Tag Archives: patrimônio cultural

Cultura

Últimos dias para inscrições no Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

A premiação nacional promovida pelo Iphan reconhece ações de excelência para preservação e promoção do Patrimônio Cultural Brasileiro

As inscrições para a 34ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade se encerram no próximo dia 15 de agosto. Maior premiação no campo do Patrimônio Cultural, o concurso promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo, vai selecionar doze ações em todo o país. As inscrições podem ser realizadas via formulário digital.

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade reconhece ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro que mereçam registro, divulgação e reconhecimento público em razão da sua originalidade, vulto ou caráter exemplar. Confira os vencedores das edições anteriores.

Podem concorrer a premiação de R$ 20 mil reais ações desenvolvidas pelo poder público, cooperativas e associações formalizadas, redes e coletivos não formalizados, pessoas físicas, microempreendedor individual e microempresa. Fundações e empresas privadas poderão ser indicadas à menção honrosa, segmento no qual não há remuneração em espécie, mas confere certificação e selo do Prêmio Rodrigo 2021.

“É importante iniciar o preenchimento do formulário com antecedência para terem tempo de reler e aprimorar a apresentação da ação e de seus resultados. O Prêmio Rodrigo analisa todos os anos inúmeras ações de reconhecida excelência e, muitas vezes, a premiação das finalistas são decididas por detalhes”, informa o diretor do Departamento de Cooperação e Fomento do Iphan, Raphael Hallack. “Nesse sentido, a boa escrita e o preenchimento do formulário ajudam em todas as etapas da premiação, além disso é recomendável não deixar o envio da inscrição para últimos dias para evitar lentidão do sistema.”

O edital do ano de 2021 traz algumas novidades. Ele busca integrar o conceito de patrimônio material e imaterial em uma categoria e contempla o momento singular em que vivemos premiando as ações que se adaptaram ao contexto da pandemia. “O Iphan agradece todos que contribuem para realização do prêmio e aos participantes pelos esforços na adaptação e continuidade da salvaguarda e preservação de nossas referências culturais.”, destaca Raphael Hallack.

Etapas do prêmio

As ações inscritas serão avaliadas, inicialmente, nas comissões estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada estado e presididas pelos superintendentes. Iniciativas vencedoras na etapa estadual serão analisadas pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidência do Iphan e por 20 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural.

O resultado da etapa regional está previsto para final de outubro. Já as doze ações vencedoras em nível nacional serão divulgadas em dezembro.

Histórico do Prêmio

O nome do Prêmio é uma homenagem ao advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade, nascido em 1898, em Belo Horizonte (MG). Entre 1934 e 1945, período em que Gustavo Capanema era ministro da Educação, Rodrigo integrou o grupo formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922, quando se tornou o maior responsável pela consolidação jurídica do tema Patrimônio Cultural no Brasil. Em 1937 esteve à frente da criação do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), atual Iphan, o qual presidiu por 30 anos. 

Serviço

34ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

Inscrições: até 15 de agosto

Inscreva sua ação

Mais informações

Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Adriana Araújo – adriana.araujo@iphan.gov.br
Letícia Maciel –  leticia.vale@iphan.gov.br
(61) 2024-5512

www.gov.br/iphan/
ww.facebook.com/IphanGovBr
www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Fonte: https://www.gov.br/

Cultura

Varginha conquista 1º lugar na pontuação do ICMS Patrimônio Cultural do Sul de Minas

A conquista do 1º lugar na região na pontuação do ICMS Patrimônio Cultural se refere às atividades desenvolvidas em Varginha em 2020.

Thetro Capitólio varginha reforma 2021
Reforma do Theatro Municipal Capitólio foi viabilizada pelos recursos do ICMS Patrimônio Cultural.

Com 21,04 pontos, Varginha obteve a maior pontuação do ICMS Patrimônio Cultural no Sul de Minas. A divulgação foi feita nesta segunda-feira (21/06) pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG).

Essa pontuação significa que Varginha vai receber mais recursos do Governo de Minas em 2022 que deverão ser reinvestidos no patrimônio cultural da cidade. Para se ter uma ideia, todo o dinheiro que está sendo aplicado na atual reforma do Theatro Capitólio advém das ações realizadas pela Prefeitura de Varginha, por meio da Fundação Cultural em anos anteriores.

A conquista do 1º lugar na região se refere às atividades desenvolvidas em 2020. Mesmo com a pandemia da Covid-19, os servidores da Coordenadoria Técnica do Patrimônio Cultural se reinventaram e desenvolveram várias ações em prol do setor da cidade. “Parabenizo a todos os servidores da Fundação Cultural por esta conquista que beneficia a cultura e a história do nosso município. Com estes recursos, poderemos investir cada vez mais na preservação como está sendo feito agora com o Theatro Capitólio. Esperamos que muito em breve o nosso teatro seja novamente palco das manifestações artísticas e culturais para nossa população”, destaca o prefeito Vérdi Lúcio Melo.

Dentre iniciativas desenvolvidas em 2020, pode-se citar as obras de conservação e manutenção do Theatro Capitólio, da antiga Estação Ferroviária, do Museu Municipal e Biblioteca Pública, além da restauração da Estátua da Deusa Vênus, atualmente instalada no Museu Municipal.

Na difusão e promoção do patrimônio cultural foram publicados os livros “Atas da Câmara Municipal 1915-16”, “Patrimônio Histórico – Varginha: nossa história, nosso presente”, além da impressão do calendário com fotos antigas da cidade, cartões-postais com as principais fazendas do município e selos em comemoração pelos 20 anos do Museu Municipal. Foi feito ainda o tombamento do retábulo da Capela da Fazenda da Figueira datado do Século XIX e o relatório de registro das Companhias de Reis.

A educação patrimonial foi promovida por meio de palestras virtuais em escolas de Varginha, a realização do I Seminário de Patrimônio Imaterial, do II Seminário de Patrimônio Cultural de Varginha, webinário “Educação, Museu e História Indígena”, webinário “Arquivos e Bibliotecas: espaços de memória, educação e cultura”, II Oficina de Educação Patrimonial, oficina de capacitação dos trabalhadores da obra de restauração da Usina da Ilha Grande e também capacitação para atuação dos conselheiros municipais de Patrimônio Cultural.

O diretor-superintendente da Fundação Cultural, Marquinho Benfica, enfatiza que “vamos continuar investindo cada vez mais nessa preservação, conservação, difusão e educação referente ao nosso patrimônio com diversas ações promovidas pela Coordenadoria Técnica do Patrimônio Cultural”.

A pontuação do ICMS Patrimônio Cultural vem subindo a cada ano. Em 2020, Varginha conquistou 16,74 pontos e ficou em segundo lugar na região, retomando as primeiras colocações no ranking.

Deusa Vênus foi restaurada em 2020 e iniciativa colaborou com o aumento da pontuação do ICMS Cultural de Varginha.

Fonte: https://varginhadigital.com.br/