultor e engenheiro agrônomo Sérgio Cotrim D’Alessandro foi eleito diretor presidente do Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas. A diretoria é composta ainda pelo Diretor Administrativo Fernando Romeiro Cerqueira e o Diretor Financeiro Sebastião de Lourdes Lopes.

O Conselho das Entidades da Região das Matas de Minas reúne representantes de produtores, cooperativas de crédito e produção, sindicatos, associações, organizações  de pesquisa e extensão, poder público e demais envolvidos na cadeia produtiva do café. Trata-se de uma governança  voltada ao desenvolvimento dos cafeicultores dos 64 municípios que compõem a área reconhecida como Região das Matas de Minas, comunicando uma cafeicultura “Naturalmente Artesanal“.

“Quero agradecer a confiança dos membros do conselho e contando com o apoio de sempre para exercemos uma boa governança. Muitas ações aconteceram desde o início do projeto com apoio fundamental do Sebrae-MG, tendo hoje a Região das Matas de Minas conquistado o reconhecimento da Indicação de Procedência pelo INPI. Será desenvolvida uma gestão estratégica  para proteção e comunicação ao mercado da IP de nossa região, dentre elas o trabalho com  novas lideranças e parcerias para o desenvolvimento da Região das Matas de Minas” – destaca o novo presidente, Sérgio Cotrim D´Alessandro.

Entre as propostas do novo presidente, estão fortalecer o sentimento de pertencimento dos produtores da Região das Matas de Minas e buscar incessantemente trabalhar pela percepção dos consumidores quanto a Indicação de Procedência (IP) das Matas de Minas, posicionando a região como uma Origem Controlada reconhecida pelos  consumidores, dentro dos pilares da Qualidade artesanal, Sustentabilidade natural e desenvolvimento coletivo.

Participaram da eleição, os representantes da SCAMG (Associação de Cafés Especiais de Minas Gerais), Sicoob Credisudeste, Sicoob Credilivre, Sindicatos dos Produtores Rurais de Manhuaçu, Lajinha e de Manhumirim, Sicoob União dos Vales, Coocafé, Sicoob Credcooper e Sicoob Credicaf.

MATAS DE MINAS

O projeto Café das Matas de Minas começou em 2011 com o objetivo de desenvolver a cafeicultura na região. É baseado em quatro pilares: qualidade, identidade, governança e mercado. Busca valorizar o café dessas localidades, organizar as ações dos produtores e estimular o acesso a mercados.  A iniciativa inclui ainda ações de capacitação e orientação ao produtor sobre o processo de melhoria da qualidade, governança e identidade.

A Região das Matas de Minas está situada em uma área de Mata Atlântica, no leste de Minas Gerais, e compreende cerca de 36 mil produtores de café, responsáveis pela produção de 7 milhões de sacas anuais, 24% do total no estado. Em 64 municípios, com 275 mil hectares plantados na área demarcada, os produtores geram cerca de 75 mil empregos diretos e 156 mil empregos indiretos na colheita do café.  

A produção é naturalmente sustentável, marcada pela predominância da agricultura familiar, gerando impacto econômico e social direto e indireto, além de estimular fatores culturais presentes na cafeicultura da região. 

Em 2017, foi criado o Selo de Origem Região das Matas de Minas, iniciativa que garante a origem do produto, permitindo a rastreabilidade, definindo o processo de produção e contribuindo para a qualidade do produto.  Em dezembro de 2020, a região produtora de café Matas de Minas recebeu a chancela de Indicação de Procedência (IP) pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Ao longo dos anos, o café Matas de Minas recebeu diversas premiações de relevância nacional e internacional, como, por exemplo, os prêmios Ernesto Illy de Qualidade do Café para Espresso, Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas,  Coffee of The Year, Concurso de Qualidade ABIC e Cup of Excellence, dentre outros. 

Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/

Cidades

Senac em Conselheiro oferece curso gratuito de Assistente Administrativo

A unidade do Senac em Conselheiro Lafaiete abre inscrições nesta segunda-feira, 16 de março, para o curso gratuito de Assistente Administrativo com vagas limitadas. As aulas serão realizadas no horário das 13h às 17h, de segunda a sexta, e começam no dia 13 de abril até o dia 10 de junho de 2020.

O diretor do Senac em Conselheiro Lafaiete, Marco Túlio Geraldo Pereira Mateus lembra que as vagas são preenchidas rapidamente visto a qualidade do ensino. “Temos cursos desejados por toda a comunidade e esse é mais um com grande procura. Para quem deseja se qualificar e se destacar no mercado, é uma ótima oportunidade.” destacou.

Vale lembrar que as matrículas podem ser feitas na unidade do Senac na Rua Tavares de Melo, nº 630 no centro de Conselheiro Lafaiete, a partir das 13h. Em 2020, a unidade passou a funcionar em novo horário: das 12h às 22h.

Para se candidatar às vagas disponíveis, o interessado deve possuir renda familiar per capita inferior a dois salários mínimos federais. Ou seja, o candidato deverá somar a sua renda com a de todos que vivem na sua casa e dividir pela quantidade de pessoas que ali residem. Esse valor final não pode ser maior do que dois salários mínimos federais.

Como participar

Para participar é preciso fazer o pré-cadastro no site.  Posteriormente, o interessado deve ir até a unidade do Senac e levar a documentação a fim de efetuar a matrícula, que são feitas por ordem de chegada. O Pograma Senac de Gratuidade é voltado para alunos que estejam cursando, ou já tenham concluído, a educação básica e trabalhadores empregados ou desempregados. Inteiramente gratuitos, os cursos incluem o material didático padrão do Senac em Minas.

Fonte: http://www.foconanoticia.com.br/

Economia

Abertas inscrições para programa de desenvolvimento empresarial
Programa foi apresentado em Congonhas

Empresários de Congonhas, Lafaiete e Ouro Branco terão a oportunidade de participar do Programa de Desenvolvimento Empresarial (PDE), de iniciativa da Gerdau, em parceria com o Sebrae e apoio da prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia (SEDECIT). Os interessados devem se inscrever até esta sexta-feira, 30/08 por meio do formulário disponibilizado neste link. Serão selecionadas dez empresas de pequeno e médio portes.

O PDE, apresentado a empresários de Congonhas nesta terça-feira (27) tem o objetivo de fortalecer e fomentar o desenvolvimento regional, por meio do diagnóstico de problemas de gestão e da prestação de serviços de consultoria. Participaram da reunião o consultor do Sebrae Aristides Araújo e o relações institucionais da Gerdau, Bruno Castilho.

Além de Congonhas, participam as cidades de Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Ouro Branco e Ouro Preto, sendo disponibilizadas, no total, 50 vagas. Um consultor fará o diagnóstico de todas as empresas inscritas, sendo que, se mais de 50 formulários forem enviados, as vagas serão preenchidas conforme a data de envio. Dessas, apenas dez de cada cidade serão selecionadas para aderir ao programa, que contará com um subsídio de 90% do Sebrae e da Gerdau.

Para a empresária Patrícia Mendes, a iniciativa é muito interessante e será produtiva. “Espero ter a visão para melhorar. A nossa empresa tem 20 anos, mas não podemos nos acomodar, então essas questões de desenvolvimento e de orientações são muito importantes. Espero aprender”, destacou.

Segundo o consultor do Sebrae, Aristides Araújo, o projeto não tem cunho educativo, mas de consultoria. “Uma melhor gestão vai fazer diferença dentro da empresa. Uma melhor gestão permite melhores tomadas de decisão. E a partir de uma decisão mais assertiva, tende-se a ter melhores resultados”, explicou.

Dúvidas e informações:

Sebrae – Conselheiro Lafaiete
Avenida Prefeito Mário Rodrigues Pereira, 23b, Centro
(31) 3721-4343

Fonte: fatoreal.com.br

Economia

Sebrae realiza curso de Licitações Públicas em Carandaí

O curso tem entre seu público-alvo Microempreendedores, empresas de pequeno porte e produtores rurais
O curso tem entre seu público-alvo Microempreendedores, empresas de pequeno porte e produtores rurais

 

O Sebrae realiza entre os dias 21 e 22 deste mês, na cidade de Carandaí, o curso “ Como vender para a Administração Pública”. O curso acontecerá no CDL de Carandaí com carga horária de 16 horas e tem como público-alvo micro e pequenas empresas que tenham como objetivo inaugurar um novo canal de negócios ou ampliar seu mercado através de vendas para a Administração Pública.

A ideia de desenvolvimento local traz consigo a participação de microempresas e empresas de pequeno porte. Os municípios que pretendem gerar emprego e renda precisam implementar ações que promovam a inclusão destas empresas na agenda de discussão da cidade.

Valorizar as MPE e seu potencial de desenvolvimento é uma ação que traz benefícios para toda a sociedade, à medida que faz com que o município se desenvolva de maneira segura e sustentável, pautando-se pela adoção de medidas relativamente simples, como a aplicação efetiva da Lei Geral, e valorizando o comércio local como indutor do crescimento das cidades.

O objetivo é apresentar aos empresários os benefícios da Lei Geral para as microempresas e empresas de pequeno porte, que contribuem com sua sustentabilidade e competitividade e ampliam seu mercado com menor risco, através da abertura de um novo canal de negócios com a Administração Pública, via compras governamentais.

Mais informações e inscrições podem ser feitas pelos telefones (32) 3332-9686/ 0800-570-0800.

SERVIÇO:

COMO VENDER PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Data: 21 e 22/08/017

Local: CDL Carandaí

Endereço: Praça Barão de Santa Cecília, 59 – Centro – Carandaí

Carga Horária: 16 hrs

Horário: 08:00 às 17:00

Valor: R$100,00 por participante