Tag Archives: APPA

Cultura

Galeria Genesco Murta, no Palácio das Artes, recebe primeira instalação individual de Sara Ramo
14 12 2021 minifcs expo

De 13 de dezembro até 31 de dezembro de 2021, a Fundação Clóvis Salgado recebe a exposição Os Ajudantes (Los Ayudantes), videoinstalação da artista visual espanhola naturalizada em Minas Gerais, Sara Ramo. Essa é a primeira vez que Ramo expõe no Palácio das Artes, onde apresenta individual na Galeria Genesco Murta com vídeo produzido em 2015. A abertura aconteceu uma semana depois da inauguração de sua segunda parceria com o Instituto Inhotim, onde participa da recém-inaugurada exposição coletiva Deslocamentos.

O trabalho construído por Sara Ramo parte da investigação e reapropriação de diversos objetos cotidianos – a partir de vídeos, fotografias, colagens, esculturas e instalações, a artista compõe novos universos, por vezes lúdicos e fortemente conceituais. Na obra “Os Ajudantes”, vídeo considerado pela artista como essencial em sua carreira, a criação de uma nova realidade se faz presente por meio de criaturas misteriosas que transitam por uma floresta.

 “‘Os Ajudantes’ é um vídeo fundamental dentro do conjunto do meu trabalho. Ele fala de relações possíveis, ambíguas e complexas. Fala de ritual, de natureza. Está nesse lugar de representação entre o humano e não humano, seres que habitam o mundo e que nem sempre conseguimos reconhecer. É um pouco uma homenagem a isso” explica Sara Ramo. “Ele se insere no contexto atual, mostrando diferentes formas de vida e representação. Existe algo para além da sociedade construída em torno da figura de autoridade patriarcal”, completa. Este é um assunto recorrente no trabalho da artista, que demostra a prática de um pensamento coletivo, a dignidade de representar outras formas de existir e a grandiosidade da natureza.

Para Uiara Azevedo, gerente de artes visuais da FCS, ”Sara Ramo é uma das artistas pioneiras da sua geração: fez parte do grupo de artistas da Rua Apodi 69, um dos ateliês criativos mais representativos da arte no país. Sara propõe o vídeo como suporte de uma prática contemporânea inquieta e que desafia o público. Naturalizada em Belo Horizonte, tem exposições no mundo todo, incluindo agora a Fundação Clovis Salgado, em sua cidade de formação artística”, ressalta.

Em 2019, Sara realizou uma exposição individual no Museo Reina Sofía, na Espanha. A artista também esteve presente no Inhotim com uma das obras mais visitadas do espaço, Fissura, que faz parte do acervo MAM. Também já participou da Bienal de Veneza, de Havana e de São Paulo. Agora, em sua primeira individual no Palácio das Artes, Sara Ramo se diz apreensiva por ocupar um espaço cultural tão essencial em sua carreira. “É referência na minha formação. Um espaço onde vi artistas e palestras, o Cine Humberto Mauro é para mim um refúgio. Dá frio na barriga ser vista em um lugar tão importante na minha vida”, conclui a artista.

Sobre a obra
O Vídeo Os Ajudantes (2015) retrata figuras imersas na penumbra, formas vivas que se fazem visíveis somente sob a luz trêmula das fogueiras. Seres singulares, cuja figura nos lembra uma insistente forma humana, se movimentam aos nossos olhos. Desprovidos de história ou drama residual, resistem em um lugar para nós desconhecido, mas que nos é parcialmente revelado. Parecem nos falar da possibilidade de trabalhos e existências para além da nossa compreensão, trazendo perante nós uma revelação incômoda: a do nosso próprio desamparo. Abre-se a pergunta relativa à relação habitual com as presenças a nossa volta, sobre tudo, das quais dependemos, mas não notamos. É como se a artista pudesse dizer que estamos sob o cuidado de estranhos, aqueles que velam por nós: não na forma de idílio perdido, mas com toda a carga perturbadora do que sempre existirá, mas não conseguiremos ver.

Sobre Sara Ramo
Sara Ramo Affonso nasceu em Madri, Espanha, no ano de 1975. É artista visual com práticas múltiplas em instalação, vídeo, fotografia, escultura e colagem, a artista toma objetos cotidianos para com eles compor novos arranjos, passando pelo caos e o reordenando em novas formas de lidar com o mundo. Filha de mãe mineira e pai espanhol, ambos envolvidos em movimentos sociais, Sara Ramo cresce entre Araxá e Madri. Fica no Brasil de 1 mês de vida aos 6 anos de idade e volta para a Espanha. Não se interessa pela educação formal e faz cursos livres em teatro, dança e pintura. Nos anos 1990, com a reforma educacional espanhola, acompanha a implantação da formação em artes no segundo grau, na qual tem ótimo desempenho, o que a faz ingressar na Universidad Complutense de Madrid para estudar artes visuais. Muda-se para Belo Horizonte, dando continuidade à graduação na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A Fundação Clóvis Salgado é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e de cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

O Governo de Minas Gerais e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam a exposição Os Ajudantes. A mostra tem a correalização da APPA – Arte e Cultura, patrocínio master da Cemig, AngloGold Ashanti e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH, e patrocínio prata da Vivo.  Todos os incentivos são via Lei Federal e Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/