Tag Archives: cultura

Sociedade

Cemig comemora 70 anos com programação especial

A partir de 20/5, várias atrações culturais e de lazer estarão disponíveis gratuitamente para a população

imagem de destaque

Cemig completa, no próximo domingo (22/5), 70 anos de fundação. São sete décadas dedicadas ao desenvolvimento econômico, social e cultural de Minas Gerais. Para celebrar a data, a empresa está preparando uma programação especial com série de atrações culturais e de lazer, voltada para todas as idades, além da realização da corrida de rua Cemig Run. Serão 14 dias de apresentações culturais, todas de projetos incentivados pela Cemig, além de outras iniciativas.

Em Belo Horizonte, o público poderá acompanhar tudo em espaços montados e estruturados, no prédio da empresa, para receber as atrações.

Na reabertura, após hiato de dois anos em razão da pandemia de covid-19, a Galeria de Arte Cemig recebe exposição em comemoração aos 50 anos do Grupo Giramundo.

Diretor de Comunicação e Sustentabilidade da Cemig, Cláudio Bianchini destaca o comprometimento da companhia com a cultura mineira. “Essa programação reforça o compromisso da Cemig como a maior incentivadora da cultura em Minas Gerais. E é uma grande satisfação podermos comemorar o aniversário de 70 anos da companhia juntamente com os 50 anos do Grupo Giramundo, que tem a empresa como seu principal incentivador desde 2020. A exposição inclui a digitalização completa do acervo de um dos maiores grupos de teatro de bonecos do Brasil. Um presente para a população mineira”, completa.

Infantil

Além dessa atração, a programação também terá atividades voltadas para o público infantil. As crianças vão se divertir com uma seleção de espetáculos de música e teatro na concha acústica, no jardim do edifício sede da Cemig. Entre as apresentações estão o teatro O Tubarão Martelo e os Habitantes do Fundo do Mar e o show do grupo Pé de Sonho, por exemplo.

A entrada é gratuita, com ingressos da programação disponíveis no Sympla. Interessados devem acessar a plataforma para garantir o ingresso. Os bilhetes devem ser apresentados no local das atrações e o público deve ficar atento à capacidade do espaço, além de restrições e protocolos de prevenção adotados em cada atividade.

Cemig Run

Com o retorno das atividades em grupo após dois anos em período de isolamento, a corrida Cemig Run estará de volta, com prova realizada no domingo (22/5). As inscrições já foram encerradas.

A prova terá largadas e chegadas na Avenida Barbacena, em frente ao prédio da Cemig, conforme percursos e distâncias detalhados nos mapas específicos de cada modalidade: Corrida de 10 quilômetros; Corrida de 5 quilômetros; Caminhada 3 quilômetros e Caminhada Kids (nascidos entre 2009 e 2018). A arena será aberta às 7h e a primeira largada está marcada para 8h.

Encerramento

O encerramento das festividades ficará por conta da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que apresentará um concerto em homenagem aos 70 anos da Cemig, na segunda-feira (6/6). Confira abaixo as atrações e mais informações sobre a programação especial em comemoração ao aniversário da companhia.

Veja a programação completa neste link.

Fonte: https://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/cemig-comemora-70-anos-com-programacao-especial

Gastronomia

Dia dos Queijos Artesanais de Minas é comemorado nesta segunda-feira (16/5)

Produto artesanal está entre os principais destaques agropecuários do estado

imagem de destaque
Epamig / Divulgação

Nesta segunda-feira (16/5), é comemorado o Dia dos Queijos Artesanais de Minas Gerais. A data, instituída há cinco anos, é fruto da Lei Estadual 22.506.

A legislação foi um ato de reconhecimento da importância desses tipos de queijos feitos de leite cru, sem processo de pasteurização. A homenagem faz jus a um dos produtos agropecuários mais apreciados e respeitados em Minas e em outros estados do país. A valorização dos queijos artesanais tem relação com os aspectos gastronômico, econômico, social e cultural. As variadas receitas de queijos artesanais costumam seguir tradições históricas, passadas de geração em geração por famílias de produtores rurais.

O dia e o mês escolhidos para os queijos artesanais mineiros remetem ao registro, em 2008, do Modo Artesanal de Fazer Queijo de Minas nas regiões do Serro, Serra da Canastra e Salitre.

Naquele ano, o jeito de produzir a iguaria foi lançado na categoria Saberes, pelo Conselho Consultivo do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), tendo sido o quarto bem registrado no Livro de Registro dos Saberes. Um dos queijos artesanais feitos no estado, o Queijo Minas Artesanal (QMA), é reconhecido também como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Iphan.

Estimativas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater) apontam que a produção de queijos artesanais gera renda e ocupação para cerca de 30 mil famílias de todas as regiões do estado. Juntas, essas famílias produzem cerca de 85 mil toneladas do produto ao ano. Também mostram que, somente o QMA, primeiro queijo artesanal mineiro a ser regulamentado pela Lei Estadual 14.185/2002, é a fonte de renda de aproximadamente 9 mil famílias.

Queijo Minas Artesanal (QMA)

O Queijo Minas Artesanal (QMA) é uma das muitas variedades de queijo artesanal produzidas em Minas Gerais. Como outros tipos artesanais, ele é feito de leite de vaca cru, sem pasteurização e costuma seguir processos tradicionais de confecção, em pequenas propriedades. “Foi o primeiro queijo a ser caracterizado no estado. O leite cru tem de ser produzido, exclusivamente, na propriedade de origem do queijo. Utiliza pingo, coalho, salga a seco e passa por processo de maturação, adquirindo uma casca lisa e amarelada”, explica a coordenadora técnica estadual da Emater-MG, Maria Edinice Soares.

Nos dois últimos meses, Minas Gerais ganhou oficialmente mais duas novas regiões produtoras de Queijo Minas Artesanal. Em março, o governador Romeu Zema anunciou o reconhecimento da região de Diamantina que, além do município de mesmo nome, incluiu outros oito da redondeza. Já em abril, o governador noticiou mais uma região produtora do QMA. Nomeada de Entre Serras da Piedade ao Caraça, ela contempla os municípios de Catas Altas, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Bom Jesus do Amparo e Caeté.

Com a oficialização dessas novas áreas produtoras de QMA, Minas Gerais totaliza agora dez microrregiões caracterizadas. São elas: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Diamantina, Entre Serras da Piedade ao Caraça, Serras da Ibitipoca, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. Segundo informações do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), somente produtores dessas regiões são autorizados a usarem o nome da região na embalagem.

Produtores

O presidente da Associação de Produtores de Queijo da Região de Diamantina (Aprodia), Leandro Pereira de Assis, está apostando no crescimento do mercado para os queijeiros da nova região e também no incremento das atividades turísticas locais. “Vai agregar mais valor ainda ao produto, porque será mais procurado no mercado. Também vai ser mais um atrativo para o turismo, pois estamos montando rotas de vivência nas propriedades rurais produtoras aqui da região de Diamantina”, afirma.

Segundo o presidente da Aprodia, as chamadas rotas de vivências são passeios para turistas nas propriedades produtoras de queijo. Nesses locais eles podem acompanhar todo o processo de produção do queijo: do manejo do gado e ordenha até a fabricação do laticínio. “Alguns até ajudam a fazer o queijo. E, no final da produção, todos podem degustar o queijo fresco que ajudaram a fazer e também um queijo maturado de 40 dias, que partimos para todos comerem”, explica Leandro.

O produtor Richard Andrich Santos está aplaudindo a oficialização da região Diamantina como produtora do Queijo Minas Artesanal. Proprietário do Sitio das Lajes, em Datas, ele produz entre seis e oito queijos por dia. Ele conta que aprendeu o ofício com os vizinhos e produz há 15 anos, embora conheça a região há três décadas. O produto é comercializado principalmente para Belo Horizonte.

“Aprendi a fazer o queijo com meus vizinhos da forma como se faz tradicionalmente: leite cru, coalho, pingo e sal. Sei que estão homologando uma coisa que existe aqui há séculos. É o reconhecimento, com a própria palavra diz, de um produto que faz parte da cultura e tradição do povo da região”, argumenta.

Turismo de experiência

Como o presidente da Aprodia, Richard já vislumbra o potencial turístico surgido com a criação da nova região produtora de Queijo Minas Artesanal de Diamantina e faz planos para atrair esse público. “As pousadas sempre mandam turistas. Por isso, pretendo melhorar a nossa estrutura, construindo sanitários masculino e feminino, fora da casa”, revela.

Ele considera sua produção de queijo pequena, mas seleta, pois o leite vem do Guzerá, considerado um gado puro, mas que não produz muito leite. “O gado é criado a pasto e produz leite de altíssima qualidade. Tanto que ganhamos o primeiro lugar, na categoria Super Ouro, do Mundial de Queijos do Brasil, em 2019, na cidade de Araxá”, informa, acrescentando que também trabalha para aumentar a produção do queijo.

No município de Rio Piracicaba, na recém-criada região de Entre Serras da Piedade ao Caraça, o produtor Pedro Henrique e sua família também têm uma história secular com a produção de queijo. Há pouco mais de cinco anos, ele resgatou a tradição de fazer queijo maturado na tábua e, a partir daí, surgiu o interesse de legalizar a produção, o que foi concluído no final do ano passado, com a obtenção do Selo Arte. Agora, o seu queijo pode ser comercializado em todo o país.

Para o produtor piracicabense, o reconhecimento da nova região vai trazer mais oportunidades aos produtores. “A partir de hoje, nosso produto passa a ter mais valorização no mercado. As cidades que estão situadas em uma região reconhecida como produtora de Queijo Minas Artesanal ganham visibilidade”, afirmou.

Tipos artesanais

Além das dez microrregiões produtoras do Queijo Minas Artesanal, o estado mineiro tem mais outras cinco regiões caracterizadas. Isso significa que passaram por estudo que identificou e definiu o tipo de queijo. Essas regiões produzem os seguintes queijos artesanais: Cabacinha, Serra Geral, Vale do Suaçuí, Alagoa e Mantiqueira de Minas.

Hoje, já se sabe que cada um deles tem características peculiares, como o sabor, por exemplo, que sofre a influência do clima e da pastagem predominante. A origem e manejo do rebanho e até o perfil do produtor também são determinantes no tipo de queijo de cada lugar.

O queijo artesanal Cabacinha é produzido na região do Vale do Jequitinhonha. É feito de leite cru de vaca, mas a massa é aquecida, sem chegar a pasteurizar. Recebe soro fermento, retirado no final da mexedura da massa e reservado em temperatura ambiente para ser usado no dia seguinte, na fabricação do queijo. É moldado manualmente em forma de cabacinha.

Já o queijo artesanal da Serra Geral, produzido em 17 municípios da região Norte de Minas Gerais, não tem um processo definido quanto à forma de fazer. ”Ainda está em fase de estudo. Mas é feito de leite cru e coalho, sendo comercializado fresco”, esclarece a coordenadora Maria Edinice.

Por outro lado, os artesanais: queijo do Vale do Suaçuí, queijo de Alagoa e queijo da Mantiqueira de Minas têm praticamente o mesmo modo de fazer com pequenas diferenças: leite cru de vaca, soro fermento e coalho. A massa passa por um processo de cozimento, enformagem e salga salmoura.

Emater-MG

A Emater-MG trabalha em parceria com o órgão estadual de inspeção sanitária, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que registra as queijarias do estado. O registro legaliza a situação dos estabelecimentos para que possam comercializar seus produtos, com segurança para o consumidor, em Minas Gerais e outros estados do país. Sendo que, para vender fora das divisas mineiras, além do registro, o produtor precisa solicitar também o Selo Arte.

“O primeiro passo pra quem deseja legalizar o queijo que produz é procurar o escritório da Emater-MG, para que o extensionista orientar sobre o processo. O nosso papel é apoiar o produtor na organização dos documentos exigidos pelos órgãos de habilitação sanitária”, explica Maria Edinice. Ainda segundo a técnica, o IMA não trabalha mais com a figura do cadastro, mas com registro. Ao registrar a queijaria no IMA, o produtor poderá solicitar o Selo Arte.

Fonte: https://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/dia-dos-queijos-artesanais-de-minas-e-comemorado-nesta-segunda-feira-16-5

Cultura

Mostrô integra programação de comemoração dos 40 anos do Museu Mineiro

Feira será realizada ao ar livre, no gramado do Museu Mineiro, no sábado e domingo, dias 07 e 08 de maio

5 5 2022 minimostro

A sétima edição da Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz, especial Dia das Mães, irá integrar a programação especial das comemorações dos 40 anos do Museu Mineiro.

A entrada será gratuita e o evento será realizado no sábado (07/05) e no domingo (08/05), com horário das 10h às 17h. A feira Mostrô ocorrerá ao ar livre, no gramado do Museu Mineiro.

Além de um convite ao público para conferir as exposições e o prédio do Museu Mineiro, a Mostrô será uma oportunidade para que as pessoas possam fazer suas compras para o Dia das Mães e aproveitar um dia com muita música e gastronomia. Serão mais de 100 expositores divididos entre os 2 dias de evento.

Com atrações que vão desde gastronomia a artesanato, a Mostrô contará, ainda, com a trilha sonora da DJ Miss Cooler que trará os melhores hits dos anos 1960 a 1990.

A Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz é realizada pela “Da Terra Gestão Cultural” e tem o apoio institucional do Museu Mineiro e do Museu das Minas e do Metal| Gerdau. A iniciativa evidencia diferentes linguagens artísticas, como artesanato, gastronomia, design e literatura.

A proposta da Mostrô é valorizar a economia criativa de Minas Gerais ao dar visibilidade ao trabalho de artistas, produtores e trabalhadores e trabalhadoras da cultura no estado.

Museu Mineiro
Localizado na Avenida João Pinheiro, corredor de acesso à Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, o Museu Mineiro está instalado em um edifício eclético construído em fins do século XIX pela Comissão Construtora da Nova Capital. Tendo sido construída para servir de residência para o Secretário da Agricultura, a edificação serviu de sede para o Senado Mineiro, foi a Pagadoria Geral do Estado até se tornar a sede do Museu Mineiro.

Inaugurado em 1982, o Museu Mineiro reúne em seu acervo um conjunto bastante diversificado de objetos referentes à história e à produção cultural e artística mineiras. Nas salas de exposição são exibidas obras de artistas consagrados, tais como: Manoel da Costa Ataíde, Yara Tupynambá, Amílcar de Castro, Jeanne Milde, Inimá de Paula, Lótus Lobo, Celso Renato, Sara Ávila, Guignard, Maria Helena Andrés, Di Cavalcanti etc.

Atualmente, o Museu exibe a exposição de longa duração “Minas das Artes, Histórias Gerais”, onde o visitante tem a oportunidade de conhecer uma vasta coleção de arte sacra, datada dos séculos XVIII e XIX, além de preciosidades do acervo, como a bandeira da Inconfidência Mineira, os manuscritos originais da obra “Tutaméia” de Guimarães Rosa, o retrato de Aleijadinho e a coleção de santos de devoção popular.

O Museu Mineiro é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

Serviço
Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz
Datas de realização: 7 e 8 de maio de 2022 (sábado e domingo)
Horário: das 10h às 17h
Local: Museu Mineiro
Entrada Gratuita
Instagram: https://www.instagram.com/mostrobh/

Museu Mineiro
Endereço: Av. João Pinheiro, 342 – Centro – BH/MG. CEP: 30130-180
E-mail: museumineiro@secult.mg.gov.br
Facebook: https://www.facebook.com/museumineiro.mg/
Instagram: https://www.instagram.com/museumineiro/
Site: http://www.museumineiro.mg.gov.br/

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Gastronomia

“ANO DA MINEIRIDADE” É TEMA DE EDIÇÕES MENSAIS DO BRASIL DAS GERAIS, DA REDE MINAS

Atração estreia com cozinha mineira e tradições culturais em programa que é exibido em duas partes, nos dias 08 e 15 de abril

Rosilene Campolina, Patrícia Pinho e Márcia Nunes – divulgação Rede Minas

O “Ano da Mineiridade” começa no Brasil das Gerais, da Rede Minas. A temática é apresentada no programa em uma edição especial por mês. Com foco em regionalidade, comportamento e tradição, a atração vai destacar o patrimônio de Minas Gerais e os mineiros. Para estrear o especial, o Brasil das Gerais traz a cozinha mineira e as tradições regionais para o debate. Dividido em duas partes que serão exibidas nos dias 8 e 15 de abril, o programa recebe as chefs Rosilene Campolina e Márcia Nunes, além de outros convidados. Em um bate-papo com a jornalista Patrícia Pinho, elas confirmam os versos de José Duduca de Moraes e provam que quem conhece Minas Gerais “não esquece jamais”.

Pode-se dizer que o mineiro “prende pela boca”. A expressão confirma aquilo que moradores e turistas conhecem: o sabor da cozinha mineira. A valorização entrou na pauta do governo, que deu início ao processo de reconhecimento da culinária como patrimônio. A riqueza dos ingredientes e pratos estão na edição de estreia do “Ano da Mineiridade”, do Brasil das Gerais, desta sexta (08). Além de Rosilene Campolina e Márcia Nunes, o programa ainda conta com a participação de produtores do sul de Minas. A atração traz os depoimentos de Gláucio Peron, produtor de doces de Poços de Caldas que fez uma iguaria de abóbora de 633 quilos e entrou no livro dos recordes, e Osvaldinho Filho, de Alagoa, premiado na França com o queijo artesanal.

A riqueza cultural é tema da segunda parte do especial deste mês, “Ano da Mineiridade”, no dia 15/04. As tradições mineiras ganham espaço no programa. Márcia Nunes, que também é historiadora, tempera o assunto com o seu livro “Festa do Rosário do Serro”. A atração traz, também, depoimentos de Fabiano Rabelo, caboclo da Festa do Rosário do Serro, e a varginhense Angelina Almeida, que herdou do pai a tradição da cabaça, do plantio à produção de peças artesanais.

Ano da Mineiridade
Lançado em março, o Ano da Mineiridade é uma iniciativa do Governo de Minas Gerais e da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) para exaltar Minas Gerais e as características únicas pelas quais o povo mineiro é reconhecido.

Sob o comando de Patrícia Pinho, o especial “Ano da Mineiridade” no programa Brasil das Gerais, será exibido mensalmente. A edição de estreia, dividida em duas partes, vai ao ar às sextas, dias 08 e 15 de abril, às 13h, pela Rede Minas e no site da emissora: redeminas.tv. Após a exibição, o público pode conferir a atração pelo YouTube: youtube.com/brasildasgerais.

Serviço:
Brasil das Gerais: Ano da Mineiridade (edições mensais)
Cozinha mineira e tradições culturais – às sextas, dias 8 e 15 de abril, às 13h, pela Rede Minas e redeminas.tv

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessoria de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social – Rede Minas
tatianacoutinho.tc@gmail.com
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
+55 31 3254-3081

Educação

Projeto levou arte e cultura para estudantes do Pires, em Congonhas

Alunos da Escola Municipal Sr. Odorico Martinho da Silva, na localidade do Pires, em Congonhas, aprenderam e se divertiram com o projeto “Brincando com Arte”. Os trabalhos desenvolvidos pelos estudantes deram origem a uma exposição que já pode ser conferida em www.bushidoproducoes.com.br/brincandocomarte-congonhas/.

A iniciativa levou aos participantes do Pires informações teóricas e permitiu a prática de capacitação em artes cênicas, como a construção de bonecos, desenvolvimento de cenários, elaboração de objetos artísticos, ilustrações e outras técnicas. As atividades foram desenvolvidas de 19 de outubro a 11 de novembro e beneficiaram 46 alunos.

O “Brincando com Arte” tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento de habilidades individuais e coletivas relacionadas à criação artística, sociabilidade e psicomotricidade.

Para o coordenador geral do projeto, Guilherme Aragão, a iniciativa trouxe conhecimento e arte a uma comunidade com restrito acesso à cultura. O bairro Pires está localizado às margens da BR-040, a 15 quilômetros do Centro de Congonhas. “Todo o material foi disponibilizado de forma gratuita aos participantes, que se divertiram e criaram peças de muito talento”, afirma Guilherme.

O projeto “Brincando com Arte” (Pronac 182478) é uma realização da Bushido Produções, com patrocínio da JMN e da Ferro+, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Informações para a imprensa:
Hiper Teia Comunicação e Eventos – Janice Miranda
(31) 99821-0976 | hiper_teia@yahoo.com

Sociedade

Peça gratuita sobre aquecimento global é apresentada para crianças do interior de MG

As apresentações acontecerão entre os dias 16 e 19 de novembro, em escolas de duas cidades diferentes

Trechos da peça “Entendendo as Mudanças Climáticas”

Estudantes de escolas públicas com idades entre 08 e 12 anos terão a oportunidade de assistir à peça “Entendendo as Mudanças Climáticas”, que aborda, de forma divertida, um tema bastante sério: o aquecimento global. O projeto “Diverte Teatro Viajante” está fazendo, neste mês de novembro, apresentações gratuitas em escolas públicas nas cidades de Carandaí e Santos Dumont, em Minas Gerais.

O projeto é idealizado e realizado pelo Diverte Teatro Viajante, que leva cultura, entretenimento, arte e conhecimento através do teatro para crianças e adolescentes de todo o Brasil. Por meio de lei federal de incentivo à cultura, as apresentações contam com o apoio do Ministério do Turismo e da NTS – Nova Transportadora do Sudeste, responsável pelo transporte de gás natural da região. Serão 12 apresentações divididas entre as duas cidades, que ocorrerão em um período de 4 dias.

No espetáculo, cientistas recebem uma mensagem da Ursa Rosa, que mora no Polo Norte e pede socorro, pois o gelo está derretendo e o nível do mar está subindo. Cientistas recebem a mensagem e convidam a plateia a pensar sobre as mudanças climáticas que afetam a Terra e colocam em risco a vida da ursa e de todos os seres vivos.

Com uma linguagem simples, muita interação com o público e experiências científicas no palco, a peça sobre as mudanças climáticas torna o assunto acessível e interessante. De forma divertida, as crianças entendem sobre como suas atitudes podem ajudar a frear o aquecimento global.

“Acreditamos que gerar reflexão por meio de brincadeiras é a melhor forma de mudar atitudes e conscientizar as próximas gerações. A ideia é que os participantes entendam como a colaboração de todos pode fazer a diferença”, conta o diretor do projeto, Júlio Martinez.

Trechos da peça “Entendendo as Mudanças Climáticas”

Serviço Espetáculo “Entendendo as Mudanças Climáticas”

Com o objetivo de ampliar a inclusão por meio da experiência artística, o Diverte Teatro Viajante realiza espetáculos que contam com acessibilidade para pessoas com deficiência.

Carandaí (MG)

Data: 16/11/2021
Horários: 10h e 13h
Local: E.M. Pref. Abeilard Rodrigues Pereira
Endereço: Distrito de Hermilo Alves

Data: 16/11/2021
Horário: 16h
Local: E.M. Deputado Sebastião Patrús de Sousa
Endereço: Rua Antônio Calvário, 83 – Santa Luzia

Data: 17/11/2021
Horário: 7h30
Local: E.M. Deputado Sebastião Patrús de Sousa
Endereço: Rua Antônio Calvário, 83 – Santa Luzia

Data: 17/11/2021
Horários: 10h30 e 14h
Local: E.M. Vereador João Henriques
Endereço: Rua Sizenando Teixeira de Carvalho, 722 – Crespo

Santos Dumont (MG)

Data: 18/11/2021
Horário: 10h
Local: Escola Malaque Neif Haddad (Caic)
Endereço: R. Profa. Maria Conceição Guerra, 351

Data: 18/11/2021
Horários: 13h e 16h
Local: Escola Maria Aparecida Dias
Endereço: Rua Zero – Dores do Paraibuna

Data: 19/11/2021
Horário: 7h30
Local: Escola Municipal Antônio Fagundes
Endereço: BR 040 KM 738 – Perobas

Data: 19/11/2021
Horários: 10h30 e 14h
Local: Colégio Municipal São José
Endereço: Av. Pres. Getúlio Vargas, 547

Sobre a NTS

A NTS (Nova Transportadora do Sudeste S/A – NTS) transporta gás natural por meio de um sólido sistema de gasodutos, conectando a região mais industrializada do Brasil com segurança e confiabilidade. São mais de 2.000 quilômetros de malha com capacidade de transporte contratual de 158,2 milhões m³ de gás por dia. Os gasodutos da NTS ligam os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo (responsáveis por aproximadamente 50% do consumo de gás no Brasil) ao gasoduto Bolívia-Brasil, ao terminal de GNL da Baia de Guanabara e às plantas de processamento de gás. A companhia opera autorizações de longo prazo com 100% da capacidade contratada (pela modalidade ship or pay).

Sobre o projeto Diverte Teatro Viajante

O Projeto consiste em levar o teatro para espaços alternativos como escolas, praças públicas, locais privados de acesso público, entre outros, tornando-os culturalmente aproveitáveis, desenvolvendo programas integrados que permitam o contato, a interação e a participação das crianças com representações ativas através do teatro infantil. Como principais objetivos, o projeto visa contribuir para facilitar, a todos, os meios para o livre acesso às fontes da cultura e o pleno exercício dos direitos culturais, com a realização de espetáculos gratuitos e de estrutura acessível em munícipios em todo o Brasil, a fim de possibilitar à população a incorporação de produtos artísticos em seu cotidiano.

O Projeto está em sua 6ª edição e já alcançou um público de mais de 225.000 pessoas percorrendo o Brasil de norte a sul, levando teatro para crianças que nunca tiveram a oportunidade de vivenciar essa experiência tão essencial para a formação do intelecto.

Mais informações no site.

Sociedade

Cia Baobá Minas apresenta o XII Prêmio Zumbi de Cultura 2021
11 11 2021 minizumbi

O mês de novembro é marcado pelo Dia da Consciência Negra. Um dos eventos relacionados à data, em Belo Horizonte, é o Prêmio Zumbi da Cultura – Cia Baobá Minas, que celebra 12 anos de existência e será realizado de 16/11 a 20/11, na capital mineira. No dia 16/11 (terça-feira) às 19h acontece, no Grande Teatro do Sesc Palladium, a solenidade da entrega do Prêmio Zumbi de Cultura pela Cia Baobá Minas.

No dia 19/11 (sexta-feira) às 15h no XII – Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas com Roda de Conversa: Diversidade, identidade e cultura e apresentação cultural da Cia Baobá Minas no MM Gerdau. E no dia 20/11 (sábado) às 16h a roda de conversa: 12 anos de trajetória do Prêmio Zumbi de Cultura e as produções negras na cidade, no canal do Youtube da Cia Baobá Minas.

Na data da solenidade de entrega do Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas serão homenageados os premiados da edição 2021. O evento, que terá programação híbrida, com atividades on-line e presenciais, também contará com apresentações do Grupo Orí Samba, Jorge Dissonância, Cia. Baobá Minas, DiBantu e Luzmilla. Também haverá transmissão no canal de YouTube da Cia Baobá Minas.

A premiação do dia 16/11 é distribuída em 16 categorias: teatro, atuação política, dança, personalidade negra, manifestação cultural, música, menção honrosa, literatura, religiosidade e protagonismo juvenil. Foram criadas para a comunidade: resistência LGBTQI+, representatividade mirim, artes visuais, destaque homem negro e destaque mulher negra.

O projeto é idealizado por Júnia Bertolino, da Cia Baobá Minas, e o prêmio é confeccionado pelo artista plástico Jorge dos Anjos. Realizado desde 2010, através de parcerias com grupos culturais da cidade, com o apoio do Sesc Palladium, Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), Fundação Municipal de Cultura e outros coletivos.

No XII Prêmio Zumbi de Cultura a programação está composta por: lives com temáticas que envolvem a posição do negro na sociedade brasileira, passando por história, educação, racismo, ações afirmativas e cultura; apresentações de grupos culturais que representam a arte negra; homenagem e premiação as pessoas que contribuem para a preservação da cultura afro-brasileira em Belo Horizonte e Minas Gerais.

Premiados 2021

Educação: Luci Lobato
Dança: Cynthia Reyder
Atuação Política: Álvaro Zulú Griot
Teatro: Grupo de Teatro Morro Encena
Música: Fabinho do Terreiro
Artes Visuais: José Eustáquio Neves de Paula
Literatura: Carolina dos Santos de Oliveira
Manifestação Cultural: Grupo Afro Arturos filhos de zambi
Religiosidade: Padre Rogério Messias dos Santos
Menção Honrosa: Mestre Guerreiro
Personalidade Negra: Ione  Maria  de Oliveira
Destaque Mulher Negra: Tia Rosa – Rosângela  Alves de Oliveira
Destaque Homem Negro: Leonardo Firmino dos Santos
Resistência LGBTQIA+: Azzula
Representatividade Mirim: Luan Manzo
Protagonismo Juvenil: Thiago Santos

Sobre a Companhia Baobá Minas
Criada em 1999, por Júnia Bertolino, a Companhia busca abordar o cotidiano do negro, a cultura, ritmos, poesia e dança afro-brasileira no intuito de trazer para o público uma imagem do negro em toda sua beleza e altivez.

Além disto, objetiva mostrar a cultura popular das diversas comunidades do território nacional ressaltando valores e temáticas importantes nesta cultura como a oralidade, memória, ancestralidade e identidade, sobretudo o notório saber dos mestres populares e a valorização da cultura de matriz africana.

A Companhia Baobá Minas já nos presenteou com várias outras performances, visto que já atuou há 22 anos na cena artística nacional. Suas performances iniciais foram “Fertilidade” e “Canto de Amani”.

Outras que valem a pena ser relembradas são o espetáculo “Quebrando O Silêncio” e o “Ancestralidade: Herança do Corpo”. A Companhia Baobá Minas também realiza diversas ações na cidade, em Centros Culturais, escolas públicas e fóruns.

Já participou em encontros como a COPENE – Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negro(as), Fórum Social Mundial, FAN – Festival de Arte Negra de BH, FIT – Festival Internacional de Teatro, Encontro de Cultura e Raiz, Fórum Social Mineiro, Encontro de Mulheres Negras, Conferência de Cultura, Fórum Nacional de Performance Negra, entre vários outros eventos.

Em 2015, a Cia Baobá Minas viajou até a cidade de Berlim, na Alemanha, levando sua performance ao Fórum Brasil – Alemanha. Esta viagem foi possível devido ao programa Circula Minas da Secretaria de Estado de Cultura – SEC.  Nesta mesma viagem, a idealizadora da Companhia, Júnia Bertolino, também ministrou a oficina “Corporeidades Negras Afro Brasileiras”.

Júnia também esteve apresentando com a Companhia Bataka na Itália, em Roma, no Festival Internazionale del Folklore em 2004.  Em 2010 e 2011 participou do III Festival Mundial de Artes e Culturas Negras em Dacar, no Senegal, e também esteve em Cabo Verde e Guiné Bissau, desta vez como pesquisadora.

Programação:

XII Prêmio Zumbi de Cultura 2021

16/11, ás 19h, Grande Teatro do Sesc Palladium

Grande Teatro do Sesc Palladium
R. Rio de Janeiro, 1046 – Centro, Belo Horizonte – MG, 30160-041

Ingressos: R$ 3,00 (Preço popular) pelo Sympla

19/11 às 15H: 

 XII –  Prêmio Zumbi de Cultura –  Cia Baobá Minas  com  Roda  de  Conversa: Diversidade,  identidade e cultura.   Apresentação cultural da Cia Baobá Minas  e  convidados no MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Convidadas:

Ione Maria de Oliveira (Quilombo Mangueiras)

Junia Bertolino (Idealizadora Prêmio Zumbi de Cultura e Fundadora da Cia Baoba Minas)

Makota Cassia kidoiale (Quilombo Manzo Ngunzo)

Performance Cia Baoba Minas (canto, poema e dança) Corporeidades Negras.

No instagram do Prêmio Zumbi de Cultura.

20/11 às 16H – Live/roda de conversa: 12 anos de trajetória do Prêmio Zumbi de Cultura e as produções negras na cidade.

No canal do Youtube da Cia Baobá Minas.

Informações:
(31) 99917-6762 – (31)971521988
@premiozumbidecultura

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Cultura

“Museus: perdas e recomeços” é o tema da 15ª edição da Primavera de Museus

Museus da Secult-MG e Circuito Liberdade  participam com ações diversificadas em formato presencial e virtual

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e o Circuito Liberdade participam da 15ª Primavera de Museus com uma série de atividades, que ocorrem de forma presencial e virtual em museus do Estado e equipamentos do complexo cultural e em suas respectivas redes sociais. Entre os destaques, está a apresentação de um quarteto de cordas formado por musicistas da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais no Museu Mineiro, no Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. O evento acontece na próxima terça-feira (21/9), às 18h. No repertório, obras de Mozart e Piazzolla e os ingressos gratuitos podem ser retiraos no Museu Mineiro, distribuídos por ordem de chegada.

Em Cordisburgo, o Museu Casa Guimarães Rosa promove a oficina de miniaturas sobre o patrimônio material e imaterial de Cordisburgo “No só quase lugar, um patrimônio do tamanho do mundo”, nos dias 23 e 24/9. Já em Ouro Preto, nos dias 25 e 26/9, acontece a oficina “Passos de Guignard” – Passeio e oficina de fotografia digital no Circuito “Passos de Guignard”, promovida pelo Museu Casa Guignard.

O tema da 15ª Primavera de Museus deste ano é “Museus: Perdas e Recomeços”. A leitura feita é de que a primavera é símbolo de recomeço e, na nova estação, a natureza se recupera e se torna florida e verdejante novamente, mostrando que um novo ciclo tem início. Em 2021, a primavera vem com um significado ainda mais especial. Cerca de um ano e meio após a declaração de pandemia de Covid-19 ter sido feita pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os países começam a apresentar avanço na contenção do coronavírus. O momento é também de reflexão e serve para avaliar as perdas e os recomeços. É sobre isso que trata a 15ª Primavera de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).

Ao lidar com tantas perdas e tantas dores, é impossível que o homem não reflita sobre o impacto que este momento tem, não somente no tempo presente, mas em suas memórias e em seu futuro. Com o tema “Museus: Perdas e Recomeços”, a 15ª Primavera de Museus é um convite para refletir sobre a função dos museus neste momento que, embora não tenha acabado, exige desde já a elaboração das perdas, tratando da guarda do que restou e assegurando que, como em tantas outras vezes, o que restou enseja recomeços.

Confira a programação completa da Secult e do Circuito Liberdade abaixo:

Programação Primavera de Museus 2021

Museus da Secult

Centro de Arte Popular (Belo Horizonte, Circuito Liberdade)

Palestra “Resgatando histórias e ressignificando o bordado”

Convidada: Maria do Carmo Guimarães

Data: 21 de setembro de 2021

Horário: 17h

Local: Canal do Youtube do Centro de Arte Popular


Vídeo-Oficina de Confecção de Flores de Argila

Convidado: Clara Assumpção

Data: 24 de setembro de 2021

Horário: 13h

Local: Redes Sociais do CAP


Museu Casa Alphonsus de Guimaraens (Mariana)

Palestra “Amanhã tudo isso será tinta: Alianças de sangue e escrita entre os Guimarães e Guimaraens”

Convidado: Domingos Guimaraens

Data: 20 de setembro de 2021

Horário: 19h

Local: Canal do Youtube do Museu Casa Alphonsus de Guimaraens


Oficina “Poemas na Janela” (Oficina de Kirigami)

Ministrante: Hermes Perdigão

Data: 22 e 24 de setembro de 2021

Horário: das 14h às 16h

Local: Google Meet

Link para Inscrições: https://forms.gle/oKkq6x8kXqBDzi9H6


Museu Casa Guignard (Ouro Preto)

Palestra “Peritagem em Obras de Arte”

Convidado Pedro Cavalheiro

Data: 23 de setembro de 2021

Horário: 19h

Local: Canal do Youtube do Museu Casa Guignard


Exposição Temporária “A Negritude na Poética Modernista de Guignard”

Data de abertura: 24 de setembro de 2021

Encerramento: 12 de junho de 2022

Horário: 12h às 18h

Local: Museu Casa Guignard


Oficina “Passos de Guignard” – Passeio e oficina de fotografia digital no Circuito “Passos de Guignard”

Data: 25 e 26 de setembro de 2021

Horário: 9h às 15h

Local: Museu Casa Guignard

Inscrições: a partir de 9 de setembro de 2021

Link para as inscrições: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdv3LwMdWxHdLbGu6DXqSZHkHg3X4MmiBNrJEq4KncjEFVuHg/viewform

Museu Casa Guimarães Rosa (Cordisburgo)


O
ficina “No só quase lugar, um patrimônio do tamanho do mundo” – Oficina de Miniaturas sobre o patrimônio material e imaterial de Cordisburgo

Convidado: Willi de Carvalho

Data: 23 e 24 de setembro de 2021

Horário: 14h às 16h30

Local: Museu Casa Guimarães Rosa

Inscrições de 9 a 20 de setembro de 2021

As inscrições serão realizadas diretamente no Museu Casa Guimarães Rosa.


Museu do Crédito Real (Juiz de Fora)

Esquete teatral “Brincando com dinheiro”

Convidado: Adelino Benedito (“Vovô Jerê”)

Data: 24 de setembro de 2021

Horário: 19h

Local: Redes Sociais do Museu do Crédito Real

Museu Mineiro (Belo Horizonte, Circuito Liberdade)

Minicurso “Museus: lugares de memória e resistência”

Convidado: Rangel Sales

Data 21 e 23 de setembro de 2021

Horário: das 19h às 21h

Local: Google Meet

Link para inscrições: https://www.sympla.com.br/minicurso-museus-lugares-de-memoria-e-resistencia__1345364


Concerto de Câmara

Grupo: Quarteto de cordas formado por musicistas da Filarmônica de Minas Gerais

Artistas: Rodrigo de Oliveira (violino); Laura von Atzingen (violino); João Carlos Ferreira (viola); Philip Hansen (violoncelo).

Data: 21 de setembro de 2021

Horário: 18h

Local: Museu Mineiro (Evento Presencial)

Ingressos gratuitos no Museu Mineiro, distribuídos por ordem de chegada.


Museu dos Militares Mineiros (Belo Horizonte, Circuito Liberdade)

Lançamento do Catálogo Virtual do Museu dos Militares Mineiros, elaborado por Bruna Ferreira com orientação de Ana Cecília Veiga

Data: 22 de setembro de 2021

Horário: 15h

Site: https://catalogovirtualmmm.wixsite.com/2021


Sistema Estadual de Museus

Abertura da 15ª Primavera dos Museus

Convidados: Pollyanna Lacerda (Coordenadora do SEMMG);

Alexandre Milagres (Diretor de Museus/ Secult)

Data: 20 de setembro de 2021

Horário: 18:30

Local: Canal do Youtube do Museu Casa Alphonsus de Guimaraens

Link das inscrições para recebimento de certificado: https://www.sympla.com.br/15-primavera-de-museus—abertura__1326296

Live “Perdas e recomeços – para refletir a função dos museus”

Convidados: André Leandro Silva (MHJNB UFMG);Felipe Eleutério Hoffman (UFMG);Felipe Eleutério Hoffman (UFMG);Alice Colluci (Comitê Gestor SEMMG).

Data: 22 de setembro de 2021

Horário: 17 h

Local Canal do Youtube do Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais

Link das inscrições para recebimento de certificado: https://www.sympla.com.br/live—perdas-e-recomecos-reflexao-sobre-a-funcao-dos-museus__1326305

Seminário “Relatos de Experiência – painéis para apresentação de projetos inspiradores e bem sucedidos nos museus”

Data: 24 de setembro de 2021

Horário: 10h às 12h

Local: Canal do Youtube do Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais

Link para as inscrições: https://www.sympla.com.br/ii-relatos-de-experiencias—semmg__1326310

CIRCUITO LIBERDADE (geral)

23/09/2021 a 25/09/2021 – 09h às 12h CURSO – Olhar a Cidade – cartografias afetivas, propõe uma investigação do espaço urbano como forma de estimular a percepção das dimensões estéticas, históricas e afetivas da cidade. Prof. Lucas Amorim. Local: Curso virtual com inscrição prévia pelas redes sociais do Circuito Liberdade. @circuitoliberdade

23/09/2021 VISITAÇÃO – O Circuito Liberdade celebra a chegada da primavera com o lançamento da rota de visitação “Praças, Parques e Jardins Internos”, convidando o público a experienciar os dias mais floridos que recomeçam Local: Redes sociais do Circuito Liberdade @circuitoliberdade

CASA FIAT DE CULTURA

21/09/2021 OUTROS – Projeto de Acessibilidade – Painel do Portinari. Lançamento de peça tátil com audiodescrição e conteúdo em braille sobre o painel Civilização Mineira, de Candido Portinari Local: http://www.casafiatdecultura.com.br/

21/09/2021 a 23/09/2021 – 19h às 20h30 PALESTRA – Webinário | Conversas sobre Perguntas. Falaremos sobre a interpretação de um presente contínuo e como fio condutor dos encontros a Palavra. Parceria com MM Gerdau e Memorial Vale. Local: https://bit.ly/CasaFiatYouTube

 22/09/2021 – 17h às 17h15 OUTROS – Arte em 15 | O Rapto de Perséfone. Duas obras que tratam do mesmo tema, a história do rapto de Perséfone ou Proserpina, serão analisadas e contrapostas. Uma celebração à chegada da Primavera. Local: https://bit.ly/CasaFiatYouTube

 23/09/2021 – 19h às 20h VISITA MEDIADA – Visita virtual mediada / Exposição Na boca da mata AhNa exposição a artista plástica Carolina Botura propõe uma atmosfera de encantamento, convidando o público a sentir essa conexão universal. Local: https://bit.ly/CasaFiatYouTube

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL – CCBB BELO HORIZONTE

20/09/2021 a 26/09/2021 – 10h às 19h 163 OFICINA – Entre julho e outubro, o Lugar de Criação abre um diálogo com o Patrimônio Cultural e Natural em uma série de quatro propostas que, em pequenos experimentos, conectam esse tema a nossa vida cotidiana. Local: http://www.ccbbeducativo.com/lc-virtual

20/09/2021 a 26/09/2021 – 10h às 19h OFICINA – O Lugar de Criação “Patrimônio Material” convida famílias e públicos de todas as idades para uma investigação sobre a nossa relação com os objetos e o colecionismo. Você vai precisar de um celular. Local: Redes sociais do CCBB e site do Programa CCBB Educativo – Arte Educação

20/09/2021 a 26/09/2021 – 10h às 19h OUTROS – O site CCBB Educativo – Patrimônio Memória reúne audioguias, visitas virtuais e materiais educativos sobre os centros culturais localizados em Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Local: http://patrimonioememoria.ccbbeducativo.com/audioguia-ccbb-bh/

20/09/2021 a 26/09/2021 – 12h às 13h VISITA MEDIADA – Nas visitas mediadas os educadores se juntam ao público para dialogar, sobre as obras, produzindo novos significados a partir das narrativas presentes na exposição do argentino Leandro Erlich.

20/09/2021 a 26/09/2021 – 18h às 19h VISITA MEDIADA – Nas visitas mediadas os educadores se juntam ao público para dialogar, sobre as obras, produzindo novos significados a partir das narrativas presentes na exposição do argentino Leandro Erlich.

20/09/2021 a 26/09/2021 – 15h às 16h VISITA MEDIADA – Programa CCBB Educativo realizará visitas mediadas especiais com foco no patrimônio cultural do CCBB-BH em diálogo com a história de Belo Horizonte. Local: http://www.ccbbeducativo.com/visitas

22/09/2021 – 15h às 17h 164 ENCONTRO – Neste encontro, Mônica Hoff abordará as ideias de tramas de aprendizagem e pedagogias a partir de investigações e projetos desenvolvidos na mediação das práticas artísticas e educativas. (Libras) Local: www.ccbbeducativo.com

23/09/2021 – 14h às 17h ENCONTRO – Produzir arte é produzir encontros. A próxima edição do Processos Compartilhados, terá como convidadas Ania Rodriguez, sócio-diretora e a Karen Ituarte, Gerente de projetos da Arte A. Local: Link para inscrição no www.ccbbeducativo.com

24/09/2021 – 14h às 17h ENCONTRO – O laboratório de crítica irá discutir fragilidades e possibilidades da curadoria em museus no Brasil. A partir da problematização da relação entre continuidade e recomeço. Com Cauê Alves. Local: Link para inscrição no www.ccbbeducativo.com

CENTRO DE MEMÓRIA MINAS TÊNIS CLUBE

16/07/2021 a 31/12/2021 – 10h às 20h EXPOSIÇÃO – Trata-se da exposição de fotografias “Imagens Descobertas”, que reúne 20 fotos de 1943 a 1975, de Bruno R. M. da Costa, referentes à cena esportiva de BH. Serão oferecidas visitas mediadas.

ESPAÇO DO CONHECIMENTO UFMG

20/09/2021 a 26/09/2021 – 19h às 22h EXIBIÇÃO DE FILME – Exibição na Fachada Digital de conteúdos da nova exposição virtual do Espaço do Conhecimento UFMG, Sertão Mundo.

20/09/2021 – 12h 167 LANÇAMENTO – O catálogo Saberes Indígenas e Etnofármacos foi elaborado por bolsistas do Espaço do Conhecimento UFMG e traz informações sobre o uso de plantas medicinais pelos Maxakalí, Pataxó, Xakriabá e Yanomami.

23/09/2021 – 17h às 18h APRESENTAÇÃO – Descobrindo o Céu especial: construção da sessão on line semanal de astronomia como forma de suprir o fechamento do planetário devido a pandemia, e os desafios dessa nova atividade. Youtube: espacoufmg.

25/09/2021 – 10h OFICINA – A oficina apresentará termos do universo museal em Libras, contribuindo para a interação do público surdo com os espaços museais. Serão discutidas estratégias para melhor atender o público surdo.

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE

01/09/2021 a 29/09/2021 – 14h às 14h AÇÃO EDUCATIVA – Sementes da Diáspora – o Educativo convida a reflexão sobre os diversos protagonismos negros, muitas das vezes apagados e embranquecidos. Postaremos minibio de algumas personalidades nas redes social. Local: Evento virtual, nas redes sociais do Memorial.

03/09/2021 a 24/09/2021 – 11h às 11h AÇÃO EDUCATIVA – Dicas Pretas – indicações de conteúdos culturais que visam refletir e conhecer mais sobre a identidade negra. Local: Evento virtual, nas redes sociais do Memorial.

20/09/2021 a 24/09/2021 – 18h às 18h AÇÃO EDUCATIVA – Casa e Memória – ação iniciada na 19ª Semana de Museus, traz registros em vídeo, Cápsulas para o Futuro, onde nossos convidados compartilharam suas coleções pessoais, objetos de valor, etc. Local: Evento virtual.

23/09/2021 – 19h às 20h30 PALESTRA – Webnário Conversas Sobre Perguntas – iremos debater a interpretação de um tempo presente contínuo e teremos como fio condutor do nosso encontro a Palavra: corpo, conhecimento, corpo, presente. Local: Evento virtual.

24/09/2021 – 17h às 18h MESA REDONDA – Live – Conversa de Galeria: Memória e Diálogos Museais em Tempos Pandêmicos – o Educativo do MMGV propõe um debate sobre desafios e precariedades acerca do trabalho museal no distanciamento social. Local: Evento virtual.  

27/09/2021 – 18h às 18h 169 OUTROS – Dia Mundial do Turismo – Em celebração ao Dia Mundial do Turismo serão postados 10 pequenos vídeos no estilo Reels onde é feita uma relação entre as salas expositivas do Memorial e tipos de Turismo. Local: Evento virtual, no Instagram do Memorial.

MM GERDAU – MUSEU DAS MINAS E DO METAL

21/09/2021 a 23/09/2021 – 19h às 20h30 MESA REDONDA – Conversa sobre Perguntas 2021 – Palavras. Encontro entre os espaços MM Vale, Casa Fiat de Cultura e MM Gerdau, para diálogos em torno da Palavra. Convidada: Lilia Schwarcz, historiadora e antropóloga Local: https://www.YouTube.com/user/MuseuMinasMetal

28/09/2021 – 19h às 20h30 LANÇAMENTO – Dia nacional do Surdo – Librário Digital MM Gerdau. Jogo didático pedagógico, com caráter científico, criativo, artístico e cultural, que busca promover a aprendizagem de Libras de maneira lúdica. Local: https://www.YouTube.com/user/MuseuMinasMetal

29/09/2021 a 30/09/2021 – 19h às 20h30 LANÇAMENTO – Plano Museológico MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal. Tendo como convidado Felipe Carvalho – Presidente do Conselho Regional de Museologia 2ª Região – COREM 2R. Local: https://www.YouTube.com/user/MuseuMinasMetal

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Cultura

Biblioteca Estadual recebe primeira edição da Mostrô

“Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz” vai promover diferentes segmentos da cultura e impulsionar a economia criativa do estado

23 8 2021 minimostro

As tradicionais feiras de livros estão de volta. Dessa vez, em formato reduzido e cumprindo os protocolos de distanciamento social, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais recebe a “Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz”. No sábado (28/8), das 9h às 18h, acontece a primeira edição gratuita e ao ar livre do evento, no Teatro de Arena da Biblioteca Estadual. O acesso ao espaço se dará pela Rua da Bahia.

Nessa primeira edição, que é realizada pela Da Terra Gestão Cultural e tem o apoio institucional da Biblioteca Estadual de Minas Gerais, do Circuito Liberdade e da Câmara Mineira do Livro, serão mais de 20 expositores, fazedores de arte, cultura e gastronomia. Durante o evento, também serão lançados títulos publicados pelo Grupo Editorial Caravana, como “Angie”, de Leonardo Costaneto, e “O rei dos imóveis”, de France Gripp. Outras publicações da editora também estarão disponíveis para comercialização. Acesse AQUI a relação completa dos livros.

A programação da mostra conta, ainda, com um café literário organizado pelo empório Arreda pra Cá, trazendo um pouco do que há de melhor na Cozinha Mineira. E haverá, também, atrações musicais com presença da DJ Fê Linz, que vai ambientar o espaço com ritmos característicos das décadas de 1960 a 1990.

A “Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz” foi idealizada para promover a diversidade cultural de nosso estado e, nos próximos meses, vai evidenciar diferentes linguagens artísticas, como artesanato, gastronomia, design e literatura. As edições ocorrerão sempre aos sábados, até o mês de dezembro. A proposta é valorizar a economia criativa de Minas Gerais ao dar visibilidade ao trabalho de artistas, produtores e trabalhadores e trabalhadoras da cultura no estado.

A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais é um equipamento da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte.

Serviço
Mostrô – Mostra de Arte e Cultura Urbana de Gente que Ama o que Faz
Data:
 28/8 (sábado)
Horário: das 9h às 18h
Local: Teatro de Arena da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Praça da Liberdade, 21 – Savassi, Belo Horizonte – MG)
Endereço: Entrada pela Rua da Bahia, sem nº.
Entrada gratuita

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Turismo & Lazer

Conheça um pouco da História de Mariana: A primeira cidade de Minas

Ouro, fé, arte e pioneirismo marcam os três séculos da histórica Mariana

Primeira capital, primeira vila, sede do primeiro bispado e primeira cidade a ser projetada em Minas Gerais. A história de Mariana, que tem como cenário um período de descobertas, religiosidade, projeção artística e busca pelo ouro, é marcada também pelo pioneirismo de uma região que há três séculos guarda riquezas que nos remetem ao tempo do Brasil Colônia. 

Em 16 de julho de 1696, bandeirantes paulistas liderados por Salvador Fernandes Furtado de Mendonça encontraram ouro em um rio batizado de Ribeirão Nossa Senhora do Carmo. Às suas margens nasceu o arraial de Nossa Senhora do Carmo, que logo assumiria uma função estratégica no jogo de poder determinado pelo ouro. O local se transformou em um dos principais fornecedores deste minério para Portugal e, pouco tempo depois, tornou-se a primeira vila criada na então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro. Lá foi estabelecida também a primeira capital. 

Em 1711 o arraial de Nossa Senhora do Carmo foi elevado à Vila de Nossa Senhora do Ribeirão do Carmo. Em 1745 o rei de Portugual, Dom João V, elevou a vila a categoria de cidade, nomeada como Mariana, uma homenagem à rainha Maria Ana D’Austria, sua esposa. Transformando-se no centro religioso do Estado, nesta mesma época a cidade passou a ser sede do primeiro bispado mineiro. Para isso, foi enviado, do Maranhão, o bispo D. Frei Manoel da Cruz. Sua trajetória realizada por terra durou um ano e dois meses e foi considerada um feito bastante representativo no Brasil Colônia. Um projeto urbanístico se fez necessário, sendo elaborado pelo engenheiro portugues militar José Fernandes Pinto de Alpoim. Ruas em linha reta e praças retangulares são características da primeira cidade planejada de Minas e uma das primeiras do Brasil.  

Além de guardar relíquias e casarios coloniais que contam parte da história do país, em Mariana nasceram personagens representativos da cultura brasileira. Entre eles estão o poeta e inconfidente Cláudio Manuel da Costa, o pintor sacro Manuel da Costa Ataíde e Frei Santa Rita Durão, autor do poema “Caramuru”. 

Pioneira em comunicação, nas suas terras foi instalada a primeira agência dos Correios no Estado, em 1730. Na época conhecida como “Correio Ambulante”, ela estabelecia a comunicação entre Rio de Janeiro, São Paulo e a capital mineira.

Em 1945, Mariana recebe do presidente Getúlio Vargas o título de Monumento Nacional por seu “significativo patrimônio histórico, religioso e cultural” e ativa participação na vida cívica e política do país, contribuindo na Independência, no Império e na República, para a formação da nacionalidade brasileira. 

Todo ano, em 16 de julho, Dia de Minas, o Governo do Estado de Minas Gerais instala-se na cidade, realizando cerimônia alusiva na Praça Minas Gerais que, pela harmonia e beleza plástica de seus monumentos, é um expressivo conjunto urbano da Minas colonial. 

A extração do minério de ferro é a principal atividade industrial do município, forte geradora de empregos e receita pública. Seus distritos desenvolvem atividades agropecuárias e apresentam artesanato variado, expressando a diversidade cultural de Minas Gerais. 

Tudo isso faz da “primeira de Minas” um dos municípios mais importantes do Circuito do Ouro e parte integrante da Trilha dos Inconfidentes e do Circuito Estrada Real. Uma cidade tombada em 1945 como Monumento Nacional e repleta de riquezas do período em que começou a ser traçada a história de Minas Gerais.

Os atrativos da charmosa cidade são vários, mas merecem destaque a Igreja São Francisco de Assis e a Igreja Nossa Senhora do Carmo, localizadas na Praça Minas Gerais e conhecidas como igrejas gêmeas. Já a Igreja São Pedro dos Clérigos é admirada pelo seu visual diferenciado, que confere uma beleza especial a mesma e a destaca em meio a paisagem.

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Com sua forma retangular, a charmosa igreja apresenta inovações trazidas pela terceira fase do Barroco Mineiro, o estilo Rococó como uma belíssima portada ornamentada com o brasão da irmandade esculpida em pedra-sabão. O templo foi restaurado após um incêndio e hoje exibe grande parte das obras que lhe conferiram fama. Curiosamente, o altar-mor não foi consumido pelas chamas, o que reforça a crença na santidade do templo.

Igreja São Francisco de Assis

Igreja São Francisco de Assis

Um dos mais interessantes templos de Mariana. Uma igreja que causa arrepios, tanto por sua fantástica arquitetura quanto pelas 95 sepulturas presentes em seu interior. Uma delas, inclusive, é do renomado escultor Mestre Ataíde, que produziu os painéis nos forros da nave, representando o dilúvio, e da sacristia, adornado com uma caveira que simboliza a morte e parece mover-se, por ilusão de ótica. Imperdível para quem gosta de história e curiosidades.

Igreja São Pedro dos Clérigos

Igreja São Pedro dos Clérigos

Exuberante pela sua localização, nela o visitante pode desfrutar de uma bela vista da cidade. O risco da igreja é de Antônio Pereira de Souza. É uma das três únicas igrejas barrocas de Minas com plano em redondo, característica revolucionária para a época. Seu principal construtor foi José Pereira Arouca. A construção é de 1752, mas a obra encontra-se inacabada. O altar-mor, talhado em cedro, e do teto do presbitério, provam que o templo seria majestoso se estivesse concluído. A torre da esquerda é original e de pedra e a da direita de tijolos, pois já caiu duas vezes. O telhado lembra um casco de tartaruga, enquanto o fundo um navio.

Praça Minas Gerais

Praça Minas Gerais
Foto: Acervo Setur MG | Sérgio Mourão O Centro Histórico de Mariana.

Toda cidade do interior conta com uma bela praça central, mas em Mariana, sua Praça Minas Gerais é o ponto onde se concentra o maior Patrimônio Histórico da cidade. Em torno dela estão as igrejas de São Francisco, de Nossa Senhora do Carmo, a antiga cadeia da cidade, onde hoje funciona a Câmara Municipal, e o Pelourinho, antigo local de castigos dos negros escravos na época colonial e imperial. Um lugar onde a vida do arraial se movimentava e que hoje conta essa história para você.

Catedral Nossa Senhora da Assunção (Sé)

Catedral Nossa Senhora da Assunção (Sé)

Foi trabalhada por dois grandes vultos da arte barroca: José Pereira Arouca e Manoel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho. No batistério há uma tela do pintor Atayde, com retábulos da primeira fase do barroco. Na pia batismal e no tapa vento, que é o mais belo da região, nota-se a presença surpreendente de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. No altar-mor, a imagem de Nossa Senhora do Carmo, com o manto bordado a ouro, autenticamente português. A catedral da Sé de Mariana guarda um precioso tesouro musical: um órgão construído na primeira década do século XVIII em Hamburgo, Alemanha, por Arp Schnitger (1648-1719), um dos maiores construtores de órgãos de todos os tempos. Enviado inicialmente a uma Igreja Franciscana em Portugal, o instrumento chegou ao Brasil em 1753, como presente da Coroa Portuguesa ao primeiro Bispo de Mariana. Faz parte do acervo da Arquidiocese de Mariana, tombado pelo Patrimônio Histórico, e é o único exemplar da manufatura Schnitger que se encontra fora da Europa.

Mina de Ouro da Passagem

Mina de Ouro da Passagem
Foto: Acervo Setur MG | Sérgio Mourão Onde os sonhos eram contabilizados em forma de pepitas.

Por meio de um trolley, que chega a 315m de extensão e 120m de profundidade, o visitante desce até os subterrâneos da terra. Dentro da mina, o cenário é impressionante, com direito até a um maravilhoso lago natural. Desde a fundação da Mina da Passagem, no início do século XVIII, foram retiradas dali aproximadamente 35 toneladas de ouro. É a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo. Visitá-la é como viajar na história, vivenciando a saga perigosa dos homens que procuravam seus sonhos nos veios das montanhas mineiras. Imperdível.

Fonte: https://www.mariana.mg.gov.br/ e https://www.minasgerais.com.br/