Tag Archives: revista vi

Turismo & Lazer

Conheça um pouco da História de Mariana: A primeira cidade de Minas

Ouro, fé, arte e pioneirismo marcam os três séculos da histórica Mariana

Primeira capital, primeira vila, sede do primeiro bispado e primeira cidade a ser projetada em Minas Gerais. A história de Mariana, que tem como cenário um período de descobertas, religiosidade, projeção artística e busca pelo ouro, é marcada também pelo pioneirismo de uma região que há três séculos guarda riquezas que nos remetem ao tempo do Brasil Colônia. 

Em 16 de julho de 1696, bandeirantes paulistas liderados por Salvador Fernandes Furtado de Mendonça encontraram ouro em um rio batizado de Ribeirão Nossa Senhora do Carmo. Às suas margens nasceu o arraial de Nossa Senhora do Carmo, que logo assumiria uma função estratégica no jogo de poder determinado pelo ouro. O local se transformou em um dos principais fornecedores deste minério para Portugal e, pouco tempo depois, tornou-se a primeira vila criada na então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro. Lá foi estabelecida também a primeira capital. 

Em 1711 o arraial de Nossa Senhora do Carmo foi elevado à Vila de Nossa Senhora do Ribeirão do Carmo. Em 1745 o rei de Portugual, Dom João V, elevou a vila a categoria de cidade, nomeada como Mariana, uma homenagem à rainha Maria Ana D’Austria, sua esposa. Transformando-se no centro religioso do Estado, nesta mesma época a cidade passou a ser sede do primeiro bispado mineiro. Para isso, foi enviado, do Maranhão, o bispo D. Frei Manoel da Cruz. Sua trajetória realizada por terra durou um ano e dois meses e foi considerada um feito bastante representativo no Brasil Colônia. Um projeto urbanístico se fez necessário, sendo elaborado pelo engenheiro portugues militar José Fernandes Pinto de Alpoim. Ruas em linha reta e praças retangulares são características da primeira cidade planejada de Minas e uma das primeiras do Brasil.  

Além de guardar relíquias e casarios coloniais que contam parte da história do país, em Mariana nasceram personagens representativos da cultura brasileira. Entre eles estão o poeta e inconfidente Cláudio Manuel da Costa, o pintor sacro Manuel da Costa Ataíde e Frei Santa Rita Durão, autor do poema “Caramuru”. 

Pioneira em comunicação, nas suas terras foi instalada a primeira agência dos Correios no Estado, em 1730. Na época conhecida como “Correio Ambulante”, ela estabelecia a comunicação entre Rio de Janeiro, São Paulo e a capital mineira.

Em 1945, Mariana recebe do presidente Getúlio Vargas o título de Monumento Nacional por seu “significativo patrimônio histórico, religioso e cultural” e ativa participação na vida cívica e política do país, contribuindo na Independência, no Império e na República, para a formação da nacionalidade brasileira. 

Todo ano, em 16 de julho, Dia de Minas, o Governo do Estado de Minas Gerais instala-se na cidade, realizando cerimônia alusiva na Praça Minas Gerais que, pela harmonia e beleza plástica de seus monumentos, é um expressivo conjunto urbano da Minas colonial. 

A extração do minério de ferro é a principal atividade industrial do município, forte geradora de empregos e receita pública. Seus distritos desenvolvem atividades agropecuárias e apresentam artesanato variado, expressando a diversidade cultural de Minas Gerais. 

Tudo isso faz da “primeira de Minas” um dos municípios mais importantes do Circuito do Ouro e parte integrante da Trilha dos Inconfidentes e do Circuito Estrada Real. Uma cidade tombada em 1945 como Monumento Nacional e repleta de riquezas do período em que começou a ser traçada a história de Minas Gerais.

Os atrativos da charmosa cidade são vários, mas merecem destaque a Igreja São Francisco de Assis e a Igreja Nossa Senhora do Carmo, localizadas na Praça Minas Gerais e conhecidas como igrejas gêmeas. Já a Igreja São Pedro dos Clérigos é admirada pelo seu visual diferenciado, que confere uma beleza especial a mesma e a destaca em meio a paisagem.

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Com sua forma retangular, a charmosa igreja apresenta inovações trazidas pela terceira fase do Barroco Mineiro, o estilo Rococó como uma belíssima portada ornamentada com o brasão da irmandade esculpida em pedra-sabão. O templo foi restaurado após um incêndio e hoje exibe grande parte das obras que lhe conferiram fama. Curiosamente, o altar-mor não foi consumido pelas chamas, o que reforça a crença na santidade do templo.

Igreja São Francisco de Assis

Igreja São Francisco de Assis

Um dos mais interessantes templos de Mariana. Uma igreja que causa arrepios, tanto por sua fantástica arquitetura quanto pelas 95 sepulturas presentes em seu interior. Uma delas, inclusive, é do renomado escultor Mestre Ataíde, que produziu os painéis nos forros da nave, representando o dilúvio, e da sacristia, adornado com uma caveira que simboliza a morte e parece mover-se, por ilusão de ótica. Imperdível para quem gosta de história e curiosidades.

Igreja São Pedro dos Clérigos

Igreja São Pedro dos Clérigos

Exuberante pela sua localização, nela o visitante pode desfrutar de uma bela vista da cidade. O risco da igreja é de Antônio Pereira de Souza. É uma das três únicas igrejas barrocas de Minas com plano em redondo, característica revolucionária para a época. Seu principal construtor foi José Pereira Arouca. A construção é de 1752, mas a obra encontra-se inacabada. O altar-mor, talhado em cedro, e do teto do presbitério, provam que o templo seria majestoso se estivesse concluído. A torre da esquerda é original e de pedra e a da direita de tijolos, pois já caiu duas vezes. O telhado lembra um casco de tartaruga, enquanto o fundo um navio.

Praça Minas Gerais

Praça Minas Gerais
Foto: Acervo Setur MG | Sérgio Mourão O Centro Histórico de Mariana.

Toda cidade do interior conta com uma bela praça central, mas em Mariana, sua Praça Minas Gerais é o ponto onde se concentra o maior Patrimônio Histórico da cidade. Em torno dela estão as igrejas de São Francisco, de Nossa Senhora do Carmo, a antiga cadeia da cidade, onde hoje funciona a Câmara Municipal, e o Pelourinho, antigo local de castigos dos negros escravos na época colonial e imperial. Um lugar onde a vida do arraial se movimentava e que hoje conta essa história para você.

Catedral Nossa Senhora da Assunção (Sé)

Catedral Nossa Senhora da Assunção (Sé)

Foi trabalhada por dois grandes vultos da arte barroca: José Pereira Arouca e Manoel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho. No batistério há uma tela do pintor Atayde, com retábulos da primeira fase do barroco. Na pia batismal e no tapa vento, que é o mais belo da região, nota-se a presença surpreendente de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. No altar-mor, a imagem de Nossa Senhora do Carmo, com o manto bordado a ouro, autenticamente português. A catedral da Sé de Mariana guarda um precioso tesouro musical: um órgão construído na primeira década do século XVIII em Hamburgo, Alemanha, por Arp Schnitger (1648-1719), um dos maiores construtores de órgãos de todos os tempos. Enviado inicialmente a uma Igreja Franciscana em Portugal, o instrumento chegou ao Brasil em 1753, como presente da Coroa Portuguesa ao primeiro Bispo de Mariana. Faz parte do acervo da Arquidiocese de Mariana, tombado pelo Patrimônio Histórico, e é o único exemplar da manufatura Schnitger que se encontra fora da Europa.

Mina de Ouro da Passagem

Mina de Ouro da Passagem
Foto: Acervo Setur MG | Sérgio Mourão Onde os sonhos eram contabilizados em forma de pepitas.

Por meio de um trolley, que chega a 315m de extensão e 120m de profundidade, o visitante desce até os subterrâneos da terra. Dentro da mina, o cenário é impressionante, com direito até a um maravilhoso lago natural. Desde a fundação da Mina da Passagem, no início do século XVIII, foram retiradas dali aproximadamente 35 toneladas de ouro. É a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo. Visitá-la é como viajar na história, vivenciando a saga perigosa dos homens que procuravam seus sonhos nos veios das montanhas mineiras. Imperdível.

Fonte: https://www.mariana.mg.gov.br/ e https://www.minasgerais.com.br/

Cultura

VOCÊ DECIDE: ORQUESTRA OURO PRETO APRESENTA CONCERTO EM FORMATO INÉDITO COM REPERTÓRIO VOTADO PELO PÚBLICO

Primeiro concerto totalmente interativo da história da música clássica será transmitido ao vivo no dia 10 de julho, às 20h30, no canal do YouTube

A Orquestra Ouro Preto, que desde o ano passado realiza seus concertos em lives que somam mais de 500 mil visualizações, aprofunda a experiência virtual e faz no dia 10 de julho, às 20h30, o concerto mais interativo da história, em que o repertório será definido pelo público em tempo real. “Porque aqui, o final você decide”! A brincadeira remete ao antigo programa de TV, no qual o telespectador ligava e votava para decidir o final da história. Ao transportar a ideia para os tempos atuais, o público irá escolher, no chat do YouTube, a música de sua preferência. O repertório mais votado será tocado. Patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, o concerto inédito terá transmissão ao vivo e gratuita pelo canal da Orquestra do YouTube, direto do Sesc Palladium, em Belo Horizonte (MG).

Quem podia imaginar que seria possível votar em um concerto entre uma música de Beethoven x Mozart ou então as mais pedidas do A-Ha? Que tal Beatles x Rolling Stones? As disputas e a votação prometem uma experiência única para os músicos e para o público no primeiro concerto totalmente interativo da história da música clássica. Para o Maestro Rodrigo Toffolo, que resgatou o formato que foi sucesso na TV, a ideia é fazer com que o público seja protagonista do concerto de forma leve e descontraída. “Estamos bastante animados com essa proposta inédita para a orquestra. Será o concerto mais interativo de todos os tempos, uma surpresa para público e também para os músicos que terão que se preparar para diferentes repertórios”, completou.

No concerto, a votação será comandada pelo próprio maestro que será o âncora da apresentação. Para remontar a votação assim como era no programa, o gerente de marca e comunicação da Orquestra, Luiz Abreu, adianta detalhes de que será exibido um placar para que o público possa acompanhar a votação ao vivo. “Nossa proposta é promover uma nova experiência para o público e para isso estamos preparando surpresas no cenário, figurino e um reforço nas novas tecnologias para promover toda essa interatividade”, ressaltou.

A apresentação traz no repertório os principais sucessos que marcaram a história de 21 de anos da Orquestra Ouro Preto, como Beatles, Música para Cinema, as estações de Vivaldi e a mais recente homenagem ao grupo norueguês, A-Ha. Além disso, um repertório novo, em homenagem à discografia dos Rolling Stones promete um grande embate contra as composições dos garotos de Liverpool. Com apoio do Sesc em Minas, o público poderá também doar alimentos através do programa Mesa Brasil. Será disponibilizado um QR-Code na tela para arrecadação.

O concerto segue todos os protocolos de segurança sanitária para os músicos e equipe técnica e em função das restrições da pandemia. Não haverá presença de público no teatro.

SERVIÇO

Concerto Orquestra Ouro Preto – Você Decide

Dia: 10 de julho de 2020, sábado, às 20h30.

Link: www.youtube.com/orquestraouropreto

Classificação: Livre para todas as idades.

Informações: https://www.orquestraouropreto.com.br

Cultura

Museu Mineiro atesta boa conservação do “Retrato de Aleijadinho” sob os cuidados do Museu de Congonhas

O Museu de Congonhas recebeu, na manhã da quarta-feira, 03 de março, Elvira Nóbrega Tobias, conservadora restauradora do Museu Mineiro para a avaliação do estado de conservação do “Retrato de Aleijadinho”. A obra, pertencente ao Museu Mineiro, em Belo Horizonte, está em exposição, em caráter de comodato, no Museu de Congonhas deste a sua inauguração em 2015.

Augusto Ricelli

Segundo Elvira, o Museu de Congonhas tem mantido o retrato em bom estado de conservação, com todos os cuidados necessários. Com a averiguação, o Museu Mineiro dará prosseguimento nos trâmites para renovação do comodato ao Museu. O “Retrato de Aleijadinho” é um dos destaques da expografia do Museu de Congonhas e atrai desde estudiosos à crianças.

Aleijadinho nasceu provavelmente em 1738 e teria morrido em 18 de novembro de 1814, segundo certidão de óbito. O retrato porém, foi feito no século 19, depois que Aleijadinho morreu. É um “óleo sobre pergaminho”, pintado por Euclásio Penna Ventura, medindo 20cm por 30cm. O “Retrato de Aleijadinho” foi adquirido por vários antiquários até ser doado ao acervo do Arquivo Público Mineiro, já no século 20. Há pesquisas que apontam que ele teria pertencido à Sala dos Milagres em Congonhas.

Ao longo dos anos, o quadro causou polêmica entre historiadores. Em 1972, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais promulgou a Lei nº 5.984, considerando-o como efígie oficial do artista. A alegação de que se tratava do rosto do Mestre do Barroco se baseou na imagem representada ao fundo da pintura, em segundo plano, que parecia idêntica a uma obra de autoria do artista.

Janice Miranda Coordenação – Comunicação/Educativo
Museu de Congonhas

(31) 3731 6747 – (31) 99821-0976



Sociedade

Festival colaborativo de criatividade – Inscreva-se.

A Revolução Criativa começa agora

World Creativity Day é o maior festival colaborativo de criatividade do mundo e acontece nos dias 21 e 22 de abril em diversas cidades ao redor do mundo. Faça parte e comece a revolução criativa na sua cidade.

O que é o Dia Mundial da Criatividade?

Em 2017, a ONU – Organização das Nações Unidas, reconheceu o dia 21 de abril como data oficial para celebrar criatividade em todo o mundo.

Em 2018, Lucas Foster ativou, através da ProjectHub e LabCriativo, 13 cidades brasileiras para celebrarem a criatividade através de diversas atividades acontecendo ao mesmo tempo, em todo o território nacional.


“Se você acredita que sua criatividade é capaz de inspirar uma revolução na aprendizagem e acelerar o desenvolvimento de novas habilidades por um mundo melhor, inscreva-se agora como inspirador e seja parte do maior festival colaborativo de criatividade do mundo.”

Para mais detalhes, acesse o link : https://www.worldcreativityday.com/brazil

Fonte: https://www.worldcreativityday.com/brazil

Cultura

ÚLTIMOS DIAS: ACADEMIA ORQUESTRA OURO PRETO ABRE VAGAS PARA JOVENS MÚSICOS BOLSISTAS

Inscrições para viola, violino e contrabaixo estão abertas até 25 de fevereiro

A Orquestra Ouro Preto abre três vagas para o edital de seleção de sua Academia, com oportunidade para jovens músicos, com idade entre 18 e 28 anos, desenvolverem seus talentos por meio da prática orquestral. As inscrições estão abertas até o dia 25 de fevereiro com 1 vaga para violino, 1 para viola e 1 vaga para contrabaixo.

A seleção será virtual e as audições serão realizadas por meio da análise dos vídeos enviados. Os candidatos deverão executar duas peças ou movimentos de livre escolha dentro da literatura do instrumento, sendo exigido que os movimentos sejam contrastantes, ou seja, um mais lento e outro mais dinâmico.

A Academia Orquestra Ouro Preto, que é patrocinada pela SulAmérica, propõe desenvolver músicos que já possuam conhecimento em seu instrumento, para emergir na prática da música em conjunto, a partir do conceito de excelência e versatilidade que tem dado destaque à própria formação principal. Para o violinista João Victor Romano, “muitos músicos, assim como eu, vieram de centros de formação e projetos sociais e faltava essa transição para a orquestra profissional; a Academia vem, então, com esse propósito de dar essa vivência prática daquilo que aprendemos e a música de concerto é sempre um aprendizado”, completou.

Em função da pandemia, o início das aulas será feito através de Plataforma de Ensino a Distância enquanto as regras de isolamento social persistirem. Após a abertura, total ou parcial, as aulas serão presenciais e em Belo Horizonte. Os aprovados receberão bolsas de R$700,00 e participarão do projeto por um período de 10 meses, entre março e dezembro de 2021.

O edital com as informações completas e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.orquestraouropreto.com.br.

Fonte: https://www.ouropreto.com.br/