Tag Archives: saúde

Saúde

Obesidade – sete pontos cruciais necessários para o combate e prevenção eficaz

A obesidade é considerada pela OMS como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A expectativa é que em 2025, existam mais de 2,3 bilhões de adultos com sobrepeso; e mais de 700 milhões de obesos. Se nada for feito, haverá mais de 75 milhões de crianças com sobrepeso e obesidade.

No Brasil, a situação também é dramática. Alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso. Entre as crianças, essa faixa é de 15%. Dados do IBGE entre 2008/2009, mostram o movimento crescente e assustador da obesidade.

Como profissional de educação física muito antes de médico, especialista em nutrição esportiva e acadêmico de nutrição, tenho verdadeiro apreço pela medicina preventiva; em evitar que um número considerável de doenças devastem o corpo são, como é o caso da obesidade, que abre as portas do organismo saudável para uma série de desordens que vão desde doenças cardiovasculares a vários tipos de câncer. Nesse sentido, tenho que ser categórico na importância do seu estilo de vida, do seu dia a dia, funcionando como gatilho para o desenvolvimento ou não de DOENÇAS.

Em um estudo internacional recente, os dados coletados afirmam que há uma redução de 75% do risco de obesidade entre os filhos de mulheres que mantêm hábitos de vida considerados saudáveis. Há um equívoco comum de achar que tudo é culpa da genética, o que não é bem por aí. Essa premissa ganhou força na década de 1990, com a descoberta do projeto genoma, porém atualmente já caiu por terra. A genética, afundo, é apenas a ponta do iceberg. O que realmente importa é como você se comporta; a maior parte dos problemas vem dos hábitos!

Eu separei sete pontos cruciais necessários para o combate e prevenção eficaz à obesidade. Lembrando sempre, que a obesidade é uma doença multifatorial que exige um suporte interdisciplinar para o êxito do tratamento e controle.

1- Manter uma dieta saudável:
O que você come é crucial na manutenção de sua saúde e prevenção ativa às doenças crônicas não-transmissíveis (o mal do mundo contemporâneo). Hipócrates, o pai da medicina, antes de cristo, já preconizava e defendia a importância da alimentação na prevenção e combate às doenças; definitivamente você é o que você come.

2- Manter o peso sob controle:
Com o passar dos anos, o organismo tende a acumular mais gordura em decorrência de uma queda fisiológica e hormonal natural que ocorre com o processo de envelhecimento. Mais do que manter o peso na balança, você deve fazer uma avaliação física com o profissional de educação física ou médico ou nutricionista para que monitore como anda sua composição corporal;

3- Fazer exercícios físicos DIARIAMENTE:
O exercício físico é um verdadeiro elixir. Ele age diretamente, proporcionando bem estar orgânico, melhorando a função intestinal, hormonal, cardiovascular, imune…

4- Consumir álcool com moderação:
O consumo exagerado de álcool prejudica uma série de funções metabólicas indispensáveis para a manutenção de sua saúde. Segundo a OMS, os limites seguros para a ingesta de bebida alcoólica seria de no máximo 12 latas de cerveja/semana para os homens e 08 latas de cerveja/semana para as mulheres. Cada bebida tem um teor alcoólico específico, fiz o calculo com a bebida mais genérica para exemplificar a questão.

5- Não fumar:
Foi-se o tempo que fumar estava atrelado à saúde né!? As propagandas das décadas passadas foram substituídas por anúncios alarmantes sobre um hábito para lá de nocivo para o corpo humano. Fumar está associado a um número incontável de doenças que devastam a saúde de qualquer pessoa.

6- Controlar o estresse:
Estresse e ansiedade caminham lado a lado em uma sociedade cujo o fator tempo é o grande limitante para adoção de medidas necessárias para uma vida mais saudável. Recorrer a práticas milenares como meditação, yoga, ou simplesmente ter mais contato com a natureza que o circunda pode amenizar o quadro grave de tensão e ansiedade que vivemos inseridos.

7- Dormir adequadamente:
Talvez o maior desafio de todas as dicas. As pessoas vêm dormindo de forma cada vez pior. A ciência vem apontando com cada vez mais alarde de que noites de sono ruins possam justificar o aumento de peso de parte da população que se alimenta mal e ainda dorme pior ainda.

Fiz questão de não abordar questões medicamentosas, pois parte da população ainda insiste em encontrar uma cápsula mágica que seja capaz de substituir hábitos alimentares inapropriados e o sedentarismo avassalador. A grande questão para sua saúde é sua rotina e o seu dia a dia. Espero que tenha possibilitado uma reflexão interna necessária para a mudança. Matricule-se hoje mesmo em uma academia e passe a monitorar diariamente o que você come. Transforme sua vida com a alimentação e o exercício físico!

 

Yuri Brito é médico CRM-MG 76586, especialista em Nutrição Esportiva, profissional de Educação Física CREF MG 017563-G e acadêmico de nutrição
instagram @clinicacorpoperfeito

Esporte

Os benefícios da prática regular da atividade física

Praticar exercícios físicos pode trazer diversos benefícios para a saúde e melhorar consideravelmente o bom funcionamento do organismo, isso todo mundo sabe, mas voce faz algo? Contudo, os benefícios das atividades físicas só são tangíveis e realmente percebidos no dia a dia quando levamos a prática à sério, garantindo uma frequência semanal regular.

Considero que, a prática de atividade física não pode ser encarada com um hobby e, sim como um hábito constante. Assim como alimentar, beber água e escovar os dentes todos os dias, devemos fazer da atividade física algo regular para que os benefícios sejam efetivos,

Benefícios da atividade física regular

• Melhora nossas estruturas ósseas e musculares
• Reduz a pressão arterial
• Combate o stress (e todos os hormônios ruins ligados a ele)
• Alivia tensão muscular
• Proporciona bem estar psicológico, por nos afastar dos problemas cotidianos
• Age contra doenças como osteoporose, diabetes, risco de infarto
• Aumenta a autoestima
• Melhora a postura
• Aumenta a imunidade
• Age contra a obesidade
• Melhora dores

Prática regular x prática eventual

A diferença principal entre a prática regular de atividade física e a eventual está no processo de adaptação do corpo após iniciar uma atividade física regular. Por isso, quando praticamos atividade física eventualmente corremos o risco de acabar prejudicando o corpo.

Quando iniciamos uma atividade física, e ela passa a fazer parte da nossa rotina diária, o corpo tende a se adaptar ao esforço físico e, como consequência, traz todos os benefícios citados anteriormente. Já quando fazemos uma atividade física eventual, a cada atividade física, o corpo tende a sofrer mais com dores, inflamações e, até mesmo, com lesões, pois ele entende com uma certa estranheza essa movimentação fora do normal.

 
Sedentário x ativo

adolesc_sedentario

O sedentarismo é definido como a falta de atividade física e inúmeros fatores podem gerá-lo, mas, sendo, o motivo principal são as reponsabilidades diárias que consomem a maior parte do nosso tempo.

Como consequência, gera um cansaço que não nos motiva a fazer nenhum tipo de atividade física. Porém, caso você deseje mudar sua situação, o que deve ser feito é procurar a orientação de um profissional para que possa te auxiliar na atividade física escolhida e, preferencialmente, consultar um médico para saber se não existe nenhum tipo de restrição em relação à sua saúde,

Cuidados com exercícios

• Hidrate-se bem e prefira a água! A hidratação antes, durante e depois da atividade física melhora a performance, evita cãibras e ajuda no controle da pressão arterial. Redobre os cuidados no verão, pois transpiramos muito mais.

• Alimente-se antes do seu treino. Escolha boas fontes de carboidratos (batata doce, aipim, pão integral, macarrão integral, cereais integrais, como o arroz integral) para que não lhe falte energia, e uma boa fonte de proteína.

• Evite frituras ou refeições que contenham muitas gorduras (carnes gordas, leite e ou seus derivados integrais) antes de se exercitar. Isso porque, a gordura retarda o processo de digestão, podendo prejudicar seu desempenho.

• A alimentação depois do treino deve ser adequada ao seu objetivo, uma boa estratégia nutricional pode fazer toda a diferença. Portanto, nada de ficar horas sem comer depois de treinar.

9f4aec3f-4ea3-42db-b135-a4702ccc9c22Professor Leonardo Santos

Licenciado e Bacharel em Educação Física UNIPAC (2008)

Especialista Em Atividade Física em Saúde e Reabilitação cardíaca UFJF.(2010)

Personal Trainer na Academia Master Fitness – Barbacena MG

CREF 019722/G-MG

Saúde

9 mitos e verdades sobre alergia

Mitos-e-verdades-sobre-alergias-respiratorias

Não importa a época do ano à alergia é um problema que já afeta cerca de 30% da população brasileira, segundo estudos da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai).

Já outra informação da Organização Mundial da Alergia mostra que 40% da população mundial têm alguma alergia. A organização ainda estima que o número de asmáticos no mundo chegue a 400 milhões de pessoas até 2025.

“A alergia não tem cura, mas com algumas informações e dicas conseguimos controlar e viver tranquilamente”, menciona o Diretor de Comunicação da Sterilair, Felipe Prado. O especialista separou alguns mitos e verdades sobre alergia e crises alérgicas. Veja abaixo:

Verdade – O ar poluído das cidades e as mudanças climáticas contribuem para o problema.

Mito – Bombinhas para asma fazem mal ao coração. As bombinhas possuem broncodilatadores que relaxam os músculos e melhoram a passagem do ar.

Verdade – Alergia é incurável, mas é controlável. Tratamentos à base de cloreto de sódio, água purificada e cloridrato de fexofenadina controlam a irritação.

Mito – Mulheres grávidas não podem usar remédios para asma ou rinite. Com indicação médica, a gestante pode ingerir medicamentos.

Mito – Ar-condicionado faz mal para alérgicos. É importante saber usar o aparelho para ele não desencadear problemas, então faça a limpeza completa e mantenha a manutenção em dia para não sofrer com a poeira e bactérias.

Mito – Todo antialérgico dá sono. Só os anti-histamínicos clássicos de primeira geração, ou seja, os medicamentos mais antigos. Os medicamentos com novas fórmulas não causam sonolência e nem aumento de apetite.

Verdade – Produtos de limpeza causa alergia. Geralmente, os produtos para higienização doméstica contêm mais de um item em sua fórmula. Por vezes o corpo não identifica algum desses componentes, pode ser o cheiro, textura, acidez, etc.

Verdade – Crise alérgica pode levar à morte. Alergias a medicamentos, alimentos e a picada de insetos, como abelha e marimbondo, podem matar.

Verdade – Alimentos podem causar alergia. As alergias alimentares mais comuns na infância envolvem ovo, leite, amendoim, frutos do mar e soja. Já entre os adultos, são mais alérgicos a peixe, amendoim, frutos do mar e frutas secas.

Dicas para se manter longe das crises de espirro:

– Uma vez por ano, substitua os travesseiros velhos por novos;

– Tenha um esterilizador de ar;

– Vire o colchão da sua cama, pelo menos, a cada 15 dias;

– Use capas laváveis nos sofás;

– Para limpeza diária da casa, use água, sabão e produtos sem aromas fortes/neutros;

– Abra as janelas e deixe a casa ventilada pelo menos em um turno do dia;

– Troque as roupas de cama todas as semanas.

Sobre a Sterilair®

A Sterilair, maior empresa de esterilizadores do Brasil, está no mercado há 33 anos e o segredo do sucesso é fornecer um produto de qualidade com preço acessível. O Sterilair. esterilizador de ar, elimina cerca de 99,9% dos microorganismos aéreos no auxílio das doenças respiratórias.

Para mais informações, contatar:
Assessoria de Imprensa – ABlab
Stefani Pereira – stefani@ablab.com
11 98077 0105
Juliana Queissada – juliana@ablab.com
11 99813 6291

Saúde

Chá gelado, picolé, açaí… 8 alimentos para refrescar o calor

Chegou o verão e, com ele, a necessidade de se hidratar mais. E é bom caprichar mesmo porque a temperatura promete subir muito em janeiro e fevereiro. Uma pesquisa realizada pela agência meteorológica do Reino Unido mostra que 2017 será um dos anos mais quentes de que se tem notícia. A razão para isso é a combinação entre os efeitos do El Niño — fenômeno atmosférico que aquece águas dos oceanos e altera o clima global — e os gases do efeito estufa.

Para ajudá-lo a encarar o sol e a praia que estão a caminho, selecionamos uma lista de bebidas e alimentos que hidratam, refrescam e espantam o calor. Você vai conhecer prós e contras de cada para fazer as suas escolhas.

Águas aromatizadas ou saborizadas

downloadElas chegaram com tudo. Estão na moda e marcam presença em restaurantes e bares, sendo apreciadas principalmente por quem acha a água sem graça. Mas são saudáveis? As versões naturais, que você prepara em casa, sim.

“Especiarias como a canela conferem um sabor delicioso à água”, aponta Ana Ceregatti, nutricionista especializada em alimentação natural e vegetariana. Ela destaca que uma excelente opção é adicionar galhos de hortelã limpos e frescos e um pedaço pequeno de gengibre à bebida. Se esses itens forem orgânicos, melhor ainda.

A hortelã favorece a digestão e o gengibre contém o ativo gingerol, um antisséptico e anti-inflamatório natural. “Quem gosta de ervas e especiarias pode fazer as próprias combinações”, afirma Ana. Cuidado mesmo exigem as frutas cítricas, que oxidam em temperatura ambiente e, aí, deixam a água com sabor amargo, além de perderem suas propriedades nutricionais.

As industrializadas, ao contrário, abusam dos corantes artificiais, conservantes e acidulantes (usados para intensificar o sabor dos alimentos e bebidas). Algumas têm ainda adoçante e sódio.

Além das versões saborizadas artificialmente, o mercado possui agora farta oferta de uma bebida vendida com vitaminas, minerais e energéticos em cápsulas – cujo conteúdo deve ser adicionados ao líquido da garrafa. É mais um desses modismos de academia. “Parece água, mas não é. A promessa é de que esses produtos aumentem a energia ou acalmem”, descreve Cynthia Antonaccio, da Consultoria Equilibrium, de São Paulo.

Essas bebidas contêm princípios ativos e extratos que até podem ser uma opção interessante. Porém, é imprescindível contemplar a presença de açúcar em sua composição e o preço (que chega a 100 reais a unidade) antes de optar por qualquer uma.

Chá gelado

dru2nllkzktptu0ba0n60ax5fNão dá para negar que um chá geladinho ajuda a driblar a sede. Mas, diante da variedade de produtos disponíveis, qual escolher? “A melhor opção será sempre a natural, sem açúcar e à base de ervas, flores e especiarias, como erva-mate, hibisco, camomila e gengibre”, explica Fernanda Gabriel, nutricionista da RG Nutri, consultoria de São Paulo.

Preparado com água e um ingrediente principal, esse tipo de bebida preserva antioxidantes e substâncias anti-inflamatórias. Cuidado apenas com a procedência da erva e com a quantidade de chá ingerida. Compre esses produtos em estabelecimentos de confiança, verifique se não estão mofados e se não apresentam sujidade.
“Essas ervas possuem princípios ativos que, se consumidos com frequência e em grande quantidade, podem fazer mal aos mais sensíveis. A dica é variar”, ensina Mariana Del Bosco, nutricionista e mestre em Ciências pela disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Já os chás industrializados, disponíveis em saquinhos, garrafas e até latas, são sem dúvida práticos. Porém, também são mais pobres do ponto de vista nutricional. A maioria tem pouca quantidade de polifenóis –compostos encontrados nos alimentos e que varrem as toxinas do organismo, por exemplo.

Tais compostos se perdem durante o processo de produção dessas bebidas, que têm sabor alterado com a adição de açúcar ou adoçantes. “Alguns chás industrializados contêm conservantes e corantes. Por isso, sempre indico os que são feitos com as ervas e, na ausência deles, os de saquinho”, receita Ana Ceregatti.

Caso você não deseje carregar por aí uma garrafinha com seu chá feito em casa, a nutricionista Cynthia Antonaccio dá uma dica importante: “Ao comprar as versões industrializadas, escolha pelo menos as que têm menos açúcar ou são light”.

Vale lembrar que a ingestão desse carboidrato não deve ultrapassar 10% do valor calórico total do dia, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde. “Um adulto que consome em torno de 2 mil calorias ao dia pode ingerir, no máximo, 200 calorias provenientes do açúcar, que é algo em torno de 50 gramas”, exemplifica Fernanda Gabriel.

O perigo da garrafa
De nada vale tomar todos os cuidados para escolher um chá natural e colocá-lo em uma garrafa qualquer de plástico. Certifique-se de que sua garrafa está livre de BPA, ou Bisfenol-A – composto presente na confecção de alguns tipos de policarbonato. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), estudos preliminares mostram que esse composto pode causar problemas hormonais.

Água de coco

download-1Um das deliciosas vantagens do verão é aproveitar praias, parques e praças — e se lambuzar com uma refrescante água de coco. Fernanda Gabriel, da RG Nutri, confirma que o líquido é naturalmente rico em água e minerais que auxiliam na hidratação. “Além da água da fruta, podemos consumir a carne do coco. Ela é gostosa e carrega fibras e gorduras que garantem a saciedade por mais tempo”, fala.

Em um copo de 200 mililitros dessa bebida há 93% de água. O restante é composto por açúcar, proteínas, sais minerais e fibras. Por isso, Ceregatti endossa o consumo do líquido in natura. Ela explica que o produto em caixinha contém frutose – adicionada na maioria dos industrializados (sucos etc) para destacar o sabor da bebida.

“É melhor comprar o coco fresco, abri-lo e fazer cubos de gelo com sua água”, diz. Esses cubos servirão para preparar sucos naturais e até smoothies, preservando as propriedades da fruta.

Fernanda Gabriel até admite o consumo da água em caixinha como alternativa para os dias de pressa e para quem não encontra a fruta com facilidade. Mesmo assim, a ingestão deve ser moderada – justamente pela presença de açúcar e conservantes nessa versão.

Sucos naturais e industrializados

Mais uma vez, as nutricionistas preferem os naturais ou a versão integral em caixinha. “Por serem feitos com ingredientes frescos, eles mantêm os nutrientes”, ensina Fernanda. Ela reforça que, entre os industrializados, é bom ficar de olho na presença de açúcar e evitar os néctares e refrescos, que apresentam um percentual pequeno de fruta na composição.

Para ser considerada um suco, a bebida precisa ter pelo menos 50% de polpa da fruta e água (sem nenhuma substância estranha). Já o néctar deve conter até 30% de fruta, açúcar e aditivos químicos, como corantes. Nesse balaio, não dá pra negligenciar os refrescos (com 8% de fruta e muito açúcar) e o suco concentrado (ele tem menos açúcar que o néctar, é mais barato e leva corantes, aromatizantes e conservantes). Já o produto integral não carrega conservantes nem é adoçado artificialmente.

No entanto, se no momento de escolha você só tiver o néctar, não precisa se martirizar. E uma dica da nutricionista Cynthia Antonaccio: “Ao optar pelo néctar, escolha aqueles que seriam iguais ao que você prepara em casa”, diz. Como assim? “Por exemplo: dificilmente você fará um suco puro de maracujá ou de limão. Então, não tenha medo se, às vezes, recorrer a esses produtos. Mas analise para ver se vale a pena”, explica.

Picolé e sorvete de massa

Por mais tentadores que sejam, cabe lembrar que os sorvetes de massa possuem um monte de açúcar e, em boa parte dos potes, a famigerada gordura trans, criada pela indústria para melhorar o sabor e a durabilidade dos alimentos na gôndola. Acontece que estudos científicos comprovaram que essa molécula é muito prejudicial à saúde.

Por isso, a opção das nutricionistas é o picolé — em geral, preparado com suco da fruta e açúcar. “Se tiver que escolher, opte por um de frutas, mas não pense nele como lanche”, ensina Ceregatti. Nas refeições intermediárias, coma o vegetal in natura mesmo para matar a fome.

A nutricionista Cynthia Antonaccio admite a ingestão de sorvete de massa como uma indulgência à qual você recorre vez ou outra. “Sem peso ou culpa, mas consciente do que está ingerindo”, arremata.

Açaí na tigela

toca-do-acai-uberlandia-4-850x478Não abre mão dessa delícia originária da Amazônia e está no grupo dos que precisam controlar a ingestão de açúcares? Então fique de olhos abertos: a maioria das versões vendidas nas ruas têm adição de xarope de milho, como esclarece Ana Ceregatti.

“Arriscaria que 99% dos que são vendidos têm esse ingrediente. Ele é pior que o açúcar refinado, porque sobrecarrega o organismo de forma geral”, explica. De acordo com ela, é importante checar o rótulo para adquirir os que contenham a polpa de açaí.

Fernanda Gabriel diz que nem por isso a fruta deve sair do cardápio. “Ela é rica em antioxidantes e proporciona saciedade. Mas a polpa congelada, na maioria das vezes, é adoçada. Assim, é melhor escolher acompanhamentos como frutas, coco ralado e opções sem açúcar”.

Garantimos: não é necessário adicionar xaropes como o de guaraná na tigela. As frutas e os cereais já dão um gosto especial. Mas se está sentindo falta de um docinho, considere o açúcar mascavo ou mesmo o de coco.

Raspadinha

A procedência da água usada para fazer essa guloseima praiana é comumente negligenciada. Mas é aí que mora o perigo. Se não for potável, ela pode ser veículo de transmissão de várias doenças, ocasionando de diarreia à hepatite A.

“Também é importante saber que tipo de suco foi usado para prepará-la e se foi adicionado algum xarope”, acrescenta Ceregatti. A nutricionista explica que um suco natural é o ingrediente perfeito para uma raspadinha deliciosa. “Bata água de coco com suco de uva no liquidificador. Ponha em um saco e leve ao freezer até endurecer. Se preferir, use suco de maçã concentrado”, ensina.

Para os que não abrem mão das versões vendidas nas areias e ruas brasileiras, vale ficar atento às calorias. Isso porque ingredientes como leite condensado tornam essa opção bastante calórica. “Se forem feitas com esses produtos, as raspadinhas devem ser incluídas na alimentação com moderação”, pondera Fernanda Gabriel.

Água mineral

“A água deve ser ingerida pura e estar sempre disponível. Ela é a nossa principal fonte de hidratação”, atesta Del Bosco. “Uma dica para saber se você está bebendo a quantidade ideal é observar a cor da urina, que deve ser clara”, conclui.

Nas ruas, o principal cuidado é comprar uma água mineral de fonte ou empresa reconhecida. “Sempre a adquira em um comércio formal, que forneça nota fiscal. Nesses locais, o risco de levar um produto adulterado é menor”, afirma Antonaccio. Como as águas são extraídas de fontes naturais, pegue as que você já está acostumado — mais por uma questão de sabor do que por qualquer outro detalhe.

O sódio encontrado nas versões minerais é natural das fontes das quais ela são extraídas. Sua quantidade é muito pequena frente às recomendações diárias (um copo de água há 0,15% da indicação de consumo). “Sendo assim, não vai prejudicar o funcionamento do corpo”, afirma Fernanda Gabriel.

O consumo frequente de água mineral, ao contrário do que se fala, não causa danos ao organismo em pessoas saudáveis. Evite apenas ingeri-la durante as refeições.
Vale lembrar que nosso corpo precisa de aproximadamente 2 litros de água por dia para regular a temperatura, transportar minerais e vitaminas e por aí vai. E uma ótima notícia: o consumo adequado ajuda até a acabar com aquela falsa sensação de fome. Portanto, hidrate-se!

Fonte: http://saude.abril.com.br/

Saúde

Como prevenir a queda de cabelos com alimentação? 5 alimentos para ter no prato

1

Conhecida pelos médicos como alopecia, a queda de cabelo pode ter múltiplas causas e ocorrer em qualquer fase da vida. De acordo com a nutricionista comportamental Patrícia Cruz, o que leva à queda de cabelo pode também estar relacionado a uma má alimentação. A especialista afirma que uma dieta desequilibrada, pobre em proteínas, vitaminas e minerais, pode causar o problema.

Alimentos que previnem a queda de cabelo
Quando a queda dos fios é muito acentuada é preciso consultar um clínico-geral para diagnosticar o problema. Porém, a nutricionista lista algumas dicas para manter um cabelo mais bonito e saudável tendo como base os alimentos que você consome:

Carne vermelha: fonte de ferro. Quadro de anemia, ou seja, de deficiência deste mineral está diretamente relacionada à queda de cabelo;

Gema de ovo: fonte de biotina atua no desenvolvimento do folículo piloso. Alguns estudos mostram que essa proteína ajuda na síntese de queratina, e sua deficiência causa queda de cabelos e fios quebradiços;

2

Castanha do Pará: fonte de selênio, mineral que auxilia na integridade dos fios. Sua deficiência aumenta a queda de cabelo e despigmentação dos fios;

Laranja: fonte de vitamina C, que auxilia na síntese de colágeno. Sua deficiência também pode ser relacionada à alopecia;

Bife de fígado e coração de galinha: fontes de vitamina B12, responsável pela síntese de queratina, auxilia no crescimento e resistência dos fios.

Outras pílulas para ter cabelo bonito e saudável:
– Os alimentos fontes de vitamina do complexo B (carne vermelha, ovos, fígado, peixe, coração, nozes, amendoim) ajudam a manter um cabelo forte e saudável.

– Os alimentos ricos em vitamina C (limão, laranja, abacaxi, tangerina) auxiliam na síntese de colágeno.

– Os alimentos ricos em ferro: carne vermelha, leguminosas, vegetais verdes escuros.

Segundo a especialista, nenhum alimento é diretamente responsável pela queda de cabelo, porém uma alimentação desbalanceada, com pouca ingestão de água, rica em gordura e pobre em vitaminas e minerais, provoca carências nutricionais que causam alopecia. Além disso, um estilo de vida inadequado, com poucas horas de sono, sedentarismo, consumo excessivo de bebida alcoólica, tabagismo e cafeína também podem aumentar o problema.

 

Fonte: http://www.vix.com/pt/beleza

Saúde

Quinua, um grão divino
quinua-o-grao-divino
De origem andina e pesquisada em terras nacionais desde os anos 1990, só agora ela começa a cair no gosto do brasileiro. Especialistas assinam embaixo: esse alimento pode fazer maravilhas pela sua saúde

É uma semente milenar, mas de trajetória recente em solo brasileiro — chegou por aqui na década de 1990. E, de lá pra cá, muitos de nossos cientistas a colocaram à prova. É o caso da nutricionista Flavia Farinazzi, docente da Faculdade de Tecnologia em Alimentos de Marília (Fatec), no interior paulista. Por um mês, ela estimulou voluntários a consumirem duas barras de cereais todos os dias — cada uma continha 9,75 gramas de quinua, totalizando quase 20 gramas do grãozinho. “Isso daria mais ou menos uma colher de sopa”, informa.
E não é que essa singela quantidade trouxe benefícios expressivos? “Verificamos uma redução nos níveis tanto do colesterol total como do LDL, considerado o perigoso, além de uma baixa nos triglicérides”, conta a professora. Sua xará, a nutricionista Flávia Giolo de Carvalho, pós-doutoranda da Escola de Educação Física e Esporte da USP de Ribeirão Preto, chegou a resultados similares em seu estudo de mestrado, feito com mulheres na pós-menopausa – nessa fase, por causa de alterações hormonais, há maior probabilidade de problemas cardíacos.

A experiência, conduzida na Universidade Estadual Paulista de Araraquara, durou um mês. Nesse período, as 35 participantes comeram 25 gramas de quinua em flocos todos os dias. “O impacto na queda de colesterol foi bem significativo, considerando o pouco tempo de intervenção”, diz. A abundância de fibras, lignanas e compostos antioxidantes é apontada como possível explicação para os bons resultados.
Em três cores

Ao procurar pela quinua, você verá que ela pode ser branca, preta ou vermelha. “Não há diferenças nutricionais importantes entre o trio”, adianta Flavia Farinazzi. Ocorre que a branca é mais fácil de achar. O bacana de levar as outras duas é a possibilidade de montar pratos coloridos.
Como tirar proveito

Dá pra colocar a quinua no tabule, aquela salada libanesa, ou utilizá-la para empanar postas de salmão e filés de frango.
Flávia Giolo, da USP de Ribeirão Preto, recomenda um brigadeiro: ele é de biomassa de banana verde e cacau com granulado de quinua. Já a Flavia da Fatec informa que a quinua substitui o arroz numa boa, já que cresce depois do cozimento. Os flocos ainda enriquecem iogurtes, granolas, cereais matinais e shakes.

 

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

Saúde

Whey protein: concentrado, isolado ou hidrolisado. Entenda as diferenças!

mulher-bebendo-na-garrafinha

 

Por que investir no whey depois de malhar? Ele é rapidamente absorvido e digerido pelo organismo – ainda no período de recuperação das fibras musculares, entre 30 minutos e uma hora depois do exercício. “Aproveitar essa janela de recuperação otimiza o ganho de músculos e, com isso, garante mais definição”, diz o nutrólogo Carlos Reginato. Antes de comprar o mesmo suplemento que a sua melhor amiga toma, entenda as diferenças entre os três tipos:

1. CONCENTRADO: passa apenas por uma filtragem e contém gordura, lactose, carboidratos e minerais. A velocidade de absorção é a mais lenta entre os três tipos.

2. ISOLADO: é o mais puro, além de concentrar mais proteínas, que passam por um processo específico de filtragem, o que aumenta a velocidade de absorção.

3. HIDROLISADO: por ter uma produção mais complexa, é o mais caro. Não contém lactose e é a proteína de digestão mais rápida.

É a lei da natureza: a proteína que não é usada pelo seu corpo (boa parte dela vai para os músculos) vira gordura. O excesso também sobrecarrega os rins – eles têm que trabalhar bem mais para eliminar as toxinas (amônia e ureia) produzidas no processo de digestão do nutriente. Sem falar que tem limite de absorção por vez. “O excedente é dispensado pelo organismo”, avisa a nutricionista Vanessa Leite, de Porto Alegre. Portanto, não adianta dobrar a dose do suplemento na tentativa de acelerar o resultado. Melhor você seguir a recomendação diária: entre 1,2 e 1,4 grama de proteína por quilo de peso corporal. Quem pesa 60 quilos, dependendo do estilo de vida (sedentário ou ativo) precisa de 48 até 84 gramas desse nutriente – ou um pouco mais, se faz exercício intenso.

 

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br

Saúde

Sociedade Brasileira de Dermatologia dá dicas para o folião brincar o Carnaval

 

Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta para os cuidados necessários com a pele durante os próximos dias

Chegou o carnaval! É hora de se preparar para a folia! Pensando em quem vai aproveitar a festa na rua, a Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta para os cuidados necessários com a pele durante os próximos dias. Veja as dicas:

• Passe o filtro solar com FPS30, no mínimo, e reaplique a cada duas horas porque o produto sai com o suor. Prefira o filtro solar físico que tem maior aderência à pele. Proteja- se também usando chapéu e óculos de sol;

• Beba muita água para não ficar desidratado;

• Para evitar queimaduras e manchas na pele, evite bebidas e picolés com frutas cítricas como limão, tangerina e caju;

• Tente se programar para acordar cedo e aproveitar os blocos até às 10h, fora do horário de pico do sol. Se preferir, deixe para curtir a folia depois das 16h;

• Vai levar as crianças para o bloco? Evite fantasias com tecidos sintéticos que esquentam e podem causar alergia, aproveite fantasias que tenham chapéus, principalmente os de aba larga, não deixe as crianças com roupas molhadas para não provocar micoses. Essa dica também serve para os adultos;

• Escolha uma fantasia leve e não exagere na maquiagem. Use maquiagem, brilho e glitter de marcas de confiança para evitar dermatite de contato e alergias;

• Use sapatos confortáveis, folgados ou tênis. Se tiver bolhas nos pés, não estoure para não infeccionar;

• Os sprays de espuma contêm substâncias tóxicas, tome cuidado, pois o contato com a pele pode causar reação alérgica;

Informações para imprensa: FSB Comunicação

Saúde

HPV e Câncer de Colo do Útero

Em 2014, o Sistema Único de Saúde (SUS) lançou uma campanha nacional para imunizar meninas de 11 a 13 anos contra o HPV. A sigla em inglês, Papilomavírus Humano, é do vírus responsável pela doença sexualmente transmitida mais comum no mundo, causando tumores benignos e malignos. Existem mais de 100 tipos de HPV, sendo que 16 têm potencial para causar câncer.

Mas porque esta vacina é tão importante ?

O câncer cervical ou câncer de colo do útero está estreitamente relacionado com o vírus HPV. Os tipos 16 e 18, cobertos pela vacina, estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero. Entretanto o início das relações sexuais precocemente, multiplicidade de parceiros sexuais, o tabagismo, baixas condições sócio-economicas e o uso de contraceptivos orais, sem acompanhamento adequado, também são fatores de risco.

De evolução lenta que atinge principalmente mulheres acima dos 25 anos, o câncer de colo do útero, cujo principal agente da enfermidade é papilomavírus humano (HPV), pode infectar também os homens e estar associado ao surgimento do câncer de pênis.

Antes de tornar-se maligno, o que leva alguns anos, o tumor passa por uma fase de pré-malignidade, que pode ser classificada em graus I, II, III e IV de acordo com a gravidade do caso.

A informação e prevenção têm levado a diminiução de sua incidência, contudo o câncer de colo de útero, ainda está entre as enfermidades que mais atingem as mulheres e levam a óbito no Brasil.

Em entrevista à Revista Viva Minas, o ginecologista e obstetra, Dr. Lélio de Andrade, nos esclarece sobre alguns pontos importantes sobre a doença.

Revista Viva Minas- Doutor Lélio, como diagnosticar o câncer de colo do útero ?

Dr. Lélio – Através da avaliação ginecológica. Durante a fase assintomática da enfermidade o rastreamento realizado por meio da colposcopia e do exame citopatológico Papanicolaou, permitem detectar a existência de alterações celulares características da infecção pelo HPV ou a existência de lesões pré-malignas. Entretanto o diagnóstico definitivo,depende do resultado da biópsia.

Revista Viva Minas – Como é o tratamento deste tipo de câncer ?

Dr. Lélio – Quando detectado o HPV deve-se aplicar tratamento pertinente a cada caso. O tratamento tem por objetivo a retirada ou destruição das lesões precursoras pré-malignas.
Se confirmada a presença de tumores malignos, o procedimento deve levar em conta o estágio da doença, assim como as condições físicas da paciente, sua idade e o desejo de ter, ou não, filhos no futuro.

Revista Viva Minas – Quais atitudes preventivas as mulheres devem adotar, ao iniciar sua vida sexual, a fim de evitar o câncer de colo do útero ?

Dr. Lélio – O exame citopatológico Papanicolaou é a melhor maneira de se prevenir contra o HPV. Mulheres que têm ou já tiveram atividade sexual, principalmente aquelas com idade de 25 a 59 anos devem fazer o exame preventivo, assim como as mulheres grávidas.

As lesões que precedem o câncer do colo do útero não têm sintomas, mas podem ser descobertas por meio do Papanicolaou. Quando diagnosticado na fase inicial, as chances de cura são de 100%. Vacinar-se contra o HPV também é uma medida eficaz para a prevenção do câncer de colo uterino. As vacinas disponíveis são bivalente e a quadrivalente.

Também é bom lembrar que, o uso da camisinha em todas as relações sexuais é um cuidado indispensável contra a infecção não só pelo HPV, mas também por outros agentes de doenças sexualmente transmissíveis.

Revista Viva Minas – Quem faz a vacina contra o HPV, precisa continuar fazendo o exame Papanicolau, periodicamente ?

Dr. Lélio – Certamente que sim. Embora esperando que as vacinas reduzam a possibilidade de lesões relacionadas ao HPV, as vacinas ainda não protegem contra todos os tipos. Além disso, ao tomar a vacina não tem como garantir que você ainda não tenha sido contaminada.

DR LELIO
Dr. Lélio de Andrade CRM – MG 9755