Cultura

HIRONDELLES – Uma casa que lançou moda em Barbacena

Boate. Danceteria. Discoteca. Discofashion. Casa de Shows. Fort Country. Restaurante. Quando o visionário Gino Calvi em 1967 integrou o projeto do então prefeito Simão Tamm Bias Fortes e do arquiteto Hilton da Paixão Grossi, ele sonhou para Barbacena ter a primeira casa noturna da cidade, e no maior e mais moderno parque de exposições e lazer do estado de Minas Gerais. Assim nasceu o Hirondelles, inaugurado em 1969, e que teve seu nome em homenagem ao galpão onde foi construído, o “Durval Garizo Becho Andorinho”, que em francês teve seu Andorinho transformado em Hirondelles, por ideia de Gino e Simão.

A efervescência dos anos 70 levava para a discoteca e o restaurante Hirondelles os nomes mais poderosos. Ali era lugar comum para se discutir os rumos da cidade, os investimentos, a política, e principalmente, era o palco de diversão da sociedade barbacenense. Com um loft na área superior, com direito a um fusca pendurado de cabeça para baixo, drinques que se tornaram sensação e a exuberância dos tempos de rock´n roll e bossa nova, que passaram pelas mudanças vividas pelo país na moda, na música, na política, no jeito de viver a vida.

Sempre à frente do seu tempo, no início dos anos 90 Gino resolveu mudar o foco de seu empreendimento, e criou o Hirondelles Fort Country, a maior casa do interior mineiro com foco em música country. Em 21 de abril de 1993 nascia o novo Hirondelles, com ambientes distintos, a casa recebeu um loft moderninho para a musicalidade dos anos 80 e 90, espaço pub de jogos, touro mecânico, palco para shows, e a diversão foi garantida para todos daquela nova geração.

Pelo palco do Hirondelles passaram o The Cows, que fez grande temporada na cidade, Vítor & Léo, ainda desconhecidos do grande público, Skank, João Penca, Tigres de Bengala, LS Jack, Tihuana, Inimigos do Rei, Olodum, Pato Fú, Banda Beijo, Bartucada, Júnior Marvin (Wailers), Friends (Tenessi), Cláudio Zoli, Ritchie, Vinícius Cantuária; além de bandas como Beatles Forever, Lúdica Música, e todas as bandas de Barbacena, como os Los Bassouras, Vó Josefa. Eventos como Garoto & Garota Fort Country, festas da Medicina e Direito, barracas da Exposição, Noites do Enduro, jantares de criadores de cavalos e gado, restaurante das provas de hipismo: o Hirondelles sempre foi versátil e cabia todo tipo de diversão dentro de suas instalações.

E o Fort Country foi a principal atração da noite barbacenense, sempre sob os cuidados de Gino Calvi e sua família, das filhas Marilda e Vanna, ao genro Maurício e às netas Marcella e Rossana. Era a casa dos ‘boys’, dos cadetes, dos moderninhos, dos sertanejos, dos mais velhos, mais novos. Foi a primeira experiência noturna de várias gerações, e uma casa noturna como nunca haverá outro igual na cidade. Promoters como Cláudio Prenassi, Marco Antônio Dias, Kátia Cilene, Debora Marcier, Aline Badaró e Aeropub JF assinaram uma infindável lista de eventos que marcaram época na cidade.

Em abril de 2009, a Prefeitura passou a ser a responsável pelo espaço, que perdeu as suas características e se tornou o Spazio Gino Calvi, o portão de entrada do Parque de Exposições “Senador Bias Fortes”.

Na madrugada do dia 24, o que restou de toda a história – que não se conta em linhas, mas em milhares de lembranças e recordações de todos aqueles que por ali passaram – chegou ao fim, com o incêndio da estrutura física do Spazio Gino Calvi.

Hirondelles_2014_Ginona exposiçãocomHirondellesaofundo

 

Hirondelles_anos70

Texto: Kátia Cilene