Educação

Escolas da região são premiadas pelo projeto Germinar da Gerdau

Com o tema “A inovação na Prática da Educação Ambiental”, o 7º Prêmio Gerdau Germinar revelou os vencedores nesta terça-feira (12/07), no Biocentro, em Ouro Branco. 

Participaram alunos de instituições de ensino públicas e privadas de Ouro Branco, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Ouro Preto (especialmente os distritos de Mota e Miguel Burnier), Moeda e Itabirito, além de membros das comunidades.

Na categoria Folha, que contempla o Ensino Fundamental, quem leva o prêmio é o projeto “Caminhos de Minas: do ouro ao minério de ferro”, da Escola Municipal José Monteiro de Castro, de Congonhas. 

Escola José Monteiro de Castro em Congonhas venceu a categoria
Escola José Monteiro de Castro em Congonhas venceu a categoria

O projeto “SER+HUMANO: uma pedagogia para a vida”, da Escola Estadual General Sylvio Raulino de Oliveira, de Conselheiro Lafaiete, foi o selecionado da categoria Fruto, dedicada ao Ensino Médio. 

Projeto de escola de Lafaiete também foi premiado
Projeto de escola de Lafaiete também foi premiado

O projeto “Ressignificação de espaços ociosos no município de Conselheiro Lafaiete para produção de hortaliças e plantas medicinais”, do Centro Universitário UNA de Conselheiro Lafaiete, conquistou o prêmio pela categoria Árvore – voltada para o Ensino Técnico e Superior.

UNA recebeu premiação
UNA recebeu premiação

O vencedor da categoria Floresta, dedicada a ONG’s, foi o projeto “Brigada Carcará Voluntária Mirim”, voltada para a Prevenção e Combate a Incêndio Florestal Carcará de Ouro Branco.

ONG também recebeu prêmio
ONG também recebeu prêmio

O processo de avaliação dos projetos foi realizado por uma comissão julgadora, formada por profissionais das áreas de Educação, Meio Ambiente, Pedagogia, Engenharia, Direito, Comunicação e Responsabilidade Social.

Prêmio

A empresa destinará a quantia total de R$ 105 mil reais para premiar as instituições vencedoras, que vão receber também um troféu.

Os projetos selecionados terão um prazo de dois anos para o desenvolvimento do projeto, o que garante o fortalecimento da educação ambiental no cotidiano escolar.

Fonte: https://fatoreal.com.br/