Tag Archives: joão guimarães rosa

Cidades

Semana Rosiana celebra os 70 anos da viagem de 1952 e os 60 anos de lançamento do livro Primeiras Estórias
15 6 2022 minisemanarosiana

Entre os dias 10 e 16 de julho de 2022 será realizada a 34ª Semana Rosiana, em Cordisburgo/ MG. A edição deste ano tem duplo tema: os “70 anos da viagem de 1952 – a Boiada” e os “60 anos do livro Primeiras Estórias”. A Semana Rosiana acontece há 34 anos em data próxima ao aniversário de nascimento do escritor João Guimarães Rosa, atraindo para Cordisburgo um turismo cultural significativo proveniente de várias regiões do Estado e do país, além de reunir pesquisadores, estudiosos provenientes de vários centros acadêmicos e admiradores da obra rosiana. O evento abrange diferentes atividades artísticas, como narrações de estórias, caminhadas literárias urbana e eco-literária, roda de leitura, palestras, mesas redondas, oficinas de arte, apresentações teatrais, lançamento de livros, entrega de medalhas pela Câmara Municipal de Cordisburgo, posse de novos acadêmicos na Academia Cordisburguense de Letras Guimarães Rosa e feira gastronômica.

A Semana Rosiana é uma realização da Academia Cordisburguense de Letras e conta com apoio do Grupo de Contadores de Estórias Miguilim; CEMIG; Prefeitura Municipal de Cordisburgo; Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa; Grupo Caminhos do Sertão; Roda de Leitura do IEB/USP; Cordis Notícias; Câmara Municipal de Cordisburgo; Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Cordisburgo e Secretaria Municipal de Turismo de Cordisburgo.

70 ANOS DA VIAGEM DE 1952 – A BOIADA
Em maio de 1952, Guimarães Rosa realizou uma viagem ao sertão de Minas Gerais para acompanhar a travessia de uma boiada da fazenda da Sirga (Andrequicé, Três Marias-MG), de propriedade do seu primo Chico Moreira, até a fazenda São Francisco (Araçaí-MG). Nesse percurso de 240 km, o escritor registrou centenas de anotações numa cadernetinha de bolso. Anotou em detalhes suas observações, as cenas, inclusive a data, a hora em minutos e as léguas percorridas. O conjunto dessas notas de viagem denominou de “Boiada”. A viagem ganhou, na época, as páginas da revista “O Cruzeiro”, com reportagem do jornalista Álvares da Silva e fotografias de Eugênio Silva, que cobriram os últimos dias da travessia da “Boiada”.

A “Boiada” representa um inventário informal da fauna e da flora, uma cartografia do sertão mineiro na década de 1950 e uma descrição que enaltece a vida sociocultural sertaneja. A leitura das anotações de Guimarães Rosa transporta o leitor para o sertão de Minas e o leva a apreciar as descrições minuciosas e poéticas. O leitor se delicia e se encanta com os sons, os cheiros, as cores, o vento.

Guimarães Rosa buscava exatamente a natureza menos manipulada, menos transformada pelo modelo capitalista. Para tanto, viajou para o sertão de Minas, para a região de sua terra natal, Cordisburgo, a cidade do coração, outrora Vista Alegre. Ao invés do carro, uma mula; ao invés do urbano, o rural; em vez de diplomatas, vaqueiros e bois; ao invés de documentos oficiais, anotações.

Ao retornar ao Rio de Janeiro, onde residia, o escritor datilografou e organizou todas as anotações de “Boiada”. À medida que ia aproveitando essa “bela pilha de papel sortida de vitaminas” na criação de seus livros, anotava e cobria o texto com hachuras, tornando os datiloscritos coloridos e graciosos.

60 ANOS DO LIVRO PRIMEIRAS ESTÓRIAS
Publicado em 1962, seis anos depois do romance Grande Sertão: Veredas, Primeiras Estórias é considerado na escola literária como obra pertencente à terceira fase do Modernismo brasileiro. Seus vinte e um contos retratam os questionamentos de suas personagens sobre os conflitos da existência humana, o que corrobora o argumento de que Guimarães Rosa seja um escritor universalista.

Apesar de despertar curiosidade, pode-se justificar o título do livro a partir do resgate que o autor faz das narrativas em seus primórdios, em suas gênesis. Outro argumento que defende o título é a mudança na forma como o escritor escreve seus contos. Rosa apresenta contos mais compactos. Depois de lançar três grandes livros, com seiscentas páginas em média cada um, Primeiras Estórias é apresentado com contos mais curtos, reflexivos e herméticos, sem perder as características das escritas peculiares de Rosa. Já a palavra Estória sugere algo advindo da imaginação, apesar do escritor utilizar cenários e personagens reais em alguns contos.

Dentro da genialidade que se espera de Guimarães Rosa, é possível perceber que os contos dialogam entre si. Se espelham, se correspondem. Não é à toa que o escritor decide colocar bem no meio do livro, um conto chamado “O espelho”, entre os dez primeiros e dez últimos contos. Pode-se acreditar que esse conto seja um divisor de águas entre as demais estórias do livro.

Confira a programação completa no Instagram do Museu Casa Guimarães Rosa
@museuguimaraesrosa

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Cultura

Riobaldo, monólogo de Gilson de Barros, está em cartaz no teatro da Biblioteca Estadual

Adaptação da obra “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa para o teatro, será apresentado nos dias 3, 4 e 5 de junho; Ingressos custam R$ 40 (inteira)

31 5 2022
Renato Mangolin

O espetáculo Riobaldo, interpretado e adaptado pelo ator e pesquisador da obra de Guimarães Rosa, Gilson de Barros, com direção de Amir Haddad, faz apresentações no Teatro José Aparecido de Oliveira, da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais nos dias 3, 4 e 5 de junho. Uma adaptação do livro “Grande Sertão: Veredas”, romance considerado a obra-prima do escritor mineiro João Guimarães Rosa (1908- 1967) e um dos melhores da nossa literatura, o monólogo estará em cartaz na sexta-feira (3/6), no sábado (4/6) e no domingo (5/6), às 19h30. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) e podem ser adquiridos neste link.

Com direção de Amir Haddad “Riobaldo” é um recorte sobre os amores do ex-jagunço, que dá nome à peça, com três pessoas que determinaram sua travessia: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. Ao rememorar sua trajetória, Riobaldo reflete sobre questões que extrapolam o sertão e que estão contidas nos conflitos das travessias do homem humano.
“Riobaldo” estreou em março de 2020, no Espaço Cultural Sérgio Porto, no Rio de Janeiro (RJ). Uma semana depois, teve a temporada cancelada em decorrência da pandemia. Manteve sua interlocução com o público por meio de lives entre ator e diretor, e foi pioneira nas apresentações virtuais. Voltou ao cartaz em 2021, fazendo temporadas na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca e no Teatro Gláucio Gil, em Copacabana. Em 2022 inicia turnê pelo país. A primeira parada foi São Paulo, no Teatro Sérgio Cardoso. Agora, Belo Horizonte. 

Sinopse
Personagem central do romance Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, o ex-jagunço Riobaldo relembra seus três grandes amores: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. O incompreendido amor homossexual por Diadorim, o amigo que lhe apresentou a vida de jagunço e lhe abriu as portas do conhecimento da natureza e do humano, levando-o ao pacto fáustico; o amor carnal e sem julgamentos pela prostituta Nhorinhá; e o amor purificador por Otacília, a esposa, que o resgatou do pacto fáustico e o converteu num ‘homem de bem’.
 
Serviço:
Riobaldo
Temporada:Dias 3, 4 e 5 de junho, sexta-feira, sábado e domingo, às 19.30h.
Local:Teatro José Aparecido de Oliveira – Biblioteca Pública Estadual (Praça da Liberdade, 21 – Savassi)
Ingressos:R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada)
Compras pelo site www.sympla.com.br/riobaldoteatro
Duração:65 min
Classificação indicativa:16 anos
Capacidade:180 lugares

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Cidades

A HISTÓRIA DE ARAÇAÍ (MG) É REVELADA SEGUINDO OS TRILHOS DO TREM NO PROGRAMA ESTAÇÕES, DA REDE MINAS, NESTA TERÇA (28)
Araçaí – Divulgação Rede Minas

Araçaí, na região central de Minas Gerais, foi o último destino de João Guimarães Rosa na viagem pelo sertão mineiro que inspirou o romance “Grande Sertão: Veredas”. A travessia aconteceu 80 anos depois do início do povoado. O local, que serviu de inspiração para o célebre escritor, teve sua história marcada pela linha do trem e esse é o ponto de partida do programa Estações, da Rede Minas. Em 1903, cerca de 30 anos depois da chegada dos primeiros habitantes, a maria-fumaça, da “Estação de Ferro Central do Brasil”, apitava no lugarejo, trazendo gente, cartas, mercadorias e o progresso. A atração presenteia o público com uma viagem no tempo nesta terça (28), às 20h.

A escritora Marília Pereira Soares Rocha, coautora do livro “Araçaí – Pedacinho do Paraíso”, é uma das entrevistadas do programa. É na Estação de Ferro de Araçaí, patrimônio municipal, que ela revela a história e as curiosidades que tornam o local ainda mais fascinante. O programa ainda traz depoimentos de ferroviários que participaram desse enredo e ainda mostra a Estação Carvalho de Almeida, que abrigou, no seu entorno, os primeiros trabalhadores que serviram às locomotivas.

Marília Pereira Soares Rocha – divulgação Rede Minas

O “Estações” vai ao ar nesta terça-feira (28), às 20h, e mostra Araçaí, município localizado na região central de Minas Gerais e que faz parte do circuito turístico Guimarães Rosa. O público confere a atração pela Rede Minas e pela internet, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv

A nova temporada do programa faz parte do “Gerais+Minas”, da Rede Minas. O projeto da Empresa Mineira de Comunicação (EMC) contempla diversas ações de municipalização da programação das emissoras de comunicação do estado para mostrar a variedade da cultura, culinária, história, arte e natureza em Minas Gerais. A Empresa Mineira de Comunicação é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult – MG). Para mais informações, acesse o site geraismaisminas.mg.gov.br.

SERVIÇO:
Estações – 3ª temporada
4º Episódio – Araçaí
Data: terça-feira (28), às 20h, pela Rede Minas e pelo site da emissora: redeminas.tv

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
+55 31-3254-3431