Category Archives: Gastronomia

Gastronomia

Dia dos Queijos Artesanais de Minas é comemorado nesta segunda-feira (16/5)

Produto artesanal está entre os principais destaques agropecuários do estado

imagem de destaque
Epamig / Divulgação

Nesta segunda-feira (16/5), é comemorado o Dia dos Queijos Artesanais de Minas Gerais. A data, instituída há cinco anos, é fruto da Lei Estadual 22.506.

A legislação foi um ato de reconhecimento da importância desses tipos de queijos feitos de leite cru, sem processo de pasteurização. A homenagem faz jus a um dos produtos agropecuários mais apreciados e respeitados em Minas e em outros estados do país. A valorização dos queijos artesanais tem relação com os aspectos gastronômico, econômico, social e cultural. As variadas receitas de queijos artesanais costumam seguir tradições históricas, passadas de geração em geração por famílias de produtores rurais.

O dia e o mês escolhidos para os queijos artesanais mineiros remetem ao registro, em 2008, do Modo Artesanal de Fazer Queijo de Minas nas regiões do Serro, Serra da Canastra e Salitre.

Naquele ano, o jeito de produzir a iguaria foi lançado na categoria Saberes, pelo Conselho Consultivo do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), tendo sido o quarto bem registrado no Livro de Registro dos Saberes. Um dos queijos artesanais feitos no estado, o Queijo Minas Artesanal (QMA), é reconhecido também como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Iphan.

Estimativas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater) apontam que a produção de queijos artesanais gera renda e ocupação para cerca de 30 mil famílias de todas as regiões do estado. Juntas, essas famílias produzem cerca de 85 mil toneladas do produto ao ano. Também mostram que, somente o QMA, primeiro queijo artesanal mineiro a ser regulamentado pela Lei Estadual 14.185/2002, é a fonte de renda de aproximadamente 9 mil famílias.

Queijo Minas Artesanal (QMA)

O Queijo Minas Artesanal (QMA) é uma das muitas variedades de queijo artesanal produzidas em Minas Gerais. Como outros tipos artesanais, ele é feito de leite de vaca cru, sem pasteurização e costuma seguir processos tradicionais de confecção, em pequenas propriedades. “Foi o primeiro queijo a ser caracterizado no estado. O leite cru tem de ser produzido, exclusivamente, na propriedade de origem do queijo. Utiliza pingo, coalho, salga a seco e passa por processo de maturação, adquirindo uma casca lisa e amarelada”, explica a coordenadora técnica estadual da Emater-MG, Maria Edinice Soares.

Nos dois últimos meses, Minas Gerais ganhou oficialmente mais duas novas regiões produtoras de Queijo Minas Artesanal. Em março, o governador Romeu Zema anunciou o reconhecimento da região de Diamantina que, além do município de mesmo nome, incluiu outros oito da redondeza. Já em abril, o governador noticiou mais uma região produtora do QMA. Nomeada de Entre Serras da Piedade ao Caraça, ela contempla os municípios de Catas Altas, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Bom Jesus do Amparo e Caeté.

Com a oficialização dessas novas áreas produtoras de QMA, Minas Gerais totaliza agora dez microrregiões caracterizadas. São elas: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Diamantina, Entre Serras da Piedade ao Caraça, Serras da Ibitipoca, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. Segundo informações do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), somente produtores dessas regiões são autorizados a usarem o nome da região na embalagem.

Produtores

O presidente da Associação de Produtores de Queijo da Região de Diamantina (Aprodia), Leandro Pereira de Assis, está apostando no crescimento do mercado para os queijeiros da nova região e também no incremento das atividades turísticas locais. “Vai agregar mais valor ainda ao produto, porque será mais procurado no mercado. Também vai ser mais um atrativo para o turismo, pois estamos montando rotas de vivência nas propriedades rurais produtoras aqui da região de Diamantina”, afirma.

Segundo o presidente da Aprodia, as chamadas rotas de vivências são passeios para turistas nas propriedades produtoras de queijo. Nesses locais eles podem acompanhar todo o processo de produção do queijo: do manejo do gado e ordenha até a fabricação do laticínio. “Alguns até ajudam a fazer o queijo. E, no final da produção, todos podem degustar o queijo fresco que ajudaram a fazer e também um queijo maturado de 40 dias, que partimos para todos comerem”, explica Leandro.

O produtor Richard Andrich Santos está aplaudindo a oficialização da região Diamantina como produtora do Queijo Minas Artesanal. Proprietário do Sitio das Lajes, em Datas, ele produz entre seis e oito queijos por dia. Ele conta que aprendeu o ofício com os vizinhos e produz há 15 anos, embora conheça a região há três décadas. O produto é comercializado principalmente para Belo Horizonte.

“Aprendi a fazer o queijo com meus vizinhos da forma como se faz tradicionalmente: leite cru, coalho, pingo e sal. Sei que estão homologando uma coisa que existe aqui há séculos. É o reconhecimento, com a própria palavra diz, de um produto que faz parte da cultura e tradição do povo da região”, argumenta.

Turismo de experiência

Como o presidente da Aprodia, Richard já vislumbra o potencial turístico surgido com a criação da nova região produtora de Queijo Minas Artesanal de Diamantina e faz planos para atrair esse público. “As pousadas sempre mandam turistas. Por isso, pretendo melhorar a nossa estrutura, construindo sanitários masculino e feminino, fora da casa”, revela.

Ele considera sua produção de queijo pequena, mas seleta, pois o leite vem do Guzerá, considerado um gado puro, mas que não produz muito leite. “O gado é criado a pasto e produz leite de altíssima qualidade. Tanto que ganhamos o primeiro lugar, na categoria Super Ouro, do Mundial de Queijos do Brasil, em 2019, na cidade de Araxá”, informa, acrescentando que também trabalha para aumentar a produção do queijo.

No município de Rio Piracicaba, na recém-criada região de Entre Serras da Piedade ao Caraça, o produtor Pedro Henrique e sua família também têm uma história secular com a produção de queijo. Há pouco mais de cinco anos, ele resgatou a tradição de fazer queijo maturado na tábua e, a partir daí, surgiu o interesse de legalizar a produção, o que foi concluído no final do ano passado, com a obtenção do Selo Arte. Agora, o seu queijo pode ser comercializado em todo o país.

Para o produtor piracicabense, o reconhecimento da nova região vai trazer mais oportunidades aos produtores. “A partir de hoje, nosso produto passa a ter mais valorização no mercado. As cidades que estão situadas em uma região reconhecida como produtora de Queijo Minas Artesanal ganham visibilidade”, afirmou.

Tipos artesanais

Além das dez microrregiões produtoras do Queijo Minas Artesanal, o estado mineiro tem mais outras cinco regiões caracterizadas. Isso significa que passaram por estudo que identificou e definiu o tipo de queijo. Essas regiões produzem os seguintes queijos artesanais: Cabacinha, Serra Geral, Vale do Suaçuí, Alagoa e Mantiqueira de Minas.

Hoje, já se sabe que cada um deles tem características peculiares, como o sabor, por exemplo, que sofre a influência do clima e da pastagem predominante. A origem e manejo do rebanho e até o perfil do produtor também são determinantes no tipo de queijo de cada lugar.

O queijo artesanal Cabacinha é produzido na região do Vale do Jequitinhonha. É feito de leite cru de vaca, mas a massa é aquecida, sem chegar a pasteurizar. Recebe soro fermento, retirado no final da mexedura da massa e reservado em temperatura ambiente para ser usado no dia seguinte, na fabricação do queijo. É moldado manualmente em forma de cabacinha.

Já o queijo artesanal da Serra Geral, produzido em 17 municípios da região Norte de Minas Gerais, não tem um processo definido quanto à forma de fazer. ”Ainda está em fase de estudo. Mas é feito de leite cru e coalho, sendo comercializado fresco”, esclarece a coordenadora Maria Edinice.

Por outro lado, os artesanais: queijo do Vale do Suaçuí, queijo de Alagoa e queijo da Mantiqueira de Minas têm praticamente o mesmo modo de fazer com pequenas diferenças: leite cru de vaca, soro fermento e coalho. A massa passa por um processo de cozimento, enformagem e salga salmoura.

Emater-MG

A Emater-MG trabalha em parceria com o órgão estadual de inspeção sanitária, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que registra as queijarias do estado. O registro legaliza a situação dos estabelecimentos para que possam comercializar seus produtos, com segurança para o consumidor, em Minas Gerais e outros estados do país. Sendo que, para vender fora das divisas mineiras, além do registro, o produtor precisa solicitar também o Selo Arte.

“O primeiro passo pra quem deseja legalizar o queijo que produz é procurar o escritório da Emater-MG, para que o extensionista orientar sobre o processo. O nosso papel é apoiar o produtor na organização dos documentos exigidos pelos órgãos de habilitação sanitária”, explica Maria Edinice. Ainda segundo a técnica, o IMA não trabalha mais com a figura do cadastro, mas com registro. Ao registrar a queijaria no IMA, o produtor poderá solicitar o Selo Arte.

Fonte: https://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/dia-dos-queijos-artesanais-de-minas-e-comemorado-nesta-segunda-feira-16-5

Gastronomia

Festival de Cozinha, Arte e Cultura de Ouro Preto reunirá o melhor da gastronomia ouro-pretana em um único lugar

O evento também pretende fazer uma homenagem ao artista ouro-pretano Chiquitão

Festival de Cozinha, Arte e Cultura de Ouro Preto reunirá o melhor da gastronomia ouro-pretana em um único lugar / Foto: Gustavo Leite

Ouro Preto não é destino certo apenas para os amantes de história ou arte, a cidade também é conhecida por sua culinária. Repleta de  bares e restaurantes, oferece inúmeras opções para quem procura a típica comida mineira. O “Festival de Cozinha, Arte e Cultura de Ouro Preto – Tributo a Chiquitão” acontecerá de 13 a 15 de maio, no estacionamento do Centro de Convenções, com entrada gratuita. Realizado pelo Convention & Visitors Bureau (CVB) e pela Prefeitura de Ouro Preto, por meio das Secretarias de Cultura e Turismo, e de Desenvolvimento Econômico; com apoio da FAOP, UFOP, ABIH e Centro de Artes e Convenções da UFOP. O Festival contará com uma vasta apresentação da cozinha mineira, do artesanato e de bares e restaurantes da cozinha tradicional da cidade. Serão 25 tendas com pratos variados, tira-gostos e o melhor da culinária ouro-pretana.

O evento também pretende fazer uma homenagem ao artista ouro-pretano, Chiquitão, falecido em abril deste ano. Chiquitão era artista plástico, ilustrador de livros, cenógrafo, restaurador e colecionador de antiguidades. Ele era muito conhecido em Ouro Preto e seu atelier, ao lado da Matriz de Nossa Senhora do Pilar, era uma referência das antiguidades e do artesanato local.

O Festival contará com shows, exposições e espaço kids. Na sexta-feira, 13 de maio, haverá show da Equipe Rock + Léo Souza, às 20h.

No sábado, 14 de maio, será dia do Espaço Kids, às 14h, juntamente com os shows dos grupos Amigo do Samba, às 15h, e Samba Preto, às 20h. Haverá também Degustação orientada de vinhos da Mostra Multi – Projeto de Extensão da UFOP, das 14h às 20h.

O fechamento do evento será no domingo, 15 de maio, com o Encontro de Carros Antigos às 8h; Espaço Kids às 14h; Aerodance – Projeto de extensão da UFOP, às 15h; moda de viola com Rafael Silva, às 15h30; e show da banda Os Traias às 20h.

No local do evento, também será implantado um Bar Central, 360°, onde as pessoas poderão pegar suas bebidas com facilidade. Haverá barraquinhas com mesas e cadeiras, cada restaurante ou bar participante será responsável pelo seu setor. Uma grande estrutura está sendo preparada para receber a todos, contando com banheiros químicos, segurança e organização cênica. Além disso, a Secretaria de Saúde de Ouro Preto disponibilizará uma ambulância para o evento.

Margareth Monteiro, secretária de Municipal Cultura e Turismo de Ouro Preto, comentou a relevância de festivais como este entrarem para o calendário de grandes eventos da cidade. “Considerando que Ouro Preto é uma cidade importante no cenário turístico de Minas Gerais e do Brasil, com vários eventos tradicionais no município e nos distritos, o Festival de Cozinha Arte e Cultura vem somar com todas essas ações de fomento ao turismo cultural, após o período de isolamento da pandemia”, disse a secretária.

Eventos gastronômicos trazem crescimento econômico e social, geram empregos, turismo e conhecimentos através da troca de informações, trazendo benefícios para toda a população. O Festival de Cozinha pretende se tornar um dos grandes eventos a fomentar o turismo cultural da cidade. Proporcionando lazer e desenvolvimento sociocultural para a população ouro-pretana e é claro, muitos sabores! Leve sua família para aproveitar o Festival de Cozinha, Arte e Cultura de Ouro Preto!

Confira a programação:

Sexta-feira – 13.05
20h Show com a Equipe Rock + Léo Souza

Sábado – 14.05
14h Espaço kids
15h Show do Amigos do samba
20h Show com Samba Preto
14h às 20h Degustação Orientada de Vinhos da Mostra Multi – Projeto de Extensão da UFOP

Domingo – 15.05
8h Encontro de carros antigos
14h Espaço kids
15h Aerodance – Projeto de extensão da UFOP
15h30 Show com Rafael Silva
20h Show dos Traias

Fonte: https://www.turismo.ouropreto.mg.gov.br/noticia/2543

Gastronomia

Festival da Quitanda volta a acontecer em Congonhas

Uma tradição de Congonhas volta nesta semana: nesta sexta-feira (13/05), no sábado (14) e no domingo (15) o município irá sediar a 20ª  edição do Festival da Quitanda. O evento estava suspenso há dois anos por causa da pandemia. A expectativa dos organizadores é receber um grande número de pessoas para apreciar os deliciosos quitutes locais.

A festa que reunirá arte, cultura e gastronomia terá um cenário típico, com cozinha, forno de barro, fogão. A montagem dos cenários é feita pelos servidores públicos da Secult, Mauro Afonso Barbosa Moreira (Maurinho) e Edvaldo Gomes Pereira que trabalham intensamente para preservar a tradição. “Tudo é feito com muita dedicação e carinho para que as pessoas que vierem ao Festival da Quitanda possam conhecer um pouco do trabalho de uma quitandeira. Nós estamos montando uma cozinha típica, com forno, fogão, pia e local para que se possa manusear os produtos que serão utilizados”, relata Maurinho.

Barraca abrigará o cubú
Barraca do cubú. Foto/Divulgação

Nesta barraca estilizada ficará uma das quitandas mais tradicionais da cidade, o cubú. Este é um tipo de bolo de fubá, coalhada com erva doce, enrolado em uma folha de bananeira e assado no forno de barro. Toda estrutura está praticamente pronta, além das 48 barracas que irão compor o festival. 

Shows

Além das quitandas, na sexta-feira (13), à partir das 20hs, terá festival de caldos e violas e show com Falabellas e às 22h show com Alan e Alex.

No sábado (14), a partir das 20h, show com Carpiah e às 22h com Lô Borges. 

Já no domingo (15) o Festival da Quitanda inicia às 09h com vários quitutes. Às 12h inicia a programação musical com Viola ao Vento, às 14h30 Chico Lobo e fechando o festival, às 17h, show com Saulo Laranjeira.

Fonte: https://fatoreal.com.br/ ; https://www.minasgerais.com.br/

Gastronomia

ExpoQueijo 2022, em Araxá, tem inscrições abertas até 11/5

Concurso internacional de queijos artesanais, realizado com o apoio do Governo de Minas, pretende superar a marca de 800 concorrentes

Expoqueijo - Araxá - 2022

Estão abertas, até 11/5, as inscrições para o Concurso Internacional do Queijo, realizado durante a ExpoQueijo Brasil 2022, em Araxá, na região do Alto Paranaíba. O evento, que ocorre entre 2 e 5/6, no Tauá Grande Hotel Termas, pretende repetir o sucesso da última edição. A expectativa é superar o marco do ano passado, com mais de 800 concorrentes inscritas. Produtores interessados em participar devem consultar o regulamento pelo site: https://www.expoqueijobrasil.com.br/concurso

A ExpoQueijo Brasil 2022 – Araxá International Cheese Awards é uma realização da Bonare Eventos, com o apoio do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e das suas vinculadas, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), aEmpresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e oInstituto Mineiro de Agropecuária (IMA), além de diversas outras instituições dos setores público e privado.

Concurso

EXPOQUEIJO BRASIL 2022 ARAXÁ INTERNATIONAL CHEESE AWARDS - Portal do Queijo

O Concurso Internacional do Queijo avalia e premia alguns dos melhores produtos no mercado, por grupo de jurados especialistas no assunto, de diversas partes do mundo. Os objetivos são agregar valor e dar visibilidade aos queijos com certificações nacionais e internacionais – estas últimas desde que legalmente aprovadas no Brasil -, pelos órgãos competentes de fiscalização e serviços de inspeção municipal, estadual, federal ou com o Selo Arte. 

O diretor de Agroindústria e Cooperativismo da Seapa, Ranier Chaves Figueiredo, analisa que a disputa já ocupa uma posição de destaque no cenário mundial de queijos artesanais e convida as marcas de Minas a participarem. “Sempre é bom lembrar que uma premiação desta magnitude pode ser um divisor de águas na vida do pequeno produtor, traz rendimentos e prosperidade para a nossa população rural”, afirma. 

Das 188 premiações realizadas em 2021, os queijos mineiros conquistaram 66 medalhas, sendo 22 de ouro, 19 de prata e 25 de bronze. Minas Gerais liderou o ranking de campeões entre os estados brasileiros, seguido por São Paulo, com cinco condecorações de ouro, dez de prata e quatro de bronze. 

Já entre os concorrentes estrangeiros, os italianos conquistaram o Super Ouro e levaram mais cinco medalhas de ouro, quatro de prata e duas de bronze. Também foram destaque o Peru, com seis premiações, e Portugal, com duas. 

Regulamento

Para se inscrever no concurso, é necessário preencher um formulário eletrônico, disponível no site do evento. É imprescindível a apresentação de registro sanitário oficial, emitido pelas autoridades competentes. 

O produtor pode concorrer em até três categorias, porém apenas com um queijo em cada uma delas. Os grupos são divididos por características dos produtos, como: o tipo de leite, o tratamento da coalhada, a maturação, a casca, entre outras. 

A última etapa é o envio do queijo artesanal para o endereço indicado no site, com data-limite de 29/5, caso prefira o endereçamento postal, ou entre 20/5 e 1/6, das 9h às 16h, se optar por entregá-lo em mãos para a comissão organizadora. 

Serviço

ExpoQueijo Brasil 2022 – Araxá International Cheese Awards

Data: de 2 a 5/6/2022

Local: Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá  – rua Águas do Araxá, s/n – Barreiro, Araxá (MG)

Regulamento e inscriçõeshttps://www.expoqueijobrasil.com.br/concurso

Fonte: https://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/expoqueijo-2022-em-araxa-tem-inscricoes-abertas-ate-11-5

Gastronomia

Festa da Quitanda e Festival da Goiabada de Barão de Cocais estão de volta

Suspensa há dois anos devido à pandemia da covid-19, quitandeiros estão animados para comemorar a 10ª edição do evento

imagem de destaque

Um tradicional encontro mineiro está de volta: nos dias 30/4 e 1/5, Barão de Cocais, na região Central de Minas, sedia a X Festa da Quitanda e o IX Festival da Goiabada. A festa mais tradicional do município será no distrito de Cocais, no sábado (30/4), a partir das 8h, e no domingo (1/5), a partir das 7h. Suspenso há dois anos por causa da pandemia, a expectativa dos organizadores é receber um grande número de visitantes para apreciar os famosos quitutes locais.

Localizada a 120 quilômetros de Belo Horizonte, Cocais tem várias belezas arquitetônicas e naturais e se destaca ainda na gastronomia mineira pela produção de goiabadas e variadas quitandas. O modo de fazer da goiabada cascão de Barão de Cocais é patrimônio imaterial do município. “A proposta da festa é preservar essa tradição e incentivar a produção das quitandas. São aproximadamente 30 famílias envolvidas no evento, todas de pequenos produtores. É como se o visitante chegasse na propriedade rural e fosse para a cozinha da casa. É tudo muito familiar e artesanal”, comenta o extensionista local da Empresa de Assistência técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), Wemerson Barra.

Nas 20 barracas de quitandas serão oferecidas rosquinhas, biscoitos, roscas, bolos, pães e diversas bolachinhas de dar água na boca. Mas o turista também poderá apreciar um café coado na hora, acompanhado de biscoito frito no fogão a lenha e, saindo do forno de barro, o biscoito de polvilho. “Haverá ainda dez barracas de alimentação que vão oferecer comida da roça, como costelinha com ora-pró-nobis, pastel de angu, torresmo com mandioca, entre outros pratos muito saborosos. Outro destaque é o estande com os queijos da Entre Serras da Piedade ao Caraça, região reconhecida recentemente como produtora de Queijo Minas Artesanal”, diz Wemerson.

Concurso de quitandas

A programação do evento oferece ainda apresentações musicais e oficinas de quitandas e de preparo da goiabada cascão. Um dos momentos mais esperados será a premiação dos vencedores do concurso de quitandas, realizado na última semana. “O concurso teve cinco categorias, inclusive uma de quitandeiros mirins, que este ano contou com a participação de 12 quitandeiros, na faixa etária de 8 a 18 anos. As quitandas foram muito bem avaliadas e os vencedores do concurso vêm se destacando também em outras premiações”, afirma a extensionista da Emater-MG, Regiane Beatriz Mendes.

A premiação vai ocorrer no domingo, às 13h. O concurso teve ainda 11 inscritos na categoria “Salgada” e 21 nas outras três categorias: “Pães e Roscas”, “Bolos e Tortas” e “Rosquinhas e Bolachinhas”. “No ano passado, fizemos a festa de forma virtual e o concurso fechado, mas não é a mesma coisa. É uma alegria voltar a ter esse contato com o público. A expectativa de todos é muito grande. Os organizadores estão caprichando na decoração da festa”, diz Regiane Mendes.

A Festa da Quitanda e o Festival da Goiabada de Barão de Cocais é realizada pela Prefeitura de Barão de Cocais, por intermédio das secretarias de Cultura e Turismo e de Desenvolvimento Econômico, e pela Emater-MG, e conta com o apoio do Senac, da Associação Comunitária do Distrito de Cocais, da Associação dos Agricultores Familiares de Barão de Cocais e Região e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barão de Cocais.

Fonte: https://www.agenciaminas.mg.gov.br/

Gastronomia

“ANO DA MINEIRIDADE” É TEMA DE EDIÇÕES MENSAIS DO BRASIL DAS GERAIS, DA REDE MINAS

Atração estreia com cozinha mineira e tradições culturais em programa que é exibido em duas partes, nos dias 08 e 15 de abril

Rosilene Campolina, Patrícia Pinho e Márcia Nunes – divulgação Rede Minas

O “Ano da Mineiridade” começa no Brasil das Gerais, da Rede Minas. A temática é apresentada no programa em uma edição especial por mês. Com foco em regionalidade, comportamento e tradição, a atração vai destacar o patrimônio de Minas Gerais e os mineiros. Para estrear o especial, o Brasil das Gerais traz a cozinha mineira e as tradições regionais para o debate. Dividido em duas partes que serão exibidas nos dias 8 e 15 de abril, o programa recebe as chefs Rosilene Campolina e Márcia Nunes, além de outros convidados. Em um bate-papo com a jornalista Patrícia Pinho, elas confirmam os versos de José Duduca de Moraes e provam que quem conhece Minas Gerais “não esquece jamais”.

Pode-se dizer que o mineiro “prende pela boca”. A expressão confirma aquilo que moradores e turistas conhecem: o sabor da cozinha mineira. A valorização entrou na pauta do governo, que deu início ao processo de reconhecimento da culinária como patrimônio. A riqueza dos ingredientes e pratos estão na edição de estreia do “Ano da Mineiridade”, do Brasil das Gerais, desta sexta (08). Além de Rosilene Campolina e Márcia Nunes, o programa ainda conta com a participação de produtores do sul de Minas. A atração traz os depoimentos de Gláucio Peron, produtor de doces de Poços de Caldas que fez uma iguaria de abóbora de 633 quilos e entrou no livro dos recordes, e Osvaldinho Filho, de Alagoa, premiado na França com o queijo artesanal.

A riqueza cultural é tema da segunda parte do especial deste mês, “Ano da Mineiridade”, no dia 15/04. As tradições mineiras ganham espaço no programa. Márcia Nunes, que também é historiadora, tempera o assunto com o seu livro “Festa do Rosário do Serro”. A atração traz, também, depoimentos de Fabiano Rabelo, caboclo da Festa do Rosário do Serro, e a varginhense Angelina Almeida, que herdou do pai a tradição da cabaça, do plantio à produção de peças artesanais.

Ano da Mineiridade
Lançado em março, o Ano da Mineiridade é uma iniciativa do Governo de Minas Gerais e da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) para exaltar Minas Gerais e as características únicas pelas quais o povo mineiro é reconhecido.

Sob o comando de Patrícia Pinho, o especial “Ano da Mineiridade” no programa Brasil das Gerais, será exibido mensalmente. A edição de estreia, dividida em duas partes, vai ao ar às sextas, dias 08 e 15 de abril, às 13h, pela Rede Minas e no site da emissora: redeminas.tv. Após a exibição, o público pode conferir a atração pelo YouTube: youtube.com/brasildasgerais.

Serviço:
Brasil das Gerais: Ano da Mineiridade (edições mensais)
Cozinha mineira e tradições culturais – às sextas, dias 8 e 15 de abril, às 13h, pela Rede Minas e redeminas.tv

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessoria de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social – Rede Minas
tatianacoutinho.tc@gmail.com
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
+55 31 3254-3081

Gastronomia

QUITANDAS MINEIRAS ENCERRAM TEMPORADA DO PROGRAMA SABOR & AFETO, DA REDE MINAS, NESTA QUINTA (31)

Atração mostra Japonvar, no norte de Minas, e os tradicionais quitutes

Quitutes de Japonvar – divulgação Rede Minas

Os quitutes mineiros encerram, em grande estilo, a temporada do Sabor & Afeto, da Rede Minas, nesta quinta (31). Produtos típicos de Minas Gerais que se transformam em grandes pratos nas mãos de cozinheiros são os destaques do programa. A atração mostra a diversidade da mesa no estado, que traz o sabor no centro e a família e amigos ao redor. Chef Esperança apresenta deliciosas iguarias simples ou gourmetizadas feitas com ingredientes regionais. O programa ainda traz uma reportagem especial gravada em Japonvar, no norte de Minas Gerais.

Japonvar tem apenas 26 anos. A jovem e pequena cidade, com pouco mais de oito mil habitantes, é palco da tradicional Festa do Biscoito. O quitute tem até nome: “peta”. A equipe da Rede Minas foi até o local para conhecer essa e outras delícias. A repórter Danielle Domingos mostra uma das mais conhecidas moradoras da cidade. Arlinda Mendes de Aquino, a “dona Fiinha”, foi uma das precursoras na receita e responsável por transformar o biscoito em um grande evento. Os seus fornos deram origem à famosa festa da região e tornaram o produto importante para a cultura e a economia local. O manejo da massa é renda, prazer e até brincadeira. Na cidade, a produção começa cedo, com as crianças que aprendem a tradição. A reportagem apresenta o trabalho artesanal no preparo de delícias e o espaço que elas conquistaram nas fábricas.

Na cozinha da chef Esperança, que comanda o programa, tem mais receita. Ela mostra que a tradição pode andar de mãos dadas com a contemporaneidade e tornar o simples em sofisticado. Para isso, ensina a preparar a famosa broa mineira que ganha destaque com goiabada flambada. Os chefs Eduardo Avelar, Flávio Trombino e Eduardo Maya também participam e falam sobre a gourmetização da cozinha mineira.

O programa Sabor & Afeto vai ao ar nesta quinta (31), às 20h, pela Rede Minas ou pela internet, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv. Após a exibição, o programa é disponibilizado no canal da Rede Minas no YouTube: youtube.com/redeminas.

O programa Sabor & Afeto faz parte do “Gerais+Minas”, da Rede Minas. O projeto da Empresa Mineira de Comunicação (EMC) contempla diversas ações de municipalização da programação das emissoras de comunicação do estado para mostrar a variedade da cultura, culinária, história, arte e natureza em Minas Gerais. A Empresa Mineira de Comunicação é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult – MG). Para mais informações, acesse o site geraismaisminas.mg.gov.br.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessoria de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social – Rede Minas
tatianacoutinho.tc@gmail.com
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
+55 31 3254-3081

Gastronomia

PATOS DE MINAS, CONSIDERADA CAPITAL NACIONAL DA MILHO, É DESTAQUE DO PROGRAMA SABOR & AFETO, DA REDE MINAS, NESTA QUINTA (24)

Atração faz um giro por museus e pela cozinha e mostra a presença marcante do cereal na história da cidade e a pamonha, que ganhou lugar de honra no cardápio dos moradores e turistas

chef Esperança ensina o preparo da pamonha – divulgação Rede Minas

O milho é milenar. Acredita-se que ele surgiu no México e se espalhou para as Américas. O cereal agradou Cristóvão Colombo, que é quem teria feito o intercâmbio para a Europa. O grão conquistou o paladar mundial, mas tem lugar de honra em Patos de Minas, também chamada de “capital nacional do milho”. O município, no Alto Paranaíba, é destaque do programa Sabor & Afeto, da Rede Minas, que mostra as belezas da cidade e da culinária na atração desta quinta (24).

Em Patos de Minas o milho avança as mesas e alcança espaços que vão muito além da cozinha. Nas ruas, ele é um ingrediente que reina em diversas receitas, eventos, museus e monumentos. A cidade tem, como um de seus principais atrativos turísticos, o Memorial do Milho, que é apresentado no programa. O local surgiu com o intuito de abrigar todo o acervo da Festa Nacional do Milho, que teve início em 1959, e da cidade, contribuindo para a preservação da memória cultural. O passeio segue os grãos e vai até o Museu da Cidade, antiga residência de Olegário Maciel, ex-presidente do Estado de Minas Gerais. Ali estão vídeos que mostram a colheita do milho no passado e outras preciosidades, como uma urna funerária indígena com mais de três mil anos.

Se o milho é protagonista da história, a pamonha impera na cidade. São muitos os moradores que fazem a iguaria e o comerciante Fernando de Assis Silva é um deles. O preparo da delícia se torna um grande evento em sua casa, quando reúne a família e os amigos. O processo começa bem longe dali, no campo, e termina na mesa, com todos saboreando. A repórter Danielle Domingos foi conferir o processo e mostra aquilo que se torna um ritual de alegria e sabor. Ali são feitas as tradicionais pamonhas doce e a salgada, recheadas com queijo e embaladas na trouxinha de palha. As salgadas ganham ingredientes diferentes, como linguiça, bacon, carne moída e cebolinha e são preparadas no forno e até na chapa.

Para não deixar ninguém com água na boca, chef Esperança, que apresenta o programa, assume o fogão e ensina o passo a passo para fazer essa receita. O Sabor & Afeto vai ao ar nesta quinta (24), às 20h, pela Rede Minas e pelo site da emissora: redeminas.tv.

O programa Sabor & Afeto faz parte do “Gerais+Minas”, da Rede Minas. O projeto da Empresa Mineira de Comunicação (EMC) contempla diversas ações de municipalização da programação das emissoras de comunicação do estado para mostrar a variedade da cultura, culinária, história, arte e natureza em Minas Gerais. A Empresa Mineira de Comunicação é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult – MG). Para mais informações, acesse o site geraismaisminas.mg.gov.br.

SERVIÇO:
Sabor & Afeto – Rede Minas
Patos de Minas (MG)
Data e horário: quinta (24/03), às 20h, pela Rede Minas ou pelo site da emissora: redeminas.tv

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:
Tel: (31) 3254-3000
Whatsapp: (31) 98272-6543

Tatiana Coutinho
Assessoria de Imprensa
Assessoria de Comunicação Social – Rede Minas
tatianacoutinho.tc@gmail.com
tatiana.oliveira@redeminas.mg.gov.br
+55 31 3254-3081

Gastronomia

Iniciativa do Circuito Villas e Fazendas destaca os sabores da cozinha afetiva mineira

Projeto “Sabor e Afeto nas Villas e Fazendas” reúne histórias e experiências sobre a relação dos mineiros com a comida

17 3 2022 minisaboreafeto
Imagem: Guto Aeraphe 

O Circuito Villas e Fazendas de Minas lança, no sábado (19/3) o projeto Sabor e Afeto nas Villas e Fazendas. O evento será realizado no Hotel Solar dos Montes, em Santana dos Montes, a partir das 18h, e vai contar com a com presença do Secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, prefeitos e gestores municipais.

Viabilizado por meio do Edital Reviva Turismo, da Secult, o Sabor e Afeto vai revelar a culinária afetiva nas 12 cidades que integram o Circuito Villas e Fazendas de Minas: Caranaíba, Casa Grande, Catas Altas da Noruega, Conselheiro Lafaiete, Cristiano Otoni, Itaverava, Lamim, Piranga, Rio Espera, Santana dos Montes, Senhora de Oliveira e Queluzito.

O objetivo é, além de trazer receitas de família, histórias e achados da cozinha mineira, incentivar o turismo local e a vivência de experiências na região. O material será disponibilizado nas redes sociais do projeto a partir de 21 de março.

Circuito Villas e Fazendas
O Circuito Villas e Fazendas busca fomentar e incentivar o turismo sustentável, com ações coordenadas de valorização da economia local e vivência de experiências. Criado há 20 anos, ele abrange 12 municípios de Minas Gerais. Além do Sabor e Afeto, o Circuito está à frente de projetos como o Rotas Villas e Fazendas, voltado para criação de roteiros integrados aos seus 12 municípios; Sala do Café Villas e Fazendas, um espaço de trocas sobre assuntos ligados ao Turismo Municipal; Festival Gastronômico Sabores das Villas, que busca promover e fortalecer a cozinha da região; Via Gastronômica 482, com restaurantes, cachaçaria, fazenda-escola de cachaça e fábrica de alambique entre Conselheiro Lafaiete e Itaverava; e Caminhos de São Tiago, que passa por 11 cidades entre Santa Rita de Ouro Preto e São Tiago.

Serviço
Lançamento do projeto Sabor e Afeto – Circuito Villas e Fazendas
Data:
 19/3 (sábado)
Horário: 18h
Local: Hotel Solar dos Montes
Endereço: Praça Aristides de Araújo Teixeira, 189, Centro | Santana dos Montes (MG)

Fonte: https://www.secult.mg.gov.br/

Gastronomia

Secretaria de Cultura e Turismo de Manhuaçu realiza Feira Gastronômica nesta sexta-feira

Música ao vivo, delícias da culinária, artesanato, playground e muita animação em mais uma edição da Feira Gastronômica e Cultural, que será realizada nesta sexta-feira (11/03). O evento, será realizado na Praça Cinco de Novembro, em frente à Prefeitura de Manhuaçu, a partir das 18 horas.

A atração musical ficará por conta da dupla Marcio e Luan Maia, trazendo o melhor do Pop Rock Nacional e a MPB. A Feira Gastronômica e Cultural é um evento para toda a família e valoriza o trabalho de artesãos e empreendedores de Manhuaçu e região.

ALTERAÇÕES NO TRÂNSITO

Para que a população tenha comodidade e segurança para frequentar o evento, algumas medidas são tomadas com relação ao trânsito.

As alterações começam na véspera, quinta-feira, com a proibição de estacionamento na Praça Cinco de Novembro (entre o prédio dos Correios e o semáforo da Rua Luiz Cerqueira), a partir das 19 horas, para que as barracas e demais estruturas possam ser montadas pela organização da feira. O trânsito fluirá normalmente.

Na sexta-feira, dia do evento, o trânsito será proibido a partir das 13 horas, no local, e liberado no sábado, a partir de 1h30 da manhã.

SECOM Prefeitura de Manhuaçu
Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/