Category Archives: Turismo & Lazer

Turismo & Lazer

Turismo em Minas Gerais movimenta bilhões na economia e quadruplica crescimento em número de empregos

Estado se consolida como principal destino turístico do país, com fluxo de turistas maior que em período anterior à pandemia. Dados foram gerados nos três primeiros meses do programa Reviva Turismo, lançado em maio pela Secult

15 10 2021 miniturismo
Imagem: Acervo Secult 

O período de pandemia fez com que revíssemos uma série de conceitos, hábitos e, porque não, de valores e costumes. Em vários setores da vida, já é possível perceber claramente essas mudanças. O ato de viajar e o que as pessoas procuram ao fazer turismo são exemplos disso. Antes colocada como tendência, a fruição ao ar livre, assim como os deslocamentos mais próximos, além da escolha por um lugar mais acolhedor e seguro neste momento, se tornaram a nova realidade do ir e vir do ser humano pelo planeta, por um período presente e futuro que ainda está para ser identificado. É neste cenário que Minas Gerais vem se destacando, com números substanciais que indicam o crescimento do turismo no estado, colocando-o como o principal destino brasileiro em 2021.

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) lançou, em maio deste ano, quando o setor do turismo começou a dar sinais de retomada gradual com o avanço da vacinação no Brasil, o programa Reviva Turismo, voltado a identificar tendências e promover o estado, seguindo os protocolos de biossegurança. Desde que ele foi colocado em prática, o fluxo turístico em Minas Gerais identificou uma movimentação de mais de 6 milhões de pessoas, garantindo números maiores inclusive que o período anterior à pandemia. Pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, por exemplo, uma das portas de entrada para o estado, em agosto de 2019, período pré-pandemia, passaram cerca de 570 mil pessoas. Já em agosto de 2021, o fluxo supera 670 mil turistas, ou seja, mais de 100 mil novos viajantes pelo estado.

O novo relatório divulgado pelo Observatório do Turismo de Minas Gerais (OTMG) registra que, em agosto de 2021, mais de 2 milhões de viajantes circularam pelo estado. Segundo dados da última Pesquisa de Demanda realizada pelo Estado, em 2016, visto que ainda não há uma medição mais atualizada deste viés até então, a média de gasto de um turista em Minas Gerais é de cerca de R$ 105 por dia. A média de permanência do viajante no estado é de aproximadamente 6 dias, o que dá o valor R$ 630 por turista. Ao multiplicarmos 2 milhões de pessoas por R$ 630, chegamos ao montante de R$ 1,26 bilhão injetados na economia mineira por mês desde maio de 2021. Em três meses, desde o lançamento do Reviva Turismo, esse número chega a R$ 3,78 bilhões.

No que diz respeito ao movimento de empregos no setor do turismo em Minas Gerais, que vinha registrando quedas até o mês de maio, a partir de junho, com a recuperação exponencial que o setor vem passando, já houve registro de mais de 12 mil novas vagas preenchidas no acumulado. Somente no último mês de agosto foram registrados mais de 5 mil postos de trabalho ocupados no setor do turismo no estado. O programa Reviva Turismo colocou como meta o aumento de 100 mil empregos na área em 15 meses. Em três, o estado já alcançou, portanto, 12% desse montante.

Minas conquista o imaginário coletivo
O contexto promissor vivido por Minas Gerais no momento é comprovado também pelos papéis de destaque que o estado vem desempenhando nas mais variadas vertentes relacionadas ao turismo.  A tradição, a cultura, a cozinha e o jeito único de seu povo fazem de Minas um dos dez destinos mais acolhedores do mundo, segundo o ranking global da premiação Travellers Review Awards 2021, da plataforma de reservas online Booking.com. Esta é a primeira vez que uma localidade brasileira está presente na lista das Regiões Mais Acolhedoras no Mundo.

De acordo com a mesma premiação da Booking.com, Minas Gerais também abriga três das 10 regiões mais acolhedoras do Brasil. Pela lista divulgada neste ano pela plataforma, Monte Verde, no Sul de Minas, aparece em segundo lugar. Já Lavras Novas, distrito de Ouro Preto, na região central, está na sétima posição. Quem fecha o rol dos locais mais acolhedores do país, no 10º lugar, é a Serra do Cipó, compreendida pelo município de Santana do Riacho, também na região central de Minas Gerais. 

Já São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto de 730 habitantes banhado pelo Rio das Velhas, é um dos três destinos brasileiros selecionados pelo Ministério do Turismo (MTur) para representar o Brasil no concurso “Melhores Vilas Turísticas do Mundo”, promovido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), agência das Nações Unidas.

As sucessivas conquistas do estado em notoriedade são também reflexo das campanhas “Minas para Minas”, “Minas para o Brasil” e “Minas para o Mundo”, desenvolvidas pela Secult no âmbito do Reviva Turismo. “Minas para Minas”, que teve início há cerca de um ano, relaciona-se ao turismo de proximidade, e ofereceu o destino Minas Gerais para os próprios mineiros, para que estes possam se reconhecer, visitar e resgatar o seu amor pelo estado, exaltando o sentimento de pertencimento do mineiro. A segunda etapa é a “Minas para o Brasil”, fase atual, que conta com ações de promoção e comercialização do destino Minas Gerais nos modelo B2B e B2C, como, por exemplo, parcerias com operadoras e agências para oferecimento de pacotes para todo o Brasil, ações de audiovisual e turismo autoguiado. As ações conjuntas com operadoras e agências brasileiras têm efeito internacional, abrindo a nova fase que será a campanha “Minas para o Mundo”.

Mas o reconhecimento das potências do estado não para por aí. Um dos seus maiores cartões de visita, a singular Cozinha Mineira, ganha os holofotes com a recente conquista no concurso internacional “Mondial du Fromage et des Produits Laitiers”, promovido na França. Produtores mineiros ganharam 40 medalhas das 57 faturadas pelo Brasil, liderando o ranking brasileiro na premiação. Além do alto número de prêmios no quadro geral, Minas Gerais levou quatro das cinco medalhas Super Ouro, que são as mais cobiçadas e mais raras, revelando a força e o vigor da cozinha mineira, o cuidado e a excelência de nossos produtos artesanais.

Minas Gerais é também o maior produtor de café do Brasil, sendo responsável por aproximadamente 54,3% da safra nacional, colocando o país como maior produtor e exportador do grão no mundo, de acordo com dados do Observatório do Café, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). No estado, são 463 municípios produtores de café em uma área cultivada de 1,2 milhão de hectares (dados do mapeamento do parque cafeeiro mineiro de 2018). A macrorregião Norte e Vales do Jequitinhonha e Mucuri possuem 77 municípios produtores e uma área plantada de 37,8 mil hectares. Já o Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Nordeste somam 51 municípios e uma área cafeeira de 211,9 mil hectares. Na Zona da Mata mineira, Vale do Rio Doce e região Central são 181 municípios e uma área cultivada de 322 mil hectares. As regiões Sul e Centro-Oeste, juntas, possuem a maior área. São 649,9 mil hectares plantados em 154 municípios.

Já os azeites mineiros também ganharam evidência em setembro, durante o Brazil International Olive Oil Competition 2021, concurso que reuniu produtos de países da América Sul, da América do Norte e da Europa. Foram premiados azeites de Baependi e de Andrelândia, enquanto os produtos da Serra da Mantiqueira já vêm conquistando paladares há alguns anos em premiações internacionais.

Crédito facilitado para setores de turismo e eventos
O Governo de Minas, por meio de parceria entre a Secult e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), dentro do eixo de Infraestrutura do Programa Reviva Turismo, está oferecendo linhas de crédito especiais para os setores de turismo e eventos. O BDMG reduziu para 5% ao ano + SELIC a taxa para micro e pequenas empresas de Minas Gerais interessadas em obter crédito por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O movimento beneficia os setores ligados a turismo e eventos e diferencia o banco da concorrência, uma vez que as demais instituições financeiras do mercado estão praticando uma taxa de 6% ao ano + SELIC.

O crédito da linha Pronampe pode ser aplicado em capital de giro ou em investimentos, com prazo total de 48 meses para pagar e 11 meses de carência. Além da menor taxa de juros, há outros diferenciais em relação ao restante do mercado: as empresas com participação feminina no capital social maior ou igual a 50%, há pelo menos seis meses, e as empresas da cadeia do turismo, eventos, bares e restaurantes, contam com Tarifa de Abertura e Acompanhamento de Crédito (TAAC) reduzida.

Além dessa importante iniciativa, Minas Gerais comemora o crescimento constante dos contratos assinados por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur). No país, entre 2020 e 2021, 6.385 contratos foram firmados no Fundo, e o estado ocupa a segunda posição com a maior quantidade de contratos, somando 1.113 entre janeiro de 2020 e outubro de 2021. Esse indicador positivo da economia do turismo em Minas é também reflexo das ações do programa Reviva Turismo para estimular o setor. O Fungetur é uma linha de financiamento com recursos do Ministério do Turismo (MTur) destinada, preferencialmente, aos segmentos de micro, pequenas e médias empresas. O aumento desse índice representa giro mais estável na economia do turismo, uma vez que é possível ampliar a capitalização de empresas ligadas ao setor, garantindo a seu funcionamento, a realização de obras de infraestrutura turística, além de manutenção de empregos no estado.

Minas para o Mundo
Para consolidar a internacionalização de Minas Gerais, a Secult já percorreu os primeiros passos com a abertura de uma representação do estado em Portugal, tornando Minas o primeiro estado brasileiro a ter este tipo de ação no exterior. A estratégia integra campanha “Minas para o Mundo”, mais uma ação do Programa Reviva Turismo. O ponto de partida para promover o destino Minas Gerais em terras estrangeiras começa com o projeto Via Liberdade, rota turística e cultural que irá se estender pela BR 040, ligando as belezas, as histórias, a cultura e a arte de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal. Além de comemorar o bicentenário de independência do Brasil, o projeto celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna, em 2022.

A intenção de levar a cozinha mineira para o mundo foi enfatizada na última quarta-feira, quando o secretário Leônidas Oliveira e a subsecretária de Turismo, Milena Pedrosa, estiveram na Assembleia Legislativa, a convite do presidente da Comissão de Turismo da Casa, o deputado Mauro Tramonte, e o Corpo Consular no Estado, além de outras entidades ligadas ao turismo e à gastronomia, para traçar estratégias de promoção da nossa culinária inicialmente na Europa e nas Américas, para depois ganhar contornos para o restante do mundo. Um evento está previsto para Portugal no início de novembro, para dar o pontapé inicial nesta ação.

Edital Reviva Turismo vai ajudar a promover Minas como destino
Em iniciativa inédita no estado e pioneira no Brasil, a Secult também lançou o Edital Reviva Turismo para fomentar o turismo mineiro. Orçado em R$ 10 milhões, o edital representa ainda o fortalecimento das parcerias do Governo de Minas com o setor privado na estruturação e promoção conjunta da marca Minas como destino. O objetivo é realizar investimentos de marketing para divulgar e promover o potencial turístico de Minas Gerais, o aumento do número de visitantes ao estado e gerar, assim, mais empregos, renda e desenvolvimento socioeconômico.

O edital, que terá o período de inscrições entre 25 de outubro e 8 de novembro deste ano, prevê o investimento em 60 projetos, sendo 20 de apoio à comercialização (R$ 80 mil para cada) e outros 40 projetos de promoção (R$ 210 mil para cada). Dentre as ações de apoio à comercialização, a expectativa é sejam criadas ações como famtours; encontros de negócios; treinamentos e elaboração de roteiros turísticos em conjunto para operadores e agentes de viagens; além da criação, produção e divulgação online, seguindo a tendência de compra do turista.

Já dentre as ações de promoção de destinos e produtos turísticos as ações são: criação, produção e divulgação online de materiais digitais, conteúdos promocionais para redes sociais, sites ou blogs, press trips, ações de publicidade ou propaganda exclusivamente online; produção e aquisição de fotos e vídeos, de alta qualidade, para fins de promoção do destino ou produto turístico.

Os proponentes deverão ser organizações sociais que trabalham com turismo e possuam produtos turísticos já estruturados. Todos os projetos devem atuar com produtos turísticos mineiros com foco no turismo cultural, turismo de natureza, turismo de aventura, turismo gastronômico, turismo rural, turismo de negócios e eventos e cicloturismo.

Acesse o Edital e seus anexos AQUI.

Turismo & Lazer

CIRCUITO LIBERDADE GANHA ATRAÇÃO NA REDE MINAS

“Viva Liberdade” estreia na programação semanal no Agenda e Jornal Minas, nos dias 14/10 e 15/10. Atração faz parte do plano “Descentra Cultura”, da Secult.

Circuito Liberdade – Foto: Lúcia Sebe

Visitar atrativos mineiros e conhecer lugares pela tela da TV aberta. Essa é a proposta do “Viva Liberdade”, quadro que estreia na Rede Minas e mostra locais e rotas temáticas do “Circuito Liberdade”. Localizado em Belo Horizonte, é considerado um dos maiores complexos culturais e turísticos do Brasil. Sob o comando da jornalista Flávia Moreira, o público vai conhecer esses espaços que atraem milhares de visitantes. A cada edição, curiosidades, informações históricas, dicas e a diversificada programação cultural.

Para a estreia, o destaque é o Palácio da Liberdade, que foi reaberto há pouco para visitação. Construído em 1895, o edifício abrigava a sede do governo de Minas Gerais. Dos seus salões foram tomadas importantes decisões políticas. Destaque, também, para a arquitetura. Escadaria belga, jardins que abrigam esculturas francesas, coreto e orquidário são alguns dos pontos que fazem desse cenário um cartão postal.

Palácio da Liberdade – Foto: Lúcia Sebe

Sob o comando da jornalista Flávia Moreira, o “Viva Liberdade” é exibido todas as quintas, no programa Agenda, às 19h10, e às sextas, no Jornal Minas 1ª Edição, às 12h30. A atração passou a integrar, desde o dia 01/10, a grade de programação da Rádio Inconfidência às terças, quintas, sábados e domingos, às 13h30 e às 20h30. A produção é da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), da qual fazem parte a Rede Minas e Rádio Inconfidência.  A atração faz parte do “Descentra Cultura”, plano da Secult de regionalização e democratização ao acesso aos bens e serviços da Cultura visando à descentralização de recursos, formação e atividades culturais pelos municípios mineiros.

O “Viva Liberdade” sobre o Palácio da Liberdade estreia nesta quinta (14), às 19h10, no Agenda, da Rede Minas, e na sexta (15), no Jornal Minas 1ª Edição, às 12h30. O público pode acompanhar a atração pela Rede Minas ou, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv.

SERVIÇO:
Viva Liberdade – estreia Rede Minas – dias 14 e 15/10
-Quinta, 14/10 , às 19h10 – Agenda
-Sexta, 15/10, às 12h30  – Jornal Minas 1ª Edição

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431

Turismo & Lazer

“PARTIU UAI” ESTREIA NA REDE MINAS E MOSTRA DESTINOS TURÍSTICOS MINEIROS

A diversidade de atrativos no Estado é apresentada em quadro especial todas as sextas

Ouro Preto – divulgação Rede Minas

Minas Gerais foi apontada como um dos dez destinos mais acolhedores do mundo, segundo o ranking global da premiação Traveller Review Awards 2021. O estado é grande e o que não faltam são cidades que prometem agradar a todos os gostos. Para mostrar essa diversidade, a Rede Minas e as emissoras parceiras percorrem as mais diferentes regiões e mostram esses locais no quadro “Partiu Uai”. Todas as sextas-feiras, o público confere belezas naturais, história e curiosidades. Ouro Preto é destaque na estreia, nesta sexta (08), no Jornal Minas 1ª e 2ª Edição.

Localizada na região central do Estado, Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a ser reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. A equipe da Rede Minas desembarcou no município e mostra os atrativos. Considerada um museu à céu aberto, Ouro Preto oferece opções que vão desde edificações históricas e artísticas à cozinha mineira.

Partiu Uai – Rede Minas

O quadro “Partiu Uai” estreia nesta sexta (08), no Jornal Minas 1ª e 2ª edição, às 12h30 e 19h30, pela Rede Minas. A reportagem também pode ser conferida, nesses mesmos horários, pelo site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431

Turismo & Lazer

DOCUMENTÁRIO QUE RETRATA O COTIDIANO DE VILA MINEIRA NA ZONA DA MATA VAI AO AR NA REDE MINAS, NESTA SEXTA

Faixa de Cinema exibe o longa “Sopro”, de Marcos Pimentel, que revela uma comunidade preservada em Minas Gerais

Foto: Matheus Rocha

As paisagens do interior de Minas Gerais chegam à tela da Faixa de Cinema, da Rede Minas, nesta sexta (08). O vento, a poeira, as montanhas, o silêncio e o tempo compõem o cenário e enredo do documentário “Sopro”, do diretor juiz-forano Marcos Pimentel. O longa resgata detalhes de Minas escondidos em uma pequena vila rural, onde cinco famílias vivem há anos quase isoladas do mundo exterior.

O filme “Sopro” fala sobre a existência humana e os mistérios da vida e da morte mostrados no cotidiano de uma vila rural, localizada nas proximidades do Parque Estadual do Ibitipoca, na Zona da Mata. As imagens acompanham pequenas casas isoladas na montanha da região e, principalmente, a visão de uma criança e suas descobertas sobre o mundo e a finitude da vida naquele espaço. Entre a fantástica imersão nesse lugar, o homem e a natureza transitam entre a harmonia e os conflitos, na imensidão de uma paisagem que parece esgotar o olhar.

Foto: Matheus Rocha

Com caráter minimalista, “Sopro” foi o primeiro longa-metragem da carreira de Marcos Pimentel e rodou por diversos festivais nacionais e internacionais, passando por 16 países. Natural de Juiz de Fora, Marcos é diretor, roteirista e produtor. Já realizou diversos filmes e trabalhos para televisão, como o especial mineiro “Dia de Reis”, da Globo Minas, e séries. Suas obras já conquistaram mais de 90 prêmios em diversos festivais em todo o mundo.

A Faixa de Cinema com o filme “Sopro”, de Marcos Pimentel, vai ao ar nesta sexta (08), às 23h, pela Rede Minas. O filme também pode ser visto, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessora de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
tatianacoutinho.tc@gmail.com
(31)3254-3431

Turismo & Lazer

Secult-MG participa da 48ª ABAV Expo & Collab em Fortaleza

Evento, que acontece em formato híbrido, vai reunir o trade turístico em ações que envolvem o fortalecimento e a retomada do setor no país

5 10 2021 miniabav
Imagem: Xará

Minas Gerais é rota de destaque durante a realização da 48ª ABAV Expo & Collab. A feira, que acontece de 6 a 8 de outubro em Fortaleza (CE), em formato híbrido, é um dos maiores e mais importantes eventos de Turismo de Negócios na América Latina e reúne representantes de diferentes segmentos do trade turístico. Em 2021, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) terá um estande próprio na feira, para apresentar aos participantes o Destino Minas Gerais e as iniciativas do Programa de apoio à comercialização de destinos, o Minas Recebe, coordenado pela pasta, além de trocar experiências com outras entidades.

Com a retomada gradual das atividades turísticas, Minas Gerais tem se destacado como o principal destino para turistas no país, superando praias e outros roteiros mais conhecidos. Em pesquisa divulgada pelo IBGE, em agosto, o estado apresentou crescimento de 19,7% nas atividades do setor. O índice de Minas é o maior entre todos os estados e o Distrito Federal estando, também, acima da média nacional, que teve crescimento de 11,9% no período. Em relação à receita com turismo no mesmo período, os meses de maio e junho, Minas Gerais também apresentou o melhor resultado entre os estados. As atividades turísticas em terras mineiras tiveram crescimento de 26% nestes meses, superior aos resultados de outros estados, como Santa Catarina (12,1%) e Bahia (11,4%) e também ao resultado nacional, que foi de 6,2%.

Destaques de Minas
A tradição, a cultura, a cozinha e o jeito único de seu povo fazem de Minas Gerais um dos dez destinos mais acolhedores do mundo, segundo o ranking global da premiação Traveller Review Awards 2021 da plataforma de reservas online Booking.com. Esta é a primeira vez que uma localidade brasileira está presente na lista das Regiões Mais Acolhedoras no Mundo. De acordo com a premiação Travellers Review Awards 2021, da também da Booking.com, Minas Gerais abriga três das 10 regiões mais acolhedoras do Brasil. De acordo com a lista divulgada, Monte Verde, no Sul de Minas, aparece em segundo lugar. Já Lavras Novas, distrito de Ouro Preto, na região central, está na sétima posição. Quem fecha o rol dos locais mais acolhedores do país, ocupante do 10º lugar, é a Serra do Cipó, compreendida pelo município de Santana do Riacho, também na região central de Minas Gerais. 

São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, foi um dos três destinos brasileiros selecionados pelo Ministério do Turismo (MTur) para participar do concurso “Melhores Vilas Turísticas do Mundo”, promovido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), agência das Nações Unidas.

Minas segue à frente também com a criação de uma representação no exterior, em Portugal, integrando a Campanha Minas para o Mundo, ação do Programa Reviva Turismo. O ponto de partida para promover o destino Minas Gerais em terras estrangeiras começa com o projeto Via Liberdade, rota turística e cultural que irá se estender pela BR 040, ligando as belezas, as histórias, a cultura e a arte de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal. Além de comemorar o bicentenário de independência do Brasil, o projeto celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna, em 2022.

Minas também comemora a eleição do aeroporto internacional de Confins como o melhor do país na Pesquisa Nacional de Satisfação de Passageiros e Desempenho Aeroportuário de agosto de 2021.

A Secult desenvolve o Programa Reviva Turismo, que possui quatro eixos estratégicos: biossegurança, estruturação, capacitação e marketing do destino Minas Gerais. O programa recebeu recentemente novo aporte, de R$ 25 milhões, destinados a edital para projetos voltados à promoção turística e a ações que estimulem a competitividade no mercado.

O Programa Minas Recebe, iniciativa da Secult elaborada para apoiar a comercialização dos serviços e produtos turísticos oferecidos pelas agências e operadoras de turismo receptivo do estado, também será apresentado aos participantes da 48ª ABAV Expo & Collab.

Durante a realização da feira, técnicos da Superintendência de Marketing Turístico da Secult estarão presentes no local para apresentar as iniciativas da pasta para a promoção do Destino Minas em todo o país. Os profissionais da Secult também estarão disponíveis para atendimento em um estande virtual, oferecendo informações sobre Minas Gerais e disponibilizando conteúdos de divulgação do estado.

A 48ª ABAV Expo & Collab é realizada pela Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV), entidade nacional presente em 26 estados e no Distrito Federal. A edição 2021, no Centro de Convenções Ceará, em Fortaleza, terá o formato híbrido, com programações presenciais e atividades em ambiente virtual, reunindo toda a cadeia turística em um momento de fortalecimento e preparação para a retomada do setor. Outras informações sobre a feira estão disponíveis AQUI.

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Turismo & Lazer

Prefeitura de Gonçalves e Airbnb fecham parceria para apoiar turismo pós-pandemia

O Departamento de Turismo e Cultura de Gonçalves e o Airbnb, maior empresa global de compartilhamento de lares e experiências em viagens, fecham um acordo para apoiar a retomada do turismo da cidade mineira pós-pandemia, no contexto do avanço da vacinação no país.

A parceria prevê colaboração em áreas como inteligência de mercado, para o compartilhamento de informações relacionadas ao turismo, e ações para promover, por meios digitais, Gonçalves como destino. Além disso, estão previstas ações educativas para os hóspedes que chegam à região, incluindo a divulgação, via plataforma, de orientações sobre as melhores rotas para chegar às acomodações alugadas pelo Airbnb e dicas turísticas na região da Serra da Mantiqueira.

A Prefeitura de Gonçalves, através do Departamento de Turismo e Cultura, contará com todo o know-how e expertise do Airbnb como parceiro, para auxiliar a sua área de comunicação em questões relacionadas à conscientização turística e ambiental, divulgação de novos atrativos na área do município, sejam eles públicos ou particulares, aprimoramento dos trabalhadores da área, fornecimento de dados estatísticos, além da orientação sobre regras locais – como no caso da pandemia de Covid-19 – e campanhas diversas, para tornar a experiência dos turistas e visitantes a mais agradável possível, criando laços duradouros e afetivos e para que retornem sempre à nossa querida cidade.

Segundo o Diretor do Departamento Municipal de Turismo, Álvaro Expedito da Costa: “Esperamos que essa parceria melhore muito o receptivo turístico para os visitantes e que torne Gonçalves referência como um lugar seguro e sustentável. Sem dúvida será uma parceria duradoura e de grande sucesso, trazendo inúmeros benefícios para nosso município e para todos que vivem do turismo”.

O Airbnb vai compartilhar dados agregados sobre comportamento e tendências de viagens com foco na cidade. Essas informações vão ajudar na elaboração de estratégias e no planejamento de ações do município. O Airbnb também irá dividir boas práticas e inovações desenvolvidas pela plataforma, especialmente as que contribuam para viagens seguras e responsáveis. A parceria é de cooperação técnica, sem envolvimento de recursos financeiros.

“O Airbnb possibilita um perfil turismo autêntico, que valoriza a cultura local e movimenta a economia da cidade de forma responsável e segura, com todos os protocolos de higienização e saúde”, afirma Daniela Teixeira, gerente de relações institucionais e governamentais do Airbnb no Brasil. “Além disso, a colaboração para informar os hóspedes de aspectos importantes da estadia, como as melhores vias de acesso até as casas alugadas, é algo com que podemos contribuir de forma efetiva”, acrescenta.

DSC_1042

Historicamente, o impacto econômico gerado pelo Airbnb tem sido expressivo. No Brasil, chegou a R$ 10,5 bilhões em 2019, considerando gastos de hóspedes em diversos segmentos relacionados ao turismo, como comércio e restaurantes locais, não apenas com acomodação. Em 2020, 59% dos anfitriões brasileiros disseram que a renda obtida com a locação dos seus espaços no Airbnb os ajudou a permanecer em casa durante a pandemia.

Protocolo de Higienização

Aspectos de limpeza e higienização ganharam uma relevância ainda maior na decisão do viajante no contexto da pandemia e essa é outra tendência que veio para ficar. No segmento de compartilhamento de residências, estabelecer novos padrões de higienização foi fundamental. E o Airbnb foi pioneiro nesse sentido, desenvolvendo o Protocolo Avançado de Higienização em 5 etapas, com orientação de autoridades sanitárias e especialistas internacionais, como o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), nos EUA, referência nos esforços de combate à COVID-19. O Protocolo (disponível desde junho de 2020) inclui especificações sobre como higienizar todos os cômodos de uma casa e um selo para as acomodações, e é solicitado a todos os anfitriões.

A plataforma também proibiu, em agosto de 2020, festas e eventos em acomodações, para evitar aglomerações e contribuir para estadias responsáveis. E possui orientações e boas práticas também para hóspedes, disponíveis no site e com as quais eles devem se comprometer no momento da reserva. As recomendações incluem uso de máscaras e prática de distanciamento social por anfitriões e hóspedes ao interagirem. Além disso, lançou, em abril de 2021, o Canal de Apoio ao Vizinho, uma ferramenta para auxiliar as autoridades e comunidades locais e facilitar a comunicação de eventuais incidentes em reservas nas proximidades.

Sobre o Departamento de Turismo e Cultura de Gonçalves
O Departamento Municipal de Turismo e Cultura de Gonçalves é o órgão da Prefeitura de Gonçalves responsável por regulamentar, fiscalizar e fomentar estas duas áreas no âmbito municipal. Vale destacar que o turismo é a principal atividade econômica de Gonçalves e vem crescendo exponencialmente ano após ano. O município tem se destacado como um dos principais destinos turísticos na região da Serra da Mantiqueira, devido à cultura local, às inúmeras belezas naturais (picos, cachoeiras, florestas, etc), hospitalidade do seu povo e gastronomia.

Sobre o Airbnb

O Airbnb nasceu em 2007, quando dois anfitriões receberam três hóspedes em sua casa em São Francisco. Hoje, conta com 4 milhões de anfitriões, que já receberam mais de 1 bilhão de hóspedes em quase todos os países. Todos os dias, os anfitriões oferecem acomodações e experiências únicas, que possibilitam aos hóspedes vivenciar o mundo de uma forma mais autêntica e conectada.

Contatos para a imprensa – airbnb@idealhks.com
Fonte: Barbara Molina
Fotos: https://oqueijovainamalablog.wordpress.com/

Turismo & Lazer

Tiradentes: Um destino para os amantes da Cozinha Mineira

Apaixone-se pela história e pelos sabores de Tiradentes

Tiradentes é uma das cidades mais reconhecidas do estado. Um destino que oferece aos turistas uma mistura de cores, histórias, religiosidade, cultura e, é claro, um dos maiores redutos gastronômicos de Minas Gerais.

Um Pouco de História

Fundada por volta de 1702, com a descoberta do ouro nas encostas da Serra de São José, a cidade, inicialmente um arraial chamado Santo Antônio do Rio das Mortes acabou se tornando uma das mais importantes cidades históricas mineiras. Em 1718 o arraial foi elevado à vila, com o nome de São José, em homenagem ao príncipe D. José, Futuro rei de Portugal, passando em 1860, à categoria de cidade.

A importância histórica da cidade se deve ao nome, em homenagem ao que talvez seja o mais expressivo herói da inconfidência mineira, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. 

O Conjunto da cidade foi tombado em 20 de abril de 1938  pelo então Serviço do patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), sendo conservado de forma quase integral. 

É um destino que sem sombra de dúvidas representa a riqueza histórica, cultural e até mesmo arquitetônica do estado. Além disso, a cidade é um deleite para os olhos, rendendo roteiros imperdíveis. 

Os Sabores de Tiradentes


Com tanta riqueza histórica e cultural, Tiradentes se destaca também por seus sabores. Sejam esses tipicamente mineiros ou releituras dos grandes pratos tradicionais, a cidade é um dos berços da criatividade na nossa cozinha. 


Rota do Queijo Terroir Vertentes

A cidade é um dos deliciosos destinos da Rota do queijo Terroir Vertentes, roteiro dedicado a visitar queijarias da região do Campo das Vertentes , uma das regiões certificadas para a produção do tradicional Queijo Minas Artesanal. 

Além de vivenciar o roteiro, o turista tem a oportunidade de experimentar alguns dos melhores queijos do país. É bom separar um espaço na mala, porque quem experimenta uma vez quer levar, e é claro, voltar. 

Espaço que une a ruralidade e a alta gastronomia

Além dos queijos, Tiradentes se destaca por ser um destino predominantemente rural. Um refúgio da urbanidade, e isso é claro, significa muito afeto e carinho na cozinha. Nossos ingredientes típicos dominam a gastronomia local: frango, quiabo, queijo, ora pro nobis são alguns dos maiores exemplos da mineiridade na cozinha de Tiradentes. 

Além dos ingredientes a cidade é famosa também pelas quitandas, bolos e broas, cujas receitas são passadas entre gerações e o cheiro atravessa as janelas, um convite tentador!

Tantos sabores diversos tornaram o município um dos principais destinos do país, sendo berço  de um dos mais tradicionais festivais gastronômicos do Brasil e do mundo!

Gastronomia e Cultura

Unindo atrações digitais e presenciais, o festival de gastronomia e cultura de Tiradentes é um dos principais festivais do ramo, visando promover e premiar a cadeia produtiva do setor, incentivando o turismo e fomentando a economia local através dos sabores tradicionais do lugar. 

Uma pedida imperdível para os amantes da boa cozinha mineira e de paisagens de tirar o fôlego, Tiradentes é sem sombra de dúvidas um destino apaixonante. Vale a pena demais conhecer e se encantar pelas delícias da cidade!

Texto: Luís Carneiro
Fonte: https://minasgerais.com.br/

Turismo & Lazer

São João del-Rei oferece trilha com natureza e história

Trilha pelo Canal dos Ingleses: obra quilométrica dos escravos escondida na serra de São João del-Rei.

Quando se fala em São João del-Rei, o que vem a sua mente? Casarios coloniais? Comida mineira? Igrejas barrocas? Maria Fumaça?

Sim, essa cidade histórica de Minas, localizada no Campo das Vertentes, tem todas essas maravilhas e oferece ainda muitas outras riquezas. A conversa entre os sinos das suas igrejas, os mistérios da cidade que só seus moradores conhecem, os raros rituais da Semana Santa, o picolé delicioso de frutas, são exemplos de suas preciosidades. E tem uma ainda pouco conhecida pelos turistas: o Canal dos Ingleses.

Como conheci o Canal dos Ingleses

Quem me levou até lá foi um amigo são-joanense, Hélio Carvalho, profundo conhecedor das trilhas na região.

Há muito tempo Hélio comentava comigo dessa construção do período da mineração, na Serra do Lenheiro, mas mesmo com toda descrição que ele fizera, quando conheci o Canal, me espantei com sua dimensão.

Distâncias de São João del-Rei a outras cidades

Belo Horizonte – 188 km

Tiradentes –  16 km

Prados – 28 km

Carrancas – 80 km

Como chegar

Fizemos a trilha em um dia chuvoso do Carnaval de 2020. Começamos em frente à Igreja do Senhor dos Montes e, cerca de 15 minutos depois, já estávamos na área da Serra.

Os primeiros indícios do Canal surgem em uma pequena depressão. Com a explicação do Hélio, foi fácil perceber o contorno do antigo mundéu (como os são-joanenses chamam os diques) que existia ali. Logo ele me mostrou também os trechos do canal, talhado em algumas rochas. Fiquei impressionada!

Foto: Área onde existia um mundéu que represava a água.

A trilha pela Serra do Lenheiro

Parte da Serra do Lenheiro está inserida em um parque municipal criado em 2016, mas ainda não implantado, portanto, não há sinalização e nem infraestrutura de apoio ao visitante. Procure por guias e agências de receptivo da cidade para chegar até o Canal.

A trilha não é longa, tem cerca de 5km considerando ida e volta. Nem demanda grande esforço físico. Mas aconselho que só seja feita por quem tem hábito de andar no meio do mato, em área de rocha e terreno irregular e que não tenha medo de altitude, porque em alguns pontos há necessidade de escalaminhada e de caminhar onde não há trilha. O joelho também deve estar bom. É fundamental um calçado adequado (tênis ou bota de caminhada) e calça para proteger a perna do mato, já que a trilha não é limpa.

O Canal dos Ingleses

A construção inclui túneis, barragens, diques, calhas de madeira sobre vales, além de canais secundários para atender novos pontos de mineração.

Com cerca de 2 km de extensão, é todo talhado na pedra seguindo a curva de nível pela encosta da serra.Transportava água, por gravidade, das nascentes até a área onde era retirado o cascalho que precisava ser lavado em busca de ouro. Tudo isso feito por pessoas negras escravizadas ao longo dos séculos 18 e 19 com as ferramentas então disponíveis. É incrível!

Foto: Trecho do Canal dos Ingleses onde a trilha é mais limpa.

Caminhei pelo canal imaginando a água correndo por ele, as pessoas ali talhando tanta rocha. De repente, me deparei com um túnel que corta um bloco de pedra e que, de tão extenso, não permite que se enxergue a saída do outro lado. Para acessá-la, percorremos lateralmente a rocha e descemos na outra extremidade, numa área coberta pela mata entre dois altos paredões. Sabe aquela sensação de filme de aventura? Foi o que senti ali.

Foto: Trecho do Canal dos Ingleses onde a trilha contém vegetação.

A trilha é ainda enriquecida pelo visual do topo da serra de onde se avista a área urbana, pela vegetação com flores lindas, pela Gruta do Caititu, onde os africanos escravizados faziam seus rituais religiosos, pelos cruzeiros marcando a via-sacra ao longo da serra, e outros segredos desses morros.

A história do Canal dos Ingleses


São João del-Rei formou-se com a descoberta de ouro na região, no século 18. A mineração era feita, principalmente, na Serra do Lenheiro, um conjunto de morros que esconde-se atrás do centro histórico.

Segundo contam os historiadores Ulisses Passareli e Luís Antônio Miranda (2006), o Canal foi construído, por volta de 1740, por João Rodrigues da Silva, vereador e sargento-mor.

No alto da serra, foi construída uma represa com grandes pedras, acima da Cachoeira Véu de Noiva, barrando o Córrego do Lenheiro. Ela enchia-se à noite para ser drenada de dia, por meio de um canal, que lavraram no terreno pedregoso, quando melhor, em muitos lugares na pedra bruta, serra abaixo, em suave declive.

​Foto: Encaixe Calha. Detalhe do Foto: Encaixe de calha. Detalhe do recorte na pedra onde possivelmente era encaixada uma calha para transporte da água.

No século 19, com a redução da mineração, essas estruturas ficaram abandonadas. Foi quando chegou na cidade um médico inglês, Dr. Jorge Such, contratado pela Santa Casa de Misericórdia local. Ele comprou as terras com o canal e fundou, com outros conterrâneos, em 1830, a “Saint John del Rey Mining Company (limited)” para explorar o ouro. Reativaram as obras já existentes e complementaram com novos investimentos.

Mas a empresa não durou muito. Cinco anos depois, com prejuízos, a companhia deixou São João. A atividade, então, ficou entregue aos mineradores avulsos, chamados de faiscadores, que tentavam a sorte usando apenas pá e bateia. Mas o empreendimento dos ingleses é que deu o nome ao Canal, apesar de não terem sido eles quem realmente o implantaram.

Uma curiosidade que só quem é de São João del-Rei sabe

Em um local de destaque da Serra do Lenheiro há um cruzeiro que pode ser visto de alguns pontos da cidade, como do adro da Igreja do São Francisco.

Dizem que o cruzeiro foi fixado por Zé Poeta, um faiscador que garimpava na serra tentando achar ouro. Segundo o que contam, na década de 1970, ele encontrou uma pedra com 660g de ouro, o suficiente para parar de garimpar e sumir no mundo. Mas antes de ir-se embora da cidade, ele comprou um terreno e o doou para a Paróquia de Senhor dos Montes, bairro vizinho à serra.  E ainda instalou o cruzeiro em agradecimento. Depois ninguém nunca mais teve notícia do rapaz. Quando estiver passeando por São João, olhe para o alto da serra e procure pelo cruzeiro do Zé Poeta.

Foto: Cruzeiro do Zé Poeta

E aí, ficou animado pra dar uma pausa na correria e fazer esse passeio ao ar livre? 

Fonte: www.minasgerais.com.br/pt/blog

Turismo & Lazer

Jardim Botânico da UFJF será reaberto ao público nesta sexta-feira

O espaço terá reforço das medidas de biossegurança, que incluem limite menor de visitantes simultâneos, fixado em 150 pessoas

As portas do Jardim Botânico serão reabertas ao público nesta sexta-feira (17). A área remanescente da Mata Atlântica poderá ser visitada pela população de terça a domingo, das 8h às 17h com a última entrada às 16h. A visitação permanece gratuita, sem necessidade de agendamento prévio. No entanto, a direção do Jardim divulgou algumas orientações de biossegurança aos visitantes, que farão parte do regramento para a entrada e a permanência no espaço, entre elas, o uso de máscara cobrindo boca e nariz em todos os ambientes durante toda a visita e o uso do álcool em gel disponível na portaria e nos banheiros.

Além disso, é aconselhável que os visitantes levem seu próprio álcool em gel e suas próprias garrafas d´água, a direção salienta que há bebedouros para que elas sejam recarregadas. Nesse primeiro momento, os piqueniques estão proibidos no espaço. Além das orientações de biossegurança, há outras prescrições, entre elas, o uso de calçado fechado, calça, boné e outros itens de segurança individual, além do cuidado com a queda de galhos e animais silvestres, inclusive os peçonhentos, como cobras e aranhas. Os locais de sentar, pisar e por a mão devem sempre ser verificados. Não é permitida a entrada de animais domésticos.

A reabertura é fruto do planejamento organizacional que visa a adequação das normas ditadas pelo Comitê de Monitoramento e Orientação de Condutas da UFJF sobre a Covid-19. De acordo com a administração, os servidores e os colaboradores receberam capacitação para lidar com as exigências do momento. Foram adquiridos itens de segurança sanitária e equipamentos de proteção individual para os trabalhadores, além da realização da sinalização dos espaços com as novas normas para a visitação com segurança.

O número de visitantes simultâneos foi reduzido de 300 para 150, e o tempo de permanência estipulado é de duas horas. Alguns espaços permanecerão fechados ao público nesse primeiro momento, entre eles, a casa-sede, que abriga as galerias de arte; e o Laboratório Casa Sustentável. Algumas atividades também permanecem suspensas, como as visitas escolares, grupos maiores de seis pessoas e ensaios fotográficos. Está permitido percorrer a Trilha da Juçara, contemplar os dois lagos com deck e ainda a visita ao bromeliário e ao orquidário em implantação.

A direção reforçou ainda a importância do benefício social da reabertura do Jardim, com a possibilidade de contemplação da biodiversidade da mata, em um momento delicado. Essa oportunidade é vista como uma alternativa que favorece a saúde mental e física dos visitantes.

Orientações de acesso

A entrada do Jardim Botânico ocorre exclusivamente pela Rua Coronel Almeida Novais, sem número, no Bairro Santa Terezinha, Zona Nordeste da cidade. Não há estacionamento no Jardim, embora existam opções privadas no entorno. Há na entrada um bicicletário com dez baias, onde os usuários precisam levar seus próprios cadeados.

Quem for de ônibus, as linhas que passam mais próximo à entrada são a 111 e a 112 – Santa Terezinha/Mundo Novo, e a parada é feita no ponto final das linhas. Todos os percursos na área interna são feitos a pé. A direção destaca ainda que, por enquanto, a acessibilidade no espaço é reduzida. O caminho principal e as trilhas são de terra. Em períodos de chuva, a passagem pode ser dificultada pelas poças e pela lama, e o acesso à casa-sede é de paralelepípedo irregular.

Fonte: https://tribunademinas.com.br/

Turismo & Lazer

Minas Gerais é o primeiro estado brasileiro a ter representação no exterior

Objetivo é consolidar o destino Minas como rota internacional; anúncio foi feito durante reunião do Conselho Estadual de Turismo

10 9 2021 minimg
Imagem: Patrick Grosner

A proposta de internacionalização do destino Minas Gerais ganha força a partir deste ano. O estado é a primeira unidade da federação a contar com um escritório fora do país, a ser instalado em Portugal. O anúncio foi feito pelo secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, na quinta-feira (9/9), durante a 50ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Turismo (CET).

De acordo com Leônidas Oliveira, o escritório tem a função de fomentar, junto à Secult e à Empresa Mineira de Comunicação (EMC), a estruturação da terceira fase de retomada das atividades turísticas no cenário pós-pandemia, a “Minas para o Mundo”, que deverá ser lançada no próximo ano.

“As primeiras fases da campanha de promoção do destino neste contexto foram o Minas para Minas e o Minas para o Brasil. Agora nos mobilizamos para alcançar o destaque internacional, conversando com players europeus, companhias aéreas, o trade em geral, operadoras, entre outros, para nos posicionarmos no mercado internacional e estarmos na vanguarda. Somos o primeiro escritório fora do Brasil, nem mesmo a Embratur tem”, ressalta o secretário.

Quem está à frente do escritório de Minas Gerais em Lisboa, capital portuguesa, é a jornalista Izabela Drumond Braga, que mora no país desde 2017. É mestranda em comunicação estratégica no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (ISCSP-UL) e pós-graduada em comunicação estratégica.

O ponto de partida para promover o destino Minas Gerais em terras estrangeiras começa com o projeto Via Liberdade, rota turística e cultural que irá se estender pela BR 040, ligando as belezas, as histórias, a cultura e a arte de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal. Além de comemorar o bicentenário de independência do Brasil, o projeto celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna, em 2022.

Políticas do turismo
Além do anúncio do escritório internacional de Minas em Lisboa, a reunião do Conselho Estadual de Turismo deliberou a respeito de importantes questões ligadas ao fomento do turismo e da cultura em Minas Gerais. O encontro, realizado de forma remota, contou também com a participação da subsecretária de Turismo, Milena Pedrosa, e do subsecretário de Cultura, Maurício Canguçu.

Na pauta, foram apresentados alguns dos resultados do Programa Reviva Turismo, política pública da Secult que envolve ações de retomada do turismo em quatro eixos estratégicos (biossegurança, estruturação, capacitação e marketing do destino Minas Gerais).

Os conselheiros deliberaram sobre o projeto Cemig Sim, iniciativa da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para promover o uso da energia solar com valores mais atrativos que os praticados pelo mercado de energia convencional. Também estiveram em pauta as ações do programa da Secult Descentra Cultura Minas Gerais, ampliando a transversalidade entre cultura e turismo no estado.

Conselho Estadual de Turismo
O Conselho Estadual de Turismo de Minas Gerais (CET) é um colegiado de caráter consultivo, propositivo, deliberativo e órgão superior de assessoramento e integração da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), que tem por finalidade propor ações e oferecer subsídios para a formulação da Política Estadual de Turismo e apoiar sua execução, com vistas a sua consolidação e continuidade.

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/