Tag Archives: cinema

Turismo & Lazer

DOCUMENTÁRIO QUE RETRATA O COTIDIANO DE VILA MINEIRA NA ZONA DA MATA VAI AO AR NA REDE MINAS, NESTA SEXTA

Faixa de Cinema exibe o longa “Sopro”, de Marcos Pimentel, que revela uma comunidade preservada em Minas Gerais

Foto: Matheus Rocha

As paisagens do interior de Minas Gerais chegam à tela da Faixa de Cinema, da Rede Minas, nesta sexta (08). O vento, a poeira, as montanhas, o silêncio e o tempo compõem o cenário e enredo do documentário “Sopro”, do diretor juiz-forano Marcos Pimentel. O longa resgata detalhes de Minas escondidos em uma pequena vila rural, onde cinco famílias vivem há anos quase isoladas do mundo exterior.

O filme “Sopro” fala sobre a existência humana e os mistérios da vida e da morte mostrados no cotidiano de uma vila rural, localizada nas proximidades do Parque Estadual do Ibitipoca, na Zona da Mata. As imagens acompanham pequenas casas isoladas na montanha da região e, principalmente, a visão de uma criança e suas descobertas sobre o mundo e a finitude da vida naquele espaço. Entre a fantástica imersão nesse lugar, o homem e a natureza transitam entre a harmonia e os conflitos, na imensidão de uma paisagem que parece esgotar o olhar.

Foto: Matheus Rocha

Com caráter minimalista, “Sopro” foi o primeiro longa-metragem da carreira de Marcos Pimentel e rodou por diversos festivais nacionais e internacionais, passando por 16 países. Natural de Juiz de Fora, Marcos é diretor, roteirista e produtor. Já realizou diversos filmes e trabalhos para televisão, como o especial mineiro “Dia de Reis”, da Globo Minas, e séries. Suas obras já conquistaram mais de 90 prêmios em diversos festivais em todo o mundo.

A Faixa de Cinema com o filme “Sopro”, de Marcos Pimentel, vai ao ar nesta sexta (08), às 23h, pela Rede Minas. O filme também pode ser visto, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431

Cultura

MULHERES CORAJOSAS SÃO AS PROTAGONISTAS DE DOCUMENTÁRIOS DA FAIXA DE CINEMA, DA REDE MINAS, NESTA SEXTA (24)

Os curtas “Ana Terra”, “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro” e “Inês” trazem personagens que ousaram em desafiar as normas

Em parceria com o Coletivo Malva, a Faixa de Cinema, da Rede Minas, exibe três documentários sobre personagens femininas icônicas, nesta sexta (24), às 23h. As produções participaram da 6ª Mostra de Cinema Feminista e transportam o público para diferentes tempos e lugares no Brasil. As histórias de mulheres inovadoras e corajosas, que ousaram desafiar as normas e enfrentaram o preconceito e a repressão, estão nos filmes “Ana Terra”, “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro” e “Inês”.

Adelaide (Crédito – Anna Zêpa e Mylena Sousa)

Com direção coletiva dos alunos do Sesc Arapiraca de Alagoas, o documentário “Ana Terra” retrata uma mulher autêntica. A artista arapiraquense Ana Maria Macedo Terra é dona de um jeito irreverente e admirada por toda cidade. O curta percorre pelas ruas contemporâneas os caminhos irregulares existentes na vida da personagem. Já a obra “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro”, da diretora Anna Zêpa, é um documento cênico que compartilha pistas sobre a escritora paulista que vendeu milhões de livros e mergulhou no esquecimento. O filme desvenda a trajetória da autora perseguida e acusada de ser sensacionalista nos anos 60 e 70.

Inês (Crédito João Pedro Ruiz Zanotti)

O filme “Inês”, da diretora Alice Besen, traz o resgate das transformações das memórias do período da ditadura militar em performances. A personagem Inês é uma atriz de 69 anos que cria uma narrativa de fragmentos de sua própria vida.  Converte as lembranças da juventude como artista e guerrilheira em percepções sobre as relações entre a arte e política, presentes em sua história.

Ana Terra 1 (Crédito – Direção de Fotografia Coletiva)

A Faixa de Cinema com os filmes “Ana Terra”, “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro” e “Inês” vai ao ar nesta sexta (24), às 23h, pela Rede Minas. O filme também pode ser visto, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar

A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana CoutinhoAssessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431

Sociedade

CURTAS QUE TRATAM DO PRECONCEITO E DO UNIVERSO FAMILIAR NA REDE MINAS (17/09)

Emissora exibe os curtas “Rã”, “Mãe não chora” e “Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé” destaques da 6ª Mostra de Cinema Feminista

Curtas que foram destaque da 6ª Mostra de Cinema Feminista são exibidos na Faixa de Cinema especial dedicada ao evento, na Rede Minas. Nesta sexta (17), “Rã”, “Mãe não chora” e “Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé” são apresentados na emissora. As obras abordam questões ligadas à maternidade, raça e identidade.

O curta “Rã”, de Julia Zakia e Ana Flavia Cavalcanti, é uma homenagem a todas as mães solteiras do Brasil. A ficção é baseada na memória de infância da diretora Ana Flavia, que também é atriz e interpreta a protagonista da trama. No enredo, a personagem Val e suas duas filhas são surpreendidas pelo chamado de um amigo que faz um pedido inusitado. Já o curta “Mãe não chora”, de Carol Rodrigues e Veneza Oliveira, retrata a vida de uma mãe solo em seu ambiente profissional. A personagem Raquel  trabalha na defensoria pública e não consegue concretizar um pedido de pensão contra o pai do próprio filho, além de ter que levar a criança para o trabalho por não ter amparo paterno.

Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé.

A programação ainda traz “Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé”, dos diretores Janaína Oliveira Re.Fem. e Rodrigo Dutra. O filme trata da vida de Joãosinho da Goméa e resgata a trajetória do babalorixá baiano que fundou o Terreiro de candomblé da Goméia, no Rio de Janeiro. O enredo é construído com áudios da época, músicas, performances e imagens de arquivo. O documentário também  destaca como o religioso foi perseguido, chegando a ser preso por praticar sua fé.

A Faixa de Cinema com os filmes “Rã”, “Mãe não chora” e “Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé” vai ao ar nesta sexta (17), às 23h, pela Rede Minas. O filme também pode ser visto, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431
Fotos: Alexandre Rosa, Alice Drummond

Cultura

Faixa de Cinema, da Rede Minas, exibe especial Realizadores Negros

Antonio Pitanga é um dos atores que atuam nas obras dirigidas por cineastas negros que são exibidas na emissora pública mineira na atração dedicada à sétima arte

25 8 2021 miniredeminas
Imagem: O velho rei © Pedro Semanovschi

Filmes que retratam a história, o universo cultural, os estigmas sociais e o preconceito são retratados em cinco curtas produzidos por cineastas negros, na Rede Minas. O especial “Realizadores Negros”, da Faixa de Cinema, exibe obras que compartilham as memórias e perspectivas da população negra. As obras “Di cumê, trabalhar e rezar: cantos de trabalhos e pregões na quarentena”, de Fabinho Santinho, “O velho rei”, de Ceci Alves, “Pele de monstro”, de Barbara Maria, “Caixa d’água”, de Everlane Moraes, e “Outras”, de Ana Julia Travia, vão ser exibidas nesta sexta (27), às 23h.

Filme “Di cumê, trabalhar e rezar: cantos de trabalhos e pregões na quarentena”, do educador Fabinho Santinho, é uma grande obra musical. O diretor, garoto negro da periferia de Embu das Artes, em São Paulo, narra sua própria visão da pandemia por meio do canto dos trabalhadores urbanos e rezas de sua família. Já o curta “O velho rei”, da cineasta Ceci Alves, traz como protagonista o ator Antonio Pitanga, interpretando Climério. O personagem, com uma câmera sempre nas mãos, grava tudo o que está à sua volta a pedido da filha Cleonice, que mora fora do país. A figura paterna busca contar histórias que vêm através das memórias do passado e o encantamento com o presente, no qual encontra sua feliz liberdade na frente dos olhos da filha.

O documentário “Pele de monstro”, de Barbara Maria, faz uma analogia entre o racismo e os filmes de terror da década de 60. A obra traz depoimentos de estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora, que relatam como encaravam os estereótipos pelos quais eram tratados, revelando o universo perverso do preconceito. O curta “Caixa d’água: qui-lombo é esse?”, de Everlane Moraes, apresenta relatos de antigos moradores e acervos fotográficos de um quilombo sergipano que se mantém em meio à urbanização, além de mostrar as iniciativas da comunidade para preservar a cultura negra. Já o filme “Outras”, de Ana Julia Travia, mostra o cotidiano de famílias brasileiras inter-raciais, em geral com mães brancas e pais negros, e os traumas que foram submetidas as filhas vítimas do racismo.

A Faixa de Cinema especial “Realizadores negros” vai ao ar nesta sexta (27), às 23h, pela Rede Minas. A atração mostra os filmes “Di cumê, trabalhar e rezar: cantos de trabalhos e pregões na quarentena”, de Fabinho Santinho; “O velho rei”, de Ceci Alves; “Pele de monstro”, de Barbara Maria; “Caixa d’água: qui-lombo é esse?”, de Everlane Moraes; e “Outras”, de Ana Julia Travia. O público também pode conferir os curtas, nesse mesmo horário, pelo site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Cultura

Filme viçosense na Mostra Audiovisual Internacional Gênero

“Taxa de Retorno” é de autoria de Raoni Garcia, Matheus Vieira, Matheus Doninha, Nicollas de Oliveira e Gabriel Sousa

Filme viçosense na Mostra Audiovisual Internacional Gênero

Após a apreciação de quase 500 curtas-metragens, a equipe de curadoria da IX Mostra Internacional Audiovisual apresentou a seleção dos filmes que mais se enquadraram nos temas do COG, como gênero, sexualidade, feminismo e interseccionalidade. A Mostra seleciona, exibe e divulga filmes curta-metragem de documentário, ficção, animação, experimentais e infantis.

Entre os temas que entram na curadoria estão: sexualidades, raça e etnia, classe, geração, deficiência, migração, violência contra mulher, masculinidades, paternidade, maternidade, homoxessualidade, exploração sexual, direitos sexuais e reprodutivos; direitos humanos, entre outros. Foram avaliados, entre outros aspectos, a construção da narrativa e a estética do filme, mas sobretudo, as pertinências e urgências políticas que cada um apresenta. Consta da relaçãodos selecionados, o filme “Taxa de Retorno”.

O curta-metragem conta a história da comunidade São Pedro, na Zona da Mata Mineira e foca como a mineração interferiu na vida dos moradores do lugarejo. “Taxa de Retorno” foi produzido com recursos da Lei 14.017-2020 – Lei Aldir Blanc, através de editais da Prefeitura Municipal de Viçosa, com recursos da Secretaria Especial  de Cultura – Ministério do Turismo – Governo Federal.

Em junho deste ano, a obra foi premiada durante o 5º Festival de Cinema de Muriaé, ficando entre os cinco na categoria “Produção Regional”. Com a seleção pra a Mostra Internacional, o filme e demais selecionados em agosto, entre os dias 10 e 29, poderão ser assistidos gratuitamente neste site

SOBRE “CURTA O GÊNERO”

Realizado pela ONG Fábrica de Imagens desde 2012, o evento busca promover uma cultura política, estética e sociabilidade fundadas na equidade de gênero, no antirracismo, anticapitalismo e na afirmação das sexualidades.

Oferece programação de mostras artísticas de cinema, fotografia, ilustração, artes cênicas e música e de ações educativas no Seminário Internacional Gênero, Cultura e Mudança, como palestras, minicursos, oficinas, mesas-redondas, apresentações de trabalhos e lançamento de livros.

Fonte: https://www.folhadamata.com.br/

Cultura

A EXIBE, Mostra de Cinema de Barbacena 2021, está chegando!

A partir desta segunda-feira (31), as pessoas interessadas nas oficinas da 5ª EXIBE – Mostra de Cinema de Barbacena poderão se inscrever através desse link para uma das atividades do evento.

Serão três oficinas oferecidas esse ano: “Casa de Clipes” por Gabi Jacob, “Oficina intensiva de roteiro” por Guilherme Andrade e “Criação em tempos pandêmicos” por Débora de Oliveira. Os detalhes de cada oficina e dos perfis dos convidados podem ser visto em detalhes na aba “Oficinas” do site da mostra.

É preciso bastante atenção na hora de fazer sua inscrição esse ano: após fazer sua inscrição no evento, é preciso ir na aba de oficinas (no próprio site) e escolher qual a oficina que você deseja participar. As vagas são limitadas e cada participante só poderá participar de uma das oficinas. As inscrições se encerram no dia 06/06/21.

A primeira oficina começará no dia 16/06, primeiro dia da mostra, e, pouco antes do encontro, os participantes inscritos receberão um link para acessarem a oficina que será realizada através da plataforma Zoom.

Quaisquer dúvidas devem ser enviadas através da nossa aba “Contato” no site da mostra.

INSCREVA-SE AQUI

Fonte: https://barrosoemdia.com.br/

Cultura

Barroso terá Cine Drive-in nesta sexta-feira

Mais uma vez a Companhia Fofocas de Teatro se adaptando a pandemia do Covid-19, traz uma nova opção de lazer e cultura, o Cine Drive-in, onde a “plateia” é formada por veículos e os espectadores assistem o filme dentro do seu carro sem contato com outras pessoas.

O Cine Drive-in será nesta sexta-feira, 28 de agosto, às 18:30 horas no estacionamento do Centro SER (Antigo SENAI). O filme que será projeto é “Sing – Quem canta os males espanta” e promete agradar o público de todas as idades.

O Cine Drive-in será totalmente gratuito, limitado a 15 carros e os ingressos devem ser solicitados no e-mail: contato@fofocasdeteatro.com

Para Rixa Neves Produtor Executivo do Projeto Esquina da Cultura: “Em tempos em que o streaming vira uma das únicas possibilidades de se assistir um filme, devida a pandemia, as pessoas já estão ansiosas para sair de casa e ver um filme em uma tela enorme, se este é o seu caso, a Cia Fofocas de Teatro está te convidando para essa nossa primeira experiência do Cine Drive-in”, diz.

Esta atividade faz parte do Projeto Esquina da Cultura que é uma realização da Cia Fofocas de Teatro através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo de Minas Gerais com o patrocínio da LafargeHolcim. O projeto também conta com a parceria do Centro SER e do Instituto LafargeHolcim.

Fonte: https://barrosoemdia.com.br/

Cidades

Cinema em BH disponibiliza programação online

O público poderá assistir à programação sem sair de casa, de forma gratuita

O Cine 104, cinema de rua, localizado na região central de Belo Horizonte, está fechado temporariamente por conta da pandemia de coronavírus. Mesmo sem poder receber o público, o espaço criou uma programação online para exibir filmes que entrariam em cartaz ao longo do ano.

A iniciativa começou neste mês de abril e a cada semana serão disponibilizados dois filmes, que podem ser assistidos dentro do período de 48 horas. O link dos filmes é liberado sempre ao meio-dia do dia de cada exibição através do site do cinema. E para quem procura um bom filme para curtir nesse feriado de 1º de maio, o cinema irá exibir o filme Apesar da Noite, de Philippe Grandrieux.

Confira abaixo a programação para as próximas semanas:

1º e 2 de maio: “Apesar da noite”, de Philippe Grandrieu

6 e 7 de maio: “Zama”, de Lucrecia Martel

8 e 9 de maio: “Jaua”, de Lisandro Alonso

13 e 14 de maio: “Synonymes”, de Nadav Lapid

15 e 16 de maio: “A Árvore dos Frutos Selvagens”, de Nuri Bilge Ceylan

Site do Cine 104 – https://www.centoequatro.org/cinema

Crédito Foto: Divulgação Flávia Siqueira
Publicitária | Jornalista (32) 98479.2772

Cidades

Cinema no Bairro: confira a agenda de janeiro e participe!

Projeto está de volta em 2020, trabalhando a conscientização por meio dos filmes.

O Projeto Cinema no Bairro está de volta. No mês de janeiro, seis sessões acontecem nos bairros Portões, São Geraldo, Bela Vista, Munu, São José e no Córrego do Bação com sessões às 15 horas. O projeto tem o intuito de atender as crianças de até 12 anos dos bairros.

O Cinema no Bairro é uma ação da Guarda Civil Municipal de Itabirito (GCMI), por meio do Centro Integrado de Segurança e Educação (Cinsed). “O projeto é de caráter educativo, que visa extrair mensagens de filmes e ministrar lições para a vida das crianças. Normalmente, abordamos problemas do nosso cotidiano, como drogas, violência, segurança e a importância de preservar o meio ambiente”, destaca Heidrian Ferreira, agente da Guarda e organizador do projeto.

Confira a programação de janeiro

Nesta sexta-feira (17), o cinema chega ao Córrego do Bação, à Rua Principal, 486. Na segunda (21), o bairro São Geraldo recebe o projeto, à Rua Cristovão Militão, 168. No dia 22, a atividade acontece no São José, à Avenida Francisco José de Carvalho, 22. Na quinta-feira, dia 23, é a vez das crianças do bairro Munu acompanharem o filme, à rua José Augusto França, 1168. Finalizado as atividades de janeiro, o Cinema no Bairro chega ao Bela Vista, no dia 29, com a atividade na rua Olímpio Augusto da Silva, 677.



Mayra Michel
Diretora de Comunicação
Secretaria Municipal de Comunicação
(31)3561-4061
www.itabirito.mg.gov.br