Category Archives: Saúde

Saúde

Outubro rosa, confira como a nutrição pode ajudar na prevenção da doença

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres em países desenvolvidos e em desenvolvimento. As taxas estão aumentando em todo o mundo, em particular nos casos de pós-menopausa.
Entre os fatores de risco bem estabelecidos estão, histórico familiar, idade da menarca e da menopausa, vida reprodutiva, consumo excessivo de álcool, fumo e dietas ocidentais ricas em calorias e pobres em nutrientes.
As diretrizes de prevenção do World CâncerResearch Fund (WCRF) recomendam manter um peso saudável, praticar 150 minutos de exercícios físicos de intensidade moderada por semana, limitar o consumo de álcool e comer uma dieta estilo mediterrânea, rica em vegetais, grãos integrais e gorduras saudáveis. O WCRF também afirma que os hábitos alimentares têm papel importante na prevenção e tratamento da doença.

Por isso, listo aqui, alguns alimentos que podem fazer parte de uma rotina alimentar saudável e com isso ajudar a prevenir e a tratar câncer de mama:

Ácidos graxos ômega-3: Peixes gordurosos, incluindo salmão, sardinha e cavala, são conhecidos por seus impressionantes benefícios à saúde incluindo efeito protetor contra o câncer.

• No estudo de 2015 sobre os Ácidos graxos ômega-3 na prevenção ao câncer de mama, que avaliou mulheres com altas taxas de ingestão de ômega-3 marinhos eicosapentaenoico (EPA), e ácido docosaexaenoico (DHA) em relação ao ácido araquidônico ômega-6, o resultado apontou que os ácidos graxos EPA e DHA são mediadores lipídicos importantes, associados à diminuição da inflamação e estão associados na prevenção da doença.

• A associação entre o risco de câncer de mama e a ingestão de ácidos graxos poli-insaturados n-3 (PUFA), também foi avaliada por uma meta-análise com 21 estudos de coorte prospectivos envolvendo 20.905 casos da doença e 883.585 participantes. O resultado mostrou que o consumo mais alto de PUFA n-3 está associado a uma redução de 14% no risco de câncer de mama.

Quercetina: É um pigmento flavonoide, com atividade antioxidante encontrado em várias frutas evegetais como brócolis, cebola, maçã, pimentão, morango, mirtilo e uva.

• Estudos sugerem que os efeitos protetores da quercetina resultam da morte de células cancerosas, restauração de genes supressores de tumor e inibição da expressão de oncogene.
• A quercetina também aumenta os efeitos quimioterápicos da doxorrubicina(quimioterápico de primeira linha para câncer de mama) contra as células do câncer de mama, e reduz seus efeitos colaterais citotóxicos.

Epigalocatequina-3-Galato (EGCG): Esta substância presente no chá verde, foi amplamente estudado por seu potencial efeito protetor de vários tipos de cânceres em humanos. Em comparação com outros chás, ele contém a maior quantidade de compostos bioativos que pertencem ao grupo dos polifenóis.

• Há evidências de que o EGCG exerce efeitos protetores contra a tumorigênese.Estudos experimentais mostram que os polifenóis podem modular várias vias de sinalização, e regular o crescimento, a sobrevivência e a metástase de células cancerosas em vários níveis.Dados in vitro demonstraram que os polifenóis podem induzir a morte celular programada em células de câncer de mama, seja por uma indução específica, ou por modulação epigenética da expressão de genes relacionados à apoptose.

Ervas e especiarias: Salsa, alecrim, orégano, tomilho, cúrcuma, curry e gengibre, contêm compostos vegetais que podem ajudar a proteger contra o câncer de mama como vitamina A, C, K, zinco, ferro, magnésio, cálcio e potássio. Além disso, possuem propriedades antioxidantes antibactericidas, anti-inflamatórias e anticâncer.

Grãos integrais: Quinoa, arroz integral, aveia, arroz selvagem, painço, cevada
• Na revisão sistemática e meta-análise de 2018, sobre associação entre a ingestão de grãos integrais e o risco de câncer de mama, com 11 estudos, sendo 4 de coorte e 7 de caso-controle, envolvendo 131.151 participantes e 11.589 casos de câncer de mama, os resultados mostraram que a ingestão de grãos integrais, esta associada a um risco reduzido de câncer de mama.
Vegetais com folhas verdes: Couve, rúcula, espinafre, mostarda e acelga, são apenas alguns dos vegetais de folhas verdes que podem ter propriedades anticâncer.

• Uma análise conjunta de 8 estudos de coorte de 2012, compreendendo mais de 80% dos dados prospectivos publicados no mundo sobre carotenoides plasmáticos ou séricos e câncer de mama, incluindo 3.055 casos e 3956 indivíduos controle, sugere que mulheres com níveis circulantes mais elevados de α-caroteno, β-caroteno, luteína, zeaxantina, licopeno e carotenoides totais, podem ter risco reduzido de câncer de mama.

• Em outro estudo de 2015, sobre carotenoides plasmáticos e risco de câncer de mama ao longo de 20 anos de acompanhamento com 32.826 mulheres, os autores concluíram que, as mulheres com alto teor de carotenoides no plasma tinham risco reduzido de câncer de mama, particularmente para doença mais agressiva e fatal.

Folato (vitamina B9). Os feijões, lentilha, ervilha, grão de bico, ovo, carne e vísceras. Não é difícil conseguir um bom aporte da vitamina se o cardápio incluir estes alimentos.

• Uma análise conjunta de 23 estudos prospectivos envolvendo um total de 41.516 casos de câncer de mama e 1.171.048 indivíduos. Descobriu-se que a ingestão de folato está associada a uma redução de 18% no risco de desenvolver câncer de mama.

• Além disso a ingestão alimentar relativamente alta de folato, foi inversamente associada ao risco de câncer no útero, ovários. eendométrio.

Vitamina B6: É encontrada com maior frequência em alimentos de origem animal,como carnes, de porco, leite e ovos. Entre os alimentos de origem vegetal, as principais fontes são, batata inglesa, aveia, banana, gérmen de trigo, abacate, levedo de cerveja, cereais, sementes e nozes.

• Uma análise combinada de 5 estudos realizados nos Estados Unidos, incluindo 2.509 casos de câncer de mama, mostrou que níveis elevados de piridoxal 5fosfato sérico (forma ativa da vitamina B6), foram associados a redução de 20% no risco de câncer de mama, em comparação com níveis baixos entre mulheres na pós-menopausa.

Curcumina: A cúrcuma é uma especiaria amarela com um sabor específico, usada na culinária asiática. A curcumina é um composto poli fenólico secundário isolado da cúrcuma. O efeito quimiopreventivo da curcumina em relação à ao câncer de mama foi observado nas fases de iniciação e pós-iniciação, e foi descoberto que ela inibe significativamente o início do adenocarcinoma mamário.

• O uso concomitante de piperina aumenta a absorção, concentração sérica e biodisponibilidade da curcumina em humanos em até 20 vezes.

Frutas cítricas: Laranjas, limões, limas, tangerinas, acerola. Estas frutas possuem compostos que podem diminuir o fator de risco contra o câncer de mama, incluindo folato, vitamina C e carotenoides como beta criptoxantina e beta caroteno, além de antioxidantes flavonoides como quercetina, hesperidina e naringenina. Esses nutrientes fornecem efeitos antioxidantes, anticâncer e anti-inflamatórios.

• Uma revisão sistemática quantitativa de 2013, sobre a Ingestão de frutas cítricas e risco de câncer de mama, incluindo 6 estudos e 8.393 participantes, mostrou associação inversa entre a ingestão de frutas cítricas e a risco de câncer de mama.

Vegetais crucíferos: Brócolis, couve-flor, espinafre, couve manteiga, rúcula, couve-de-bruxelas, repolho, agrião, folha de mostarda, nabo e rabanete. Estes contêm compostos glicosinolatos, que o corpo pode converter em moléculas de isotiocianatos. Este possui propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e anticâncer

• No estudo de abril de 2020, sobre glicosinolatos e isotiocianatos e risco de câncer de mama, com 1493 mulheres, mostrou que, ingestões mais altas de vegetais crucíferos, foram inversamente associadas ao risco de câncer de mama.

• Indol-3-Carbinol: é outro fitoquímico produzido pela quebra dos glicosinolatos, também demonstrou ser um potente agente quimio-preventivo para câncer de mama.

Dieta mediterrânea: A dieta é considerada um dos fatores modificáveis mais importantes, que contribuem para a prevenção do câncer de mama.

• No estudo Dieta mediterrânea espanhola e risco de câncer de mama de 2014, os autores concluíram que o padrão alimentar mediterrâneo tem papel protetor contra o risco de mortalidade pela doença. Este benefício pode ser atribuído ao efeito de nutrientes específicos na inflamação, dano e reparo do DNA, estresse oxidativo e modificações genéticas. Esses nutrientes incluem ácidos graxos ômega-3, polifenóis, resveratrol, compostos organossulfurados, quercetina, zinco e selênio.

Evite
Álcool: o consumo excessivo, pode aumentar significativamente o risco de câncer de mama.
Frituras. Uma alimentação rica em alimentos fritos pode aumentar significativamente o risco de câncer de mama.

Carnes processadas: bacon, linguiça e salsicha estão associados a um maior risco de desenvolver a doença.

Açúcar simples/ Carboidratos refinados: açúcar refinado pode aumentar significativamente o risco de câncer de mama, aumentando a inflamação e a expressão de certas enzimas relacionadas ao crescimento e disseminação do câncer.

Mais sobre Adriana Stavro:

Instagram @adrianastavronutri
Adriana Stavro – Nutricionista Mestre pelo Centro Universitário São Camilo
Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein
Pós graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Informações à imprensa:
Ana Lima Comunicação

Ana Paula Felix | Contato@analimacomunicacao.com | (11) 98877 – 7811
Bruna Munhoz | Bruna@analimacomunicacao.com | (11) 98510 – 3271
Ana Lima | Imprensa@analimacomunicacao.com | (11) 94732 – 5578
Rodrigo Fioratti | Rodrigo@analimacomunicacao.com | (11) 94753 – 5327

Saúde

Fique Por Dentro: Leishmaniose Visceral Canina

A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença sistêmica, infecciosa e crônica, sendo debilitante e muito grave. Ela pode levar o cão à morte se não diagnosticada e tratada adequadamente.

É uma zoonose causada pelo protozoário do gênero leishmania, sendo que a transmissão se dá principalmente pelta picada do flebótomo Lutzomyia (mosquito palha), além da transfusão sanguínea, via transplacentária e coito.

Até a década de 1980, os casos tanto humanos quanto em animais eram restritos a áreas rurais e florestais em regiões menos desenvolvidas. Com a urbanização na década de 1990, houve uma mudança desse perfil e ocorrência em cidades médias e grandes.

Em 1994, foram relatados os primeiros casos na região de Belo Horizonte, e os primeiros diagnósticos em Itabirito se deram em 1997. A partir daí, ocorreu grande elevação do número de casos e expansão das áreas e, atualmente, a doença é considerada endêmica em toda Minas Gerais.

O cão doméstico é considerado o principal reservatório urbano e, por muito tempo, o controle da doença foi baseado na eutanásia dos infectados — o que se demonstrou nada efetivo, pois a doença se expandiu da mesma forma. No cão, ela pode ter um longo período de incubação, mas, mesmo sem sintomas, ele pode ser transmissor.

Os sintomas mais comuns são lesões descamativas e ulcerativas na pele, emagrecimento, crescimento das unhas, aumento dos gânglios linfáticos, artrites, anemia e sangramentos no focinho e orelhas. A doença não tem cura definitiva, mas tratamentos que curam os sintomas e dão boa qualidade de vida ao animal.

Um diagnóstico bem conduzido para avaliar tanto o grau parasitário quanto quais órgãos vitais estão prejudicados vai estadiar a doença e indicar o tratamento adequado e aprovado pelos órgãos de saúde. O cão em tratamento deve ser monitorado periodicamente, sendo essa uma grande responsabilidade do tutor e do médico veterinário.

A prevenção deve ser priorizada por meio da vacinação e uso contínuo de inseticidas (tópicos ou coleiras). No ambiente, o importante é a retirada da matéria orgânica do solo, limpeza do abrigo dos animais, poda das árvores favorecendo a insolação do terreno, além de colocação de telas finas nos canis.

A educação para tutores é um dos pilares do conceito de Saúde Única, que rege o pensamento científico no qual se enquadra a Medicina Veterinária.

Aqui na Veterinária Fauna, temos um combo importante que auxilia na prevenção dessa doença, o Leish Plus!. Ele engloba os exames e vacinas necessários e a coleira repelente contra o mosquito.
Texto: Veterinária Cláudia Cotta Ferreira Gomes – CRMV 3253
Instagram: @veterinariafauna • (31)3561-2981 | (31)9.7135-0138
Avenida Queiroz Junior, 1396 B, Santo Antônio – CEP 35450-260 – Itabirito/MG

Saúde

Manhuaçu recebe a unidade móvel Sesc Saúde Mulher

Mesmo durante a pandemia, é importante manter a rotina de saúde em dia, por isso as Unidades Móveis de Saúde do Sesc em Minas estão de volta e com todos os cuidados para atender em segurança em 2021. A unidade móvel direcionada à promoção da saúde feminina, o “Sesc Saúde Mulher’”, chegou a Manhuaçu no dia 10/09 e ficará na cidade até o dia 20 de outubro, para atendimentos, exames de mamografia, citopatológicos (Papanicolaou) e ultrassonografias, além de ações de educação em saúde.

O caminhão equipado com consultórios possui uma estrutura moderna, totalmente acessível a portadoras de necessidades especiais, e estará instalado no Centro Estadual de Atenção Especializada – Antigo Centro Viva Vida. Praça Bom Pastor s/n.

A iniciativa conta com a parceria Sindicato do Comércio de Manhuaçu e da Prefeitura Municipal de Manhuaçu. Todas as pacientes estão sendo selecionadas pela Secretaria Municipal de Saúde. O atendimento seguirá os protocolos de segurança e higiene, conforme decretos municipais e determinação da Secretaria Estadual de Saúde.

SESC SAÚDE MULHER

Trata-se de um projeto do Departamento Nacional do Sesc para todo o país. Em Minas Gerais, duas unidades atendem a população gratuitamente. Os consultórios móveis contam com uma estrutura completa para realização de exames de mamografia digital bilateral, de citopatologia oncológica (Papanicolaou) e ultrassonografias, além de serem totalmente adaptados para acessibilidade de portadores de necessidades especiais.

Os exames de mamografia realizados nas unidades móveis são enviados ao Hospital do Câncer de Barretos, referência nacional, que fica responsável pelos laudos finais. O objetivo do Sesc é oferecer atendimento para prevenção e também rastreamento de possíveis doenças.

 SERVIÇO

“Sesc Saúde da Mulher” em Manhuaçu

Local: Centro Estadual de Atenção Especializada – Antigo Centro Viva Vida. Praça Bom Pastor s/n. Bairro Bom Pastor.

Atendimentos: 10/09 a 20/10/2021

Gratuito

Informações para o público: Secretaria Municipal de Manhuaçu (33) 3339-2783
Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/

Saúde

PRIMAVERA: Alimentos da estação e seus benefícios nutricionais

A Primavera chegou! Os dias estão cada vez mais longos, o ar cada vez mais fresco e todos parecem estar de bom humor. Esta mudança de estação marca um momento em que todas as coisas ganham vida e experimentam renovação.
Na natureza, isso significa crescimento, flores e deliciosos produtos coloridos. E para nossos corpos, significa deixar para trás a alimentação pesada do inverno e iniciar um novo ciclo.

Na primavera, é a alimentação mais leve do ano e deve conter alimentos refrescantes como brotos, folhas verdes, grãos integrais, frutas, raízes em especial beterraba e cenoura. Sabores doces pouco concentrados e pungentes como mel, hortelã, manjericão, erva doce, manjerona, alecrim, endro e louro podem criar uma primavera interna com muita proteção. Use cebola, alho e hortelã com arroz, Sopas leves de vegetais são preparações simples, que ajudam a limpar e refrescar o organismo. Esta ampla variedade de produtos frescos fará você se sentir nutrido, ao mesmo tempo que limpam e reconfiguram suavemente o sistema digestivo e imunológico evitando o aparecimento de doenças.

Para ajudá-lo a desfrutar esta estação maravilhosa, cheia de vida, a nutricionista Adriana Stavro fez uma lista dos alimentos da primavera e como usá-los.

RÚCULA E OUTRAS FOLHAS VERDES COMO ALFACE ROMANA
Rico em vitaminas A, K e ácido fólico, além de clorofila, fibra e água, essas folhas ajudam a reduzir inflamação, ao mesmo tempo que hidratam e desintoxicam o corpo.

Como comer: Basta misturar as verduras cruas em uma tigela com outros vegetais e algumas nozes ou sementes. Regue com um pouco de azeite de oliva extra virgem e vinagre balsâmico ou suco de limão.

ALCACHOFRAS
Aproveitando um alimento da safra (de setembro a novembro), as alcachofras são ricas em ácido fólico, vitamina C, vitaminas do complexo B e muitos minerais. Esses nutrientes ajudam a diminuir o colesterol, garantem uma gravidez saudável e reduzem os radicais livres.

Como comer: Há uma arte na forma básica de cozinhar e comer alcachofra. Eu gosto de fervê-las por + ou – cerca de 20 minutos com muito alho e cebola e um pouco de sal entre suas folhas. Depois sirvo uma inteira para cada convidado, é só descascar e comer a parte comestível do fundo do folhas.

ASPARGOS
Abundante em vitamina K, fundamental para a coagulação do sangue, saúde do coração e dos ossos, bem como cobre, selênio, vitaminas B e muitos outros nutrientes importantes.

Como comer: São deliciosos salteados com um alho, sal e azeite. Fique atento para não cozinhar demais. + ou -10 minutos é o suficiente.

BETERRABA
São suculentos, adocicados, saboroso. Eles podem reduzir a pressão arterial, aumentar sua resistência e ajudar a desintoxicação devido seu fitonutriente chamado betaína.

Como comer: Você pode adicioná-los a um smoothie, assá-los como acompanhamento, usar cru em saladas.

CENOURAS
Estamos todos familiarizados com este vegetal clássico, mas quando estão na estação, as cenouras são absolutamente deliciosas. Rico em vitamina A e outros antioxidantes, eles são ótimos para manter cabelos, pele e unhas saudáveis, portanto considerado um alimento antienvelhecimento, da beleza.

Como comer: São muitas maneiras diferentes de consumir, cru, cozido, assada, em sopas, picar, fatiar, usar em lanches, e até mesmo como uma alternativa à junto com a abobrinha para fazer macarrão.

HORTELÃ
Esta erva tem propriedades curativas. A hortelã contém um antioxidante chamado ácido rosmarínico, que pode aliviar os sintomas da alergia sazonal. O mentol que contém é um descongestionante natural e também pode aliviar dores de estômago.

Como comer: A hortelã é delicada, por isso é melhor não cozinhá-la. Eu adoro adicioná-la à água ou ao chá gelado para um sabor natural refrescante, ela também é uma ótima guarnição comestível e pode ser picado e adicionado a saladas de frutas.

MORANGOS
Ricos em polifenóis vão apoiar a imunidade, renovação das células e muitas outras funções.
Como comer: Poder comer cru, adicioná-los aos smoothies, pode colocá-los em pudim de chia, fazer uma geleia e muitas outras receitas

CEBOLINHAS
A cebola contém grande quantidade de polifenóis, principalmente, flavonoides, compostos que desempenham papel importante na prevenção de doenças e na redução do estresse oxidativo. Eles também são anti-histamínicos naturais e têm propriedades antibacterianas e antifúngicas.
Como comer: Adicione cebolinhas cruas para finalizar preparações. Molhos, arroz, patês, arroz, etc.

RABANETES
Os rabanetes são ótimos para remover resíduos e toxinas do estômago e do fígado. Eles também são um diurético natural e ajudam a tratar problemas urinários e renais.

Como comer: O ideal é consumir crua. Fatiar em fatias finas para salada, adicioná-los a uma salada de quinua ou em outra salada de sua preferência.

Lembre-se, variedade maior que quantidade, e boa primavera para você

Mais sobre Adriana Stavro:

Adriana Stavro – Nutricionista Funcional e Fitoterapeuta – Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis – Mestre do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.

Assessoria de Imprensa:
Ana Lima Comunicação
Ana Felix – Assistente de Comunicação 11 98744 1868
Bruna Munhoz -Assistente de Comunicação 11 98510 3271
Telefone: 11 4248 8845
contato@analimacomunicacao.com

Saúde

Setembro Amarelo alerta para importância de debater e prevenir problemas de saúde mental

Em tempos de pandemia, isolamento social e sentimentos aflorados, tema ganhou ainda mais urgência, afirma especialista do CEJAM

A campanha Setembro Amarelo, que debate mundialmente a importância de prevenir problemas de saúde mental, ganhou ainda mais urgência entre os anos de 2020 e 2021, em meio ao isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19. Medos, incertezas em relação ao futuro, luto e dificuldades financeiras vêm marcando a vida de muitas pessoas e estão entre as principais causas de depressão, ansiedade excessiva e falta de motivação.

Pesquisa do instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, destaca que 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Essa porcentagem só é maior em quatro países: Itália (54%), Hungria (56%), Chile (56%) e Turquia (61%).

Um relatório de 2017 da OMS (Organização Mundial da Saúde) já apontava o Brasil como um país de grande prevalência de transtornos de ansiedade nas Américas: 9,3% da população, o equivalente a 18,6 milhões de pessoas.

Segundo a psicóloga Ligia Kaori Matsumoto, que atende na UBS Alto da Riviera, gerenciada pelo CEJAM – Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim”, a campanha foi criada no Brasil em 2015 para dar mais ênfase ao tema, com ações de conscientização e debates que possibilitem a quebra de paradigmas e a redução do preconceito que envolve o grave problema.

“As ações do Setembro Amarelo funcionam como uma forma de prevenção e sensibilização, tanto àqueles que podem estar passando por algum tipo de sofrimento, quanto às pessoas próximas, na detecção de fatores que identifiquem quando um ente querido não está bem”, explica.

Alerta vermelho

Os sinais de alerta costumam variar de pessoa para pessoa, mas a especialista destaca que existem alguns indícios que servem para detectar se você ou um ente querido está precisando de auxílio profissional.

Conforme a psicóloga, é necessário ficar atento às alterações repentinas de humor e comportamento, bem como às mudanças bruscas na rotina, como qualidade do sono, alimentação, abandono de atividades que antes eram prazerosas ou ainda desistência de planos futuros.

Ligia também faz um alerta para o uso abusivo ou para a mudança no padrão de consumo de álcool, substâncias tóxicas e medicações. “Além disso, devemos sempre dar uma atenção maior às pessoas com transtornos psiquiátricos ou com históricos na família.”

Segundo a especialista, é comum ainda as pessoas sinalizarem que não sabem como reagir ou de que forma responder quando alguém próximo expressa suas dores, tristezas e frustrações.

“O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: “Se eu fosse você”. A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção”, ressalta Ligia, citando trecho de um texto do psicanalista e escritor Rubem Alves.

Centro de Valorização da Vida

Umas das formas mais práticas de buscar apoio, seja para você ou para alguém que conheça e possa estar procurando ajuda, é entrando em contato com o CVV (Centro de Valorização da Vida, um serviço gratuito que oferece auxílio emocional 24 horas).

O atendimento é realizado em sigilo total, por meio de telefone (188), e-mail, chat ou ainda pessoalmente. Os canais e endereços estão disponíveis no site www.cvv.org.br.

Mais de 3 milhões de pessoas são atendidas anualmente pelo CVV, que oferece mais de 4 mil voluntários localizados em 24 estados e no Distrito Federal.

A psicóloga recomenda a divulgação do serviço para quem possa estar precisando de ajuda. “Devemos sempre oferecer acolhimento, ouvir e auxiliar na busca por ajuda. Estas posturas de respeito com aquele que está em sofrimento podem ser fundamentais à recuperação, enquanto o desdém e pouco caso podem amplificar a dor ou adiar um tratamento”, finaliza.

Sobre o CEJAM

O CEJAM – Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos. Fundada em 1991, a Instituição atua em parceria com prefeituras locais, nas regiões onde atua, ou com o Governo do Estado, no gerenciamento de serviços e programas de saúde nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Mogi das Cruzes, Itu, Osasco, Cajamar, Campinas, Carapicuíba, Franco da Rocha, Guarulhos, Santos, Francisco Morato, Ferraz de Vasconcelos e Peruíbe.

Com a missão de ser instrumento transformador da vida das pessoas por meio de ações de promoção, prevenção e assistência à saúde, o CEJAM é considerado uma Instituição de excelência no apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS). O seu nome é uma homenagem ao Dr. João Amorim, médico obstetra e um dos fundadores da Instituição.

Informações à imprensa:
Máquina CW
cejam@maquinacw.com
Diego Silva (diego.silva@maquinacw.com) – (11) 3147-7900/98400-2902
Tathiana Barbar (tathiana.barbar@maquinacw.com)

Crédito da imagem: Shutterstcok

Saúde

Cuidados com a alimentação para o casamento

As preocupações com os preparativos para o casamento são infinitas, envolvem muitas decisões que são necessárias para que o grande dia seja um momento especial. Só que todo o planejamento ou pré-casamento é algo que demanda tempo, muitos compromissos, ansiedades… E os cuidados pessoais, dentre eles a alimentação, não podem ser deixados de lado.
O medo de engordar, de não entrar no vestido, de não agradar no grande dia faz com que muitas noivas se submetam a restrições e privações alimentares que podem colocar em risco a sua saúde.
O cuidado com a sua alimentação é algo fundamental e não pode ser esquecido ou ser deixado de lado, pois ela é a responsável por proporcionar energia para que você tenha disposição para aproveitar cada minuto do seu grande dia e o começo dessa nova fase da sua vida. Para que você possa cuidar de você e da sua saúde eu preparei algumas dicas de como comer melhor e ter uma alimentação mais nutritiva e saudável.
Essas dicas vão te ajudar a ter saúde e aproveitar com energia o seu grande dia. O vestido? Ele vai servir em você e não você nele.

Confira os 8 passos:

1- Comece o planejamento com antecedência
Assim como você planeja o seu casamento com antecedência, a mesma coisa é com a alimentação. Portanto, faça um planejamento das suas refeições semanalmente ou mensalmente. Reserve um dia e dedique algumas horas para planejar o cardápio ou anote as sugestões de pratos da semana. Isso vai ajudar a evitar pedir sempre o fast food pelo delivery, por falta de tempo e de opção para comer nos dias mais corridos.

2- Faça uma lista de compras
Com o cardápio em mãos, é hora de ir às compras. Separe um dia que seja mais tranquilo para ir ao mercado fazer a sua compra semanal ou faça pelo delivery. A lista de compras é uma ótima aliada para que você compre somente o que é necessário, além de economizar o seu bolso.

3- Deixe a sua semana mais prática
Ao chegar do mercado, deixe alguns alimentos já lavados, cortados ou descascados para facilitar a sua rotina e, se possível, já prepare saladas de pote, faça uma quantidade maior de comida e congele algumas marmitas para levar para o trabalho.

4- Não pule o café da manhã
É a sua refeição principal do dia, que vai dar mais energia e disposição. Dessa forma, você não chega faminta na próxima refeição a ponto de comer em excesso. Tomando o café da manhã, você vai comer menos nas próximas refeições. Por isso, acorde mais cedo para preparar o seu café ou, se tem dificuldade em acordar cedo e sempre
fica atrasada, deixe o seu desjejum adiantado na noite anterior. Assim, você não corre o risco de ficar sem comer ou se esquecer de levar algo para o trabalho.

5- Leve os seus lanches
Tenha sempre na sua bolsa opções de lanches rápidos e práticos e que não estragam facilmente, como frutas frescas e desidratadas, biscoitos integrais, cookies e castanhas, para os dias mais corridos e intensos de compromissos. Já para os dias de imprevistos, em que seja preciso lanchar na rua, opte por uma lanchonete que tenha opções naturais e saudáveis para comer.

6- Monte pratos variados e coloridos
Uma alimentação saudável deve ser variada e equilibrada. Por isso, varie bastante os tipos de alimentos e os tipos de preparações das suas refeições. A variedade de alimentos é muito importante, pois não deixa a alimentação monótona. Além disso, o nosso organismo gosta e pede por variedade para que possamos garantir a ele os mais diversos nutrientes para o seu funcionamento. Então, quanto mais colorida for a sua alimentação, mais diferentes teores de nutrientes ela terá.

7- Mantenha o corpo sempre hidratado
Ter uma garrafinha de água por perto pode ajudar a lembrar de beber água. A hidratação é fundamental para o funcionamento do corpo e, para isso, nada melhor do que tomar água fresca ou gelada, água de coco ou uma água aromatizada (limão, laranja, abacaxi, morango, hortelã, manjericão, gengibre, canela), que fica uma delícia!

8- Coma conscientemente
Até o dia do casamento, você terá muitos eventos, encontros com as madrinhas, amigos ou com a família, provas de pratos doces e salgados, além do bolo para a festa. Não se prive de aproveitar esses momentos por medo de ganhar uns quilos a mais, já que o corpo se equilibra ao longo de semanas, meses ou anos, e não vai ser uma única refeição ou um evento isolado diante de uma rotina alimentar saudável que vai fazer você engordar. Permita-se comer com consciência, respeitando os limites do seu corpo, como os sinais de fome, saciedade e vontades. Dessa maneira, o risco de comer exageradamente será bem menor.

Texto: Ariele Souza Nutricionista / Terapeuta nutricional – CRN 915402 Pós graduada em Nutrição Clínica, Funcional e Fitoterapia Capacitada em alimentação consciente e intuitiva @arielesousanutri

Saúde

Santa Casa de Misericórdia de Barbacena e Senac em prol do aleitamento materno
Santa Casa de Barbacena alerta sobre proibição de estacionamento de carros  em vagas de ambulância | Zona da Mata | G1

A Santa Casa de Misericórdia em parceria com o Senac Barbacena, através do Curso de Logística, está realizando a Campanha “Doe vidro, doe amor!” que visa arrecadar potes de vidro com tampa de plástico, recipiente ideal para armazenamento do leite materno. “A ideia da promoção desta campanha em benefício da Santa Casa surgiu da sugestão de dois alunos do Curso, Rogério e Camila, que são funcionários da Santa Casa”, pontuou Déborah Rezende de Andrade, Orientadora de Curso no Senac.

Déborah ressaltou que a campanha acontece neste mês, porque é quando se celebra o ‘Agosto Dourado’, em um incentivo ao aleitamento materno.  “Este líquido tão precioso tem um valor incomensurável, ele salva a vida de inúmeros bebês que estão na UTI Neonatal lutando bravamente para viver. Estima-se que a cada 1 litro de leite materno arrecadado 10 bebês são atendidos, por isso que dizemos que amor doado é amor multiplicado”, disse.

Os vidros podem ser entregues nas recepções da Santa Casa, de segunda a sexta-feira, das  9h às 17h. Estes recipientes, depois de esterilizados são repassados para as mamães doadoras armazenarem o leite materno, para ser encaminhado para pasteurização no banco de leite de Juiz de Fora.

“Esperamos que o nosso projeto leve potes, leite materno, esperança, amor, caridade, união e afeto a todos que participarem dessa grande corrente. E desde já deixamos toda nossa gratidão a todos aqueles que estão embarcando nessa jornada conosco”, concluiu Déborah.

Fonte: https://www.foconanoticia.com.br/

Saúde

Leite materno evita que bebês tenham infecção no ouvido

Crianças alimentadas com leite artificial têm maior incidência de otites, segundo pesquisas, o que pode causar perda auditiva e afetar o desenvolvimento da fala e do aprendizado

Agosto Dourado: Aleitamento Materno » CRF-ES | CONSELHO REGIONAL DE  FARMÁCIA DO ESPIRITO SANTO

Já se sabe que o leite materno é um alimento indispensável para a criança. E neste mês, conhecido como Agosto Dourado por simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação, é importante ressaltar que doenças crônicas, alergias – e até a Covid-19 – podem ser evitadas ou terem os riscos reduzidos graças à amamentação. O leite materno aumenta a imunidade. Contém anticorpos e proteínas que reduzem os riscos de infecções e inflamações, como a otite, por exemplo, que causa muita dor ao bebê e noites sem dormir.

Duas pesquisas realizadas no Paraná investigaram a ocorrência de otite em crianças amamentadas e não amamentadas no peito; a alimentação com leites artificiais; e a relação entre otite e a postura do bebê na hora de mamar. Embora seja um tema controverso, muitos pediatras recomendam às mães não dar o peito ou a mamadeira com o bebê deitado porque isso pode facilitar com que tanto o leite ingerido quanto uma possível regurgitação da criança parem na trompa auditiva, podendo servir de transporte para vírus e bactérias até a orelha, causando otites.

Outra pesquisa, feita pelas fonoaudiólogas Luciana Marchiori e Juliana Melo, na Universidade do Norte do Paraná, também comprovou a proteção que a amamentação no peito oferece contra as infecções na orelha. O artigo, intitulado Resultados Timpanométricos: Lactentes de Seis Meses de Idade, traz os dados da pesquisa. Dos 46 bebês avaliados, 30 foram submetidos à amamentação exclusiva com leite materno, enquanto 16 não. Todos passaram por exames para detecção de alterações sugestivas de otites na orelha. Entre os que mamaram apenas no peito, a timpanometria foi normal em 90% dos casos. Entre os bebês que não tiveram amamentação exclusiva, apenas 50% deles tiveram timpanometria normal.

4 atitudes para evitar a otite média - Revista Crescer | Saúde

Um dos estudos, coordenado pelas pesquisadoras Francis Oliveira; Raquel Colombo e Cristiane Gomes, do Centro Universitário de Maringá, foi feito com 59 mães de bebês com até dois anos de idade. A investigação mostrou que a incidência de otite foi maior em crianças entre 13 e 24 meses, por causa de fatores como a introdução de leite artificial oferecido em mamadeira e em posição deitada. As fonoaudiólogas alertaram para o perigo do desmame precoce.

A proteção oferecida pelo aleitamento materno é ainda mais importante porque é sabido que na primeira infância muitas crianças apresentam perda auditiva devido às infecções na orelha. O problema é mais grave nos casos das otites de repetição, variados períodos em que as crianças não escutam bem – ora escutam, ora não. Nestes casos, a perda auditiva, mesmo que seja leve e temporária, prejudica a decodificação dos sons, podendo causar prejuízos no desenvolvimento da fala, da linguagem e na aprendizagem.

“O processo de maturação do sistema auditivo central ocorre durante os primeiros três anos de vida. Por isso, a estimulação sonora neste período de maior plasticidade cerebral é imprescindível, já que para o aprendizado da linguagem oral e, consequentemente, o desenvolvimento intelectual, emocional e de habilidades, é preciso que as crianças consigam interagir com seus pais e familiares e, assim, possam estabelecer novas conexões neurais”, pontua a fonoaudióloga Rafaella Cardoso, especialista em Audiologia na Telex Soluções Auditivas.

A boa notícia é que os índices de aleitamento materno estão aumentando no Brasil, de acordo com o Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Universidade Federal Fluminense (UFF).

Foram avaliadas 14.584 crianças menores de cinco anos, em todo país, entre fevereiro de 2019 e março de 2020 e os resultados mostraram que a prevalência de amamentação exclusiva em bebês com até quatro meses saltou de 4,7%, em 1986, para 60% neste período. Já entre os menores de seis meses, o índice aumentou de 2,9% para 45,7%; um avanço significativo mas ainda longe do ideal.

Leite materno também protege contra a Covid

Pesquisa recente realizada em São Paulo pela Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), com 218 mulheres que testaram positivo para a Covid-19 em algum período da gravidez, mostrou que as mamães infectadas não transmitem o vírus para seus bebês.

Em um dos casos, os pesquisadores comprovaram que o colostro de uma mulher, que estava com coronavírus ao dar à luz, tinha anticorpos capazes de anular o ataque do vírus. A pediatra Fabíola Suano de Souza, que participou do estudo, confirma. “A Covid-19 não é transmitida por meio da amamentação nem durante a gestação”.

Mais informações:

Assessoria de imprensa da Telex Soluções Auditivas
Ex-Libris Comunicação Integrada
Cristina Freitas cristina@libris.com.br

Saúde

Projeto de aluna da UFSJ viabiliza máscaras PFF2 a baixo custo em São João del-Rei

PFF para Todos: como se proteger a preço justo

“A gente ainda vê poucas pessoas usando máscaras PFFs em público.” A preocupação de Luana Torres, aluna do curso de Ciências Biológicas da UFSJ, é assunto sério. Afinal, muitos já sabem da importância do uso de máscaras para evitar a covid-19, mas o hábito da PFF2, cuja eficácia gira em torno de 94% a 98%, ainda é raro. Luana coordena um projeto de popularização da PFF2 em São João del-Rei, que divulga informações importantes sobre o tema, tira dúvidas e, especialmente, viabiliza a venda dessas máscaras a preços acessíveis.

“Sempre que alguém compra, leva mais pra família”, conta Luana, demonstrando um dos caminhos para a popularização da máscara na cidade e, consequentemente, para o controle do novo coronavírus. No total, já são cerca de 800 máscaras vendidas pelo projeto, alcançando por volta de 150 famílias.

Diante dos tantos desafios que a pandemia tem trazido às pessoas, Luana encontrou no projeto PFF para Todos, criado por ela mesma, uma forma de enfrentá-los. “Um dos maiores estímulos para mim é poder aumentar a proteção contra o novo coronavírus na cidade, possibilitando que mais pessoas tenham acesso às máscaras PFF2, num momento em que o preço dessas máscaras tem aumentado muito por aqui. Quanto mais pessoas protegidas, menos casos nós teremos.”

A estudante não está sozinha. Colaboram com ela, dividindo tarefas, a advogada Daphine Ribeiro e o professor João Lopes, que participam especialmente da comunicação, e a produtora de eventos Paloma Kathleen, que atua na venda de máscaras a preço acessível no bairro de Matosinhos.

O projeto mantém uma página no Instagram, que veicula informações sobre máscaras e explica como adquiri-las.

Importância das máscaras

Uso de máscaras, distanciamento, higiene das mãos e vacinas são as principais medidas de controle da pandemia de covid-19. As máscaras, em geral, se usadas corretamente, ajudam a evitar que o vírus passe de uma pessoa para outra, mas têm eficácias diferentes, conforme o modelo. Aquelas feitas de pano dependem de uma série de fatores, como a quantidade de camadas; as PFF2 já são projetadas com níveis altíssimos de proteção, que podem chegar a 98%. 

A importância de usar máscaras de alta proteção cresce com o surgimento de novas variantes do novo coronavírus, mais transmissíveis, como a variante delta que, segundo especialistas, pode se tornar predominante no Brasil nos próximos meses.

Fonte:

Alessandro Andrade
Assessoria de Comunicação
Universidade Federal de São João del-Rei – UFSJ
Telefone: (32)3379-5808 Celular: (32)9.9932-8475

Saúde

EGRESSA DA UFSJ É PREMIADA EM HARVARD

AMANDA OUCHIDA PESQUISA NOVOS MEDICAMENTOS CONTRA O CÂNCER

A pesquisadora Amanda Ouchida, ex-aluna da UFSJ, participa de pesquisa de novos medicamentos para o tratamento do câncer, pela qual recebeu menção honrosa por seu trabalho no Broad Institute of MIT and Harvard. A cientista fez parte da primeira turma do curso de Bioquímica do Campus Centro-Oeste Dona Lindu (CCO/UFSJ).

Identificar novos alvos e fármacos para o tratamento do câncer é o principal foco da pesquisa em estágio pré-clínico de que Amanda participa. Difere de outros estudos já existentes, pois possibilita fazer a conexão entre as informações e testar as drogas para vários tipos de câncer ao mesmo tempo.

O Prêmio ScientistA foi promovido pela Dimension Sciences e pelo grupo Mulheres do Brasil do Vale do Silício, para premiar e homenagear mulheres brasileiras que fazem Ciência nos Estados Unidos. O comitê científico avaliou 54 aplicações. Amanda ficou entre as sete finalistas e recebeu menção honrosa pelo trabalho desenvolvido no Broad Institute.

“Esse prêmio representa muito para mim! Mostrou que estou no caminho certo e que, apesar da trajetória não ter sido fácil, meu esforço foi reconhecido. E também vem exaltar nós, mulheres latinas que fazemos Ciência nos Estados Unidos da América, assim como é um incentivo para jovens cientistas brasileiras que querem seguir essa carreira. O ScientistA veio mostrar que tudo isso é possível”, comemora.

Fonte: @ufsjbr