Turismo & Lazer

Parque Nacional do Caparaó comemora 60 anos de criação

Na última sexta-feira, 03/09, aconteceu a comemoração de 60 anos de criação do Parque Nacional do Caparaó. A data é oficialmente em maio, mas teve que ser adiada por conta da pandemia.

A cerimônia aconteceu no Centro de Visitantes do Parque Nacional do Caparaó e contou com autoridades estaduais, municipais, ex-funcionários, funcionários, produtores rurais que fazem divisa com o Parque e empreendedores do setor turístico.

Houve apresentação dos Desbravadores de Alto Caparaó e Alto Jequitibá e da Orquestra da Primeira Igreja Presbiteriana de Alto Caparaó.
Um belíssimo documentário, produzido pela K Produções – Filmagens, apresentou a história dos 60 anos do parque nacional.

Ainda aconteceram homenagens a ex-funcionários e pessoas que contribuíram com a criação do Parque do Caparaó.

O evento foi organizado pelo parque e as Secretarias Municipais de Turismo de Alto Caparaó, Alto Jequitibá e Caparaó.

Por causa da pandemia, o evento que estava sendo pretendido para o dia 24 de maio, no aniversário do Parque teve que ser adiado.

Com a região na Onda Verde, do programa Minas Consciente, o evento pode ser realizado com as medidas de distanciamento e limitação de participantes.

PARQUE

O Parque Nacional do Caparaó foi criado no dia 24 de maio de 1961, pelo Decreto Federal número 50.646, assinado pelo Presidente da República Jânio Quadros.

Localizado na Serra do Caparaó, na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, o Parque Nacional do Caparaó é um dos ícones do montanhismo no Brasil e abriga o terceiro ponto mais alto do País, o Pico da Bandeira, que tem 2.892 metros de altitude. Além dele, estão na Unidade de Conservação (UC) cinco dos dez picos mais altos de todo o território nacional.

A Unidade abrange um território de aproximadamente 31,8 mil hectares. Cerca de 80% do parque está no estado do Espírito Santo. Os maiores picos ficam na divisa dos estados, destacando-se o Pico da Bandeira, com 2.892 metros, o Pico 2 ou Pico do Cruzeiro, com 2.852 metros, o Pico do Calçado com 2.849 metros e o Pico do Calçado Mirim com 2.818 metros. O Pico do Cristal, com 2.770 metros fica exclusivamente em território mineiro. O parque abriga ainda outros picos, menores em tamanho, mas também de altitudes consideráveis, como o Morro da Cruz do Negro (2.658 metros), o Pico da Pedra Roxa (2.649 metros), o Pico dos Cabritos ou do Tesouro (2.620 metros), o Pico do Tesourinho (2.584 metros), e a Pedra Menina (2.037 metros) todos em território capixaba.

A Serra do Caparaó é uma das mais representativas áreas de preservação da mata atlântica em território Capixaba. O Parque guarda amostras singulares de campos de altitude (tipo de vegetação peculiar, cujas características são fortemente influenciadas pelas condições de solo, clima e altitude do maciço do Caparaó), relevante patrimônio geológico, além de proteger nascentes de três importantes bacias hidrográficas (Rios Itabapoana, Itapemirim e Doce) e diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção da fauna e flora.

O Parque Nacional do Caparaó possui duas portarias de acesso, localizadas no município de Alto Caparaó – MG, onde também funciona a sede administrativa da UC e em Pedra Menina, distrito do município de Dores do Rio Preto – ES, pelas quais o visitante pode conhecer o Pico da Bandeira e diversos outros atrativos do Parque, entre, mirantes, vales, cachoeiras e piscinas naturais belíssimas, que estão abertos ao público para visitação durante todo o ano.

Dispõe de um amplo sistema de trilhas, sinalizadas, auto guiadas de curto, médio e longo percurso e com diferentes níveis de dificuldade, facultando assim a utilização por diferentes tipos de usuário para caminhadas por meio a florestas e campos de altitude. As principais trilhas levam ao Pico da Bandeira, que pode ser conquistado tanto pela trilha da vertente capixaba (Trilha Casa Queimada – Pico do Calçado – Pico da Bandeira) como pela vertente mineira (Trilha Tronqueira – Terreirão – Pico da Bandeira). Ambas as trilhas permitem ao visitante conhecer outros atrativos e lugares de grande beleza cênica e contemplativa da Unidade, além de realizar a famosa travessia no percurso entre os dois estados da UC (travessia ES/MG ou MG/ES).

No parque o visitante pode contar ainda com quatro áreas de acampamentos localizadas na parte alta da Unidade de Conservação, sendo pela portaria de Alto Caparaó em MG, os acampamentos da “Tronqueira” e “Terreirão” – e pela Portaria de Pedra Menina no ES – os acampamentos da “Macieira” e “Casa Queimada”. Os acampamentos do parque são estruturados com postos de funcionários, banheiros públicos, lava-pratos, mesas, bancos e churrasqueiras, estas últimas disponíveis apenas no acampamento da “Macieira”.

Informações: José Carlos Lovantino
Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/