Tag Archives: fotos

Cultura

Exposição Flora Poética faz releitura imagética de Diadorim a partir dos cenários naturais do Alto Jequitinhonha

Fotografias e objetos representam as diferentes metáforas atribuídas à enigmática personagem de Grande Sertão: Veredas

10 12 2021 miniexpo

Fotografia e Literatura, duas linguagens artísticas que se conectam e se complementam, estão reunidas na nova exposição gratuita que ocupa a galeria de arte Paulo Campos Guimarães, da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. Trata-se da mostra “Flora Poética”, de autoria dos artistas Lucas Sousa e Wágner Pena, e que tem inspiração em uma das personagens mais icônicas do universo literário brasileiro: Diadorim, de Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa.

Na mostra, os artistas analisam as diferentes metáforas e alegorias enigmáticas atribuídas a Diadorim ao longo da extensa narrativa de Guimarães Rosa. Ao todo, são 26 fotografias com registros da natureza, das humanidades e da relação das pessoas com o ambiente. As imagens foram capturadas no Alto Vale do Jequitinhonha, na cidade de Couto Magalhães de Minas, nas comunidades Água Espalhada e Amendoim (ambas pertencentes ao município) e em Inhaí (distrito de Diamantina).

“Nosso ponto de partida para o desenvolvimento da proposta foi a análise da problemática do corpo da personagem Diadorim – geralmente associadas à natureza – como em ‘Diadorim é minha neblina’. A não definição de um corpo masculino ou feminino e que aponta para uma construção de persona e elementos simbólicos hermafroditos, nos fez realizar, também, uma releitura do clássico literário brasileiro”, destaca Wágner Pena.

“Flora Poética” possui dois momentos de interlocução. O primeiro é formado por um conjunto de obras que se apresentam por meio de uma singularidade do encontro entre propostas conceituais da Estética Clássica e do Grotesco, construídas sempre com algum elemento da natureza, como flores, galhos de árvore e pedras.

O segundo momento relaciona o sertão às imagens daquilo que Guimarães Rosa evocou em seu romance: riquezas botânicas, culturais, religiosas, artísticas, linguísticas, manifestações populares em ritos, mitos, crenças, lendas, na cor, no som, na matéria prima da arte, na argila, na palha, nas flores, nas folhas e no seu povo sertanejo.

Os trabalhos podem ser visitados de 14 de dezembro de 2021 a 29 de janeiro de 2022, com entrada gratuita. O espaço funciona de segunda a sexta, das 10h às 16h, e aos sábados, das 8h às 12h. Não é necessário o agendamento prévio para visitações, mas os protocolos de proteção devem ser seguidos durante a permanência no ambiente. O uso de máscaras, por exemplo, é obrigatório.

Outros elementos
Além das fotografias, “Flora Poética” reúne uma série de objetos que captam a essência das culturas populares e fazeres tradicionais característicos da região do Alto Jequitinhonha. O acervo expositivo conta com um estandarte, alguns pássaros de madeira, objetos urdidos em palha e cipó, casinhas e santos esculpidos em argila, flâmula de fio de linho, dois tecidos e um pequeno tronco envernizado de madeira.

Sobre os artistas
Lucas Sousa é paraense, natural da cidade de Viseu, região nordeste do estado. Há seis anos reside em Diamantina (MG). É bacharel interdisciplinar em Humanidades pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e licenciando em Letras Português/Espanhol pela mesma instituição. É pesquisador no Grupo de Estudos em Literatura, Arte e Cultura – LAC (UFVJM/CNPq), agente cultural (IFSul-Rio-Grandense) e curador independente.

Wágner Pena é mineiro, de Couto Magalhães de Minas, fotógrafo autodidata, que já teve trabalhos expostos em Belo Horizonte no Centro Cultural Zilah Spósito e no Palácio das Artes. Em Montes Claros, o artista expôs o Projeto “Para ter beleza não precisa ter idade”, no Centro Cultural Hermes de Paula, culminando na produção e lançamento de 40 livros artesanais.

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/