Category Archives: Educação

Educação

Programa de Estágio da Vale: inscrições até 5 de julho para 900 vagas

O objetivo é contribuir de forma criativa, inovadora e dinâmica para carreira de jovens estudantes

Programa de Estágio da Vale: inscrições até 5 de julho para 900 vagas
Foto: Luciano Kim/Reprodução/Vale

Os interessados em participar do Programa de Estágio 2021 da Vale têm até 5 de julho para realizar a inscrição pelo site www.vale.com/estagio. São cerca de 900 vagas em diversas cidades de seis estados: Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Maranhão, Pará e Rio de Janeiro. Há oportunidades para cursos como Engenharias, Geologia, Administração, Comunicação, Psicologia, Direito e Economia, entre outros.

São quase 400 vagas para Minas Gerais, distribuídas entre as cidades de Barão de Cocais, Barbacena, Belo Horizonte, Brumadinho, Caeté, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Conselheiro Pena, Governador Valadares, Ipatinga, Itabira, Itabirito, Mariana, Nova Era, Nova Lima, Ouro Preto, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, Santa Luzia, São Gonçalo do Rio Abaixo e Timóteo.

Podem se candidatar estudantes cursando ensino superior, com previsão de formatura entre dezembro de 2022 e dezembro de 2023. O processo também inclui oportunidades para pessoas com deficiência. Os candidatos só poderão se inscrever para vagas no estado onde residem, mesmo em locais em que o trabalho seja 100% remoto.

O processo seletivo para o Programa de Estágio será online e totalmente às cegas em todas as etapas, com o objetivo de evitar que vieses inconscientes influenciem a escolha dos candidatos e de promover uma seleção baseada na avaliação de potencial e capacidade de realização futura. Desta forma, informações como gênero, etnia, idade, faculdade, endereço, estado civil, deficiências, entre outras, são omitidas durante a seleção.

Os selecionados receberão bolsa-auxílio mensal de até R$ 1.375,14 (valores variam de acordo com a carga horária), vale-transporte e vale-refeição e terão direito a assistência médica, trilha de desenvolvimento de carreira exclusivo para estagiários(as), acesso ao Gympass, programa de assistência ao empregado, seguro de vida e cesta de Natal, além de recesso remunerado de 15 dias a cada 6 meses. A carga horária do estágio é de até seis horas diárias, dependendo das atividades a serem desenvolvidas.

Fonte: Vale, https://maisminas.org/

Educação

Manuela D’Ávila é uma das palestrantes no Congresso de Comunicação da UFSJ

Estão abertas as inscrições para o I Congresso de Comunicação do Campo das Vertentes, evento on-line programado para os dias 24 e 25 de junho, que conta com o apoio do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de São João del-Rei (Dcoms-UFSJ). Destinado a estudantes de graduação e pós-graduação da UFSJ, segue aberto às demais instituições da região, assim como aos docentes e profissionais da área de Comunicação e afins.

Palestras, oficinas e apresentação de trabalhos fazem parte da programação do Congresso, que terá como tema Mídia e as disputas de narrativa em tempos de pandemia. “A proposta é criar um espaço permanente de debate no campo da Comunicação, em que temáticas atuais possam ser discutidas a partir de um ponto de vista crítico, reflexivo e, principalmente, científico, num momento de negacionismo. É uma forma de estimular a produção científica de nossos docentes e alunos”, explica o diretor-geral do evento, professor Luiz Ademir de Oliveira (Dcoms).

Ele conta que a ideia de realização desse encontro surgiu ao perceber que há vários estudantes dedicados à prática científica, com vocação para atividades acadêmicas. “Um congresso é momento importante para que possam apresentar esses trabalhos e também dialogar com pesquisadores de outras instituições”, avalia o docente.

Deborah Vieira, jornalista e professora substituta na UFSJ, ressalta a importância de eventos como esse: “Com temas e discussões atuais, além de produções dignas de um evento nacional, o Congresso une a identidade do Campo das Vertentes às preocupações atuais sobre a Comunicação e suas implicações na sociedade”, sinaliza Deborah.

Entre os profissionais convidados está a jornalista e mestra em Políticas Públicas, Manuela D’Ávila, presente na palestra de abertura. Ex-vereadora, ex-deputada estadual e ex-deputada federal, Manuela é autora de livros, criadora do instituto E se fosse você?, e foi candidata a vice-presidente do Brasil em 2018.

Oficinas práticas

Durante o evento, especialistas em suas respectivas áreas conduzirão oficinas que vêm abordar temas de destaque do atual cenário de Comunicação, caso da relação entre jornalismo e marketing digital; assessoria de comunicação; análise do discurso político; marketing de conteúdo e comunicação visual em mídias digitais. “Nessas oficinas, os interessados vão aprender um pouco de prática com profissionais com inserção no mercado”, comenta Luiz Ademir. As vagas são limitadas e sujeitas à confirmação.

Grupos temáticos e e-book 

Até a próxima terça, 15, a Comissão Organizadora recebe trabalhos submetidos aos sete Grupos Temáticos (GTs) do I Congresso de Comunicação do Campo das Vertentes. “O trabalho não precisa necessariamente discutir o tema do evento”, confirma Mayra Coimbra, jornalista, doutoranda em Comunicação e também integrante da Comissão Organizadora.

A pesquisadora revela que o número de GTs foi pensado para abarcar áreas diversificadas: “discussão de minorias, políticas públicas, campanhas eleitorais, comunicação de governo, estratégias comunicacionais, imagem pública, redes sociais e suas implicações, história do jornalismo, além de estudos que dialogam com a comunicação de uma forma mais geral”, elenca Mayra.

Os trabalhos podem ser enviados em dois formatos: artigos completos ou resumos expandidos. Nesse caso, o prazo para envio da versão final vai até 20 de agosto. Artigos selecionados serão publicados, em momento posterior, como capítulo de livro de e-book. As normas de submissão estão disponíveis aqui.

Negacionismo científico

Na programação, está previsto debate Negacionismo científico, guerra de narrativas e pandemia: a disputa política e comunicacional, com o trio formado pelos professores João Barreto da Fonseca, do Departamento de Comunicação Social e do Mestrado em Letras da UFSJ; Carla Montuori Fernandes, da Universidade Paulista (Unip); e Paulo Roberto Figueira Leal, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

“Três professores e pesquisadores que são referências para nossos orientandos e, ao mesmo tempo, são muito próximos”, indica o diretor-geral do Congresso. Luiz Ademir espera que o Congresso tenha continuidade: “Em 2022, vamos realizar a segunda edição do Simpósio Nacional de Comunicação Política, Campanha Permanente e Eleições. Vamos tentar conciliar os dois eventos – um regional e outro nacional”, planeja.

Inscreva-se!

“O público poderá esperar um evento muito bem organizado que, apesar de ser curto e de abrangência regional, tem um formato bem interessante”, afirma Luiz Ademir. Todas as informações quanto aos valores de inscrição, programação e quem são os docentes, pesquisadores e profissionais convidados, podem ser conferidas neste site, no Facebook (/comunicavertentes) e no Instagram (@comunicavertentes). O prazo para inscrições se encerra dia 23 de junho.

Fonte: https://correiodeminas.com.br

Educação

Professora de escola pública de Lafaiete é escolhida para Projeto Habitat Marte
Professora da rede pública lafaietense
Professora Aline Kessi de Paiva Fonseca

A Professora Aline Kessi de Paiva Fonseca, do Ensino Fundamental da Escola Municipal Professor Doriol Beato, de Conselheiro Lafaiete, foi selecionada para participar da Missão 73 da estação espacial análoga Habitat Marte em parceria com a AEB – Agência Espacial Brasileira.  

Com o objetivo de simular experiências vividas numa estação em solo marciano, a missão realizada pelo professor Júlio Rezende, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), ocorre entre os dias 7 e 21 de junho de 2021. 

Com a pandemia de Covid-19, a estação Habitat Marte desenvolveu uma metodologia para missões virtuais adaptadas. Já foram realizadas, até agora, mais de 30 missões, com 200 participantes de 28 países.

Os participantes viverão a experiência de serem astronautas análogos em dez encontros virtuais previstos para concluir a missão e desempenharão diversas atividades nas instalações que simulam uma estação em Marte. Poderão ocupar funções como chefes, pesquisadores, engenheiros, entre outras. Sete estruturas serão oferecidas: estação principal, centro de saúde, centro de engenharia, centro de lançamento, centro de saneamento, centro de engenharia e centro de energia.

Selecionados para a missão 73
Selecionados para a missão 73

O objetivo é buscar a autossustentabilidade pela geração da própria energia, reciclagem de resíduos e produção do próprio alimento. O Habitat Marte está comprometido com o desenvolvimento de tecnologias sociais como: forno solar, cisternas, aquaponia, filtros de água e estufas. O desafio é desenvolver tecnologias que sejam aplicadas tanto no espaço quanto em regiões áridas e semiáridas, ou outras regiões ameaçadas pela escassez hídrica e seca.

As reuniões ocorrerão nas segundas, quartas, sextas e sábados, às 18h30m. Os participantes são convidados a imaginar como será o funcionamento de uma estação espacial em Marte.

Fonte: https://fatoreal.com.br/

Educação

Jornalista mineira relança livro “As verdades que as mulheres não contam”
Jornalista mineira relança livro “As verdades que as mulheres não contam”

A jornalista e escritora mineira Priscilla Porto está relançando o livro de crônicas “As verdades que as mulheres não contam”, pela Editora Chiado Books, de Portugal. Devido à pandemia da Covid-19, o lançamento presencial precisou ser adiado, mas o livro já se encontra em fase de divulgação e pré-venda em vários sites brasileiros.

De acordo com a autora, a nova edição foi repaginada, mas continua intrigando pelo título e tema, e manteve o tom leve e inquietante. “Optei por acrescentar umas crônicas e retirar outras. Reescrevi partes de alguns textos também. Com isso, acredito que o livro ficou mais divertido. E creio que, neste momento tão difícil da pandemia, é um pouco de entretenimento e de leveza o que mais estamos precisando”, ponderou a jornalista formada pela Universidade Federal de
Viçosa (UFV/MG).

Priscilla Porto é natural de Belo Horizonte, mas mora na histórica Ouro Preto. Começou a escrever poesias ainda criança e despontou para a literatura na adolescência, fase em que perpassou pela escrita de vários contos – alguns deles publicados no livro Adeus – lançado em 1997, de forma independente e com o apoio da Prefeitura de Ouro Preto. Em 2007, lançou a primeira versão do livro “As verdades que as mulheres não contam”, pela Ícone Editora, de São Paulo (SP). E em 2014, lançou outro livro de crônicas “Para alguém eu amo – Mensagens para uma pessoa especial”, pela Editora Multifoco, do Rio de Janeiro (RJ).

Atualmente, Priscilla é cronista de sites e jornais da Região dos Inconfidentes. O trabalho da autora também é divulgado em seu Instagram: @priscillaportoescritora . E o novo livro já se encontra disponível para pré-venda na livraria Atlântico – filial da Chiado Books em São Paulo. E também na Livraria Cultura, Martins Fontes e Travessa, entre outras.

Fonte: https://maisminas.org/

Educação

Programa “Para Mulheres na Ciência” prorroga inscrições para cientistas

As inscrições para a 16ª edição do programa “Para Mulheres na Ciência” foram prorrogadas até 10 de junho.

Realizada pela L’Oréal em parceria com a Unesco Brasil e a Academia Brasileira de Ciências, a premiação concede bolsas-auxílio para sete pesquisadoras brasileiras a fim de incentivar a continuidade das pesquisas selecionadas. 

Para participar é necessário que a candidata tenha concluído o doutorado a partir de 2014, sendo que, para mulheres com um filho, o prazo se estende por mais um ano e, para quem tem dois filhos ou mais, o prazo se estende por mais dois anos. Além disso, a cientista deve ter residência estável no Brasil, desenvolver projetos de pesquisa em instituições nacionais, entre outros requisitos listados na página do programa. O regulamento completo e outras informações estão disponíveis no site For Women In Science

HISTÓRICO – Ao longo das últimas edições, o programa “Para Mulheres na Ciência” já reconheceu e incentivou 103 cientistas brasileiras com a distribuição de mais de R$ 4,3 milhões em bolsas-auxílio. Em 2018, a professora do Departamento de Física da UFOP Jaqueline Soares foi laureada com o prêmio pelo projeto de pesquisa que pretende melhorar a qualidade de próteses ortopédicas e dentárias tornando as peças mais baratas e resistentes com o uso de um talco produzido a partir da pedra-sabão — matéria-prima abundante na região dos Inconfidentes e que se mostrou biocompatível ao organismo humano em testes preliminares.⁠ 

Na última coluna do “Em Discussão”, espaço de divulgação das temáticas em pauta no universo acadêmico, conversamos com a professora sobre a importância da premiação, sobre o estágio atual da pesquisa e sobre as barreiras que ainda precisam ser derrubadas em termos de desigualdade de gênero na ciência. Leia a entrevista completa.

Fonte: https://www.ufop.br/

Educação

UFSJ fica entre as 1.200 melhores universidades do mundo

A Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) está entre as melhores do mundo. Na edição 2021-2022, a UFSJ aparece 36 posições acima do desempenho obtido na edição anterior, no ranking internacional da organização Centro de Rankings Mundiais de Universidades, a CWUR, sediada nos Emirados Árabes. Em nível mundial, a Universidade saltou da posição 1.170  para 1.134, o que a coloca acima de instituições como a tradicional New York Medical College, fundada em 1860. Em nível nacional, a UFSJ figura na 27ª posição dentre as 69 instituições federais de ensino superior, sendo a quarta classificada entre as 11 mineiras.

O ranking acadêmico de universidades globais da CWUR  é divulgado anualmente desde 2012 e avalia a qualidade da educação, a empregabilidade de ex-alunos, a qualidade do corpo docente e o desempenho da pesquisa. Segundo a organização, ao elaborar seu ranking, a CWUR contribui para o estabelecimento de políticas e percepções estratégicas, tanto para governos quanto para instituições universitárias.

Para o reitor Marcelo Andrade, a conquista resume o empenho da comunidade acadêmica – docentes, técnicos, discentes envolvidos com ensino, pesquisa, extensão – e gestão da UFSJ, “que vem trabalhando com total dedicação, nesse cenário adverso de pandemia e cortes orçamentários, para que a Universidade mantenha o curso de seu crescimento.”

Orgulho

A Assessora para Assuntos Internacionais, Liliane Sade, orgulhosa com a posição alcançada pela UFSJ, destaca o fato de que, nesta edição, a Universidade aparece logo em seguida à renomada San Francisco University. “Outra parceira nossa, a Universidade de Austin, no Texas, ocupa a 33ª posição no ranking mundial.”

Em relação à pesquisa, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, André Baldoni, relaciona o aumento no CWUR à melhoria na quantidade e na qualidade da produção científica, além de indicar crescimento no número de citações dos trabalhos produzidos na instituição. “Essas ações trazem mais visibilidade à UFSJ no mundo científico, ampliando as possibilidades de parcerias interinstitucionais, intercâmbios e internacionalização da pós-graduação.”

Para a pró-reitora de Ensino de Graduação, Elisa Tuler, a posição da UFSJ reforça a confiança na escolha de um trabalho coordenado entre as instâncias de formação profissional e acadêmica. “Congregação, colegiado, coordenadorias, unidades acadêmicas, são interlocutores que têm colaborado na reorganização de nossa forma de ensinar, e nos trazem respostas consistentes aos nossos desafios presentes”, avalia.


O resultado do ranking pode ser conferido em https://cwur.org/2021-22.php.

Fonte: Alessandro Andrade
Assessoria de Comunicação
Universidade Federal de São João del-Rei – UFSJ
Telefone: (32) 3379-5808 Celular: (32)9.9932-8475

Educação

Instituto Federal de Minas Gerais promove curso de Libras para colaboradores da fábrica da Coca-Cola FEMSA Brasil em Itabirito

Parceria entre o Comitê de Desenvolvimento Social (Codes) da empresa e a instituição de ensino visa aprimorar a comunicação e inclusão de colaboradores com deficiência

Para promover a diversidade e inclusão em seu ambiente interno e aumentar o acesso de pessoas com deficiência (PCDs) ao mercado de trabalho, o Comitê de Desenvolvimento Social (Codes) da fábrica da Coca-Cola FEMSA Brasil em Itabirito (MG) fez uma parceria com o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) para oferecer, nos meses de outubro, novembro e dezembro, um curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para os colaboradores da empresa. As aulas, ministradas on-line de forma dinâmica e prática, disseminaram o conhecimento básico em linguagem de sinais entre os profissionais da empresa, permitindo que tenham maior diálogo com deficientes auditivos.

Segundo o professor Paulo Mendanha, a capacitação, além de oferecer um ambiente mais acolhedor às pessoas com deficiência auditiva, também é uma oportunidade para conscientizar os colaboradores quanto ao direito e a realidade enfrentada por esse público. “Mesmo sendo cidadãos brasileiros, muitos surdos se sentem como estrangeiros vivendo em nosso país; afinal, são poucas pessoas que conseguem se comunicar com eles através da Libras”, destaca. Ele conta que, apesar de lecionar Libras há mais de 8 anos, essa foi sua primeira turma voltada para o ambiente corporativo. “Esse projeto foi de extrema importância para promover a convivência, o respeito à diferença e, principalmente, buscar a quebra de barreiras comunicacionais e de atitudes. Com o tempo, se mais pessoas tiverem a oportunidade de aprender Libras, podemos melhorar essa realidade”, ressalta.

Na primeira turma, formaram-se, neste mês, 11 profissionais da empresa, entre eles Poliane Avelino, técnica em enfermagem do trabalho, que alcançou a nota máxima no curso. Ela conta que foi motivada pela oportunidade de se comunicar com os colegas surdos e que a capacitação ampliou sua visão sobre acessibilidade. “Hoje, aprender Libras é fundamental para o desenvolvimento nos aspectos social e emocional, não apenas do surdo, mas também de todos que convivem com eles. Com o curso, conheci realidades que vão além de uma sociedade construída por e para ouvintes”, disse. Ela revela ainda que teve ajuda de um colega surdo para praticar o conteúdo aprendido nas aulas.

A unidade Itabirito conta, hoje, com 12 colaboradores com deficiência auditiva. Na avaliação de Claudia Eiko Kanbara, chefe de Recursos Humanos da Coca-Cola FEMSA Brasil, o aprendizado de Libras permite que os colaboradores com deficiência possam se comunicar com mais facilidade com os colegas de trabalho, além de promover a inclusão na companhia. “Sentimos a necessidade de melhorar a comunicação interna e torná-la mais abrangente e inclusiva. A demanda também partiu dos próprios colaboradores e gestores, que demonstraram bastante interesse em aprender Libras”, revela. “O curso foi especial, trouxe uma aproximação muito grande e a integração do grupo foi super bacana”, finaliza.

A coordenadora de Relações Institucionais do IFMG, Adriana Luziê de Almeida, destaca que esse trabalho é mais um passo rumo à inclusão e acessibilidade. “Conhecer um pouco sobre a forma como eles percebem o mundo ajuda os ouvintes a compreender melhor as diferenças e reconhecer que o surdo é uma pessoa, que usa outros sentidos para aprender, mas é tão capaz quanto qualquer outra”, afirma. Ela também ressalta os aprendizados que a parceria com a Coca-Cola FEMSA trouxe para o Instituto. “Essa parceria possibilitou conhecer um pouco mais da rotina dos ouvintes que interagem com surdos em um ambiente de trabalho”, declara. “Estamos avaliando novas formas de parceria para o próximo ano, pois entendemos ser de grande valia essa troca de conhecimento entre as instituições”, complementa a chefe de Recursos Humanos da Coca-Cola FEMSA Brasil.

Com o intuito de proporcionar acessibilidade e igualdade, a comunicação da Coca-Cola FEMSA Brasil também vem passando por adaptações. Recentemente, foi adotada a tradução simultânea em Libras em todas as oportunidades de emprego divulgadas no site vagas.com. A mesma tecnologia já é utilizada no site da empresa e na comunicação interna.

Fonte: Silvia Pires

Educação

Programa de radiojornalismo da UFOP é contemplado em projeto da SBPC

O programa de radiojornalismo “Curiá”, coordenado pela técnica administrativa Luana Viana, foi contemplado pelo Projeto de Divulgação Científica em Rádio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O repositório de áudios da SBPC reúne materiais produzidos e compartilhados voluntariamente por pesquisadores, professores, instituições de ensino e iniciativas de divulgação científica de todo o país. São contemplados diversos perfis de público e os programas abrangem temas variados, como saúde, energia nuclear, fauna brasileira, entre outros.

O objetivo do projeto é a circulação deste tipo de conteúdo, sobretudo em rádios comunitárias. “Acho importante participar dessas iniciativas que contribuem para a divulgação da pesquisa e da extensão, já que o esforço individual ganha força na coletividade”, analisa Luana. O “Curiá” é uma ação do projeto “Pequenos Ouvintes”, vinculado ao programa de extensão institucional “Sujeitos de suas histórias”, coordenado pelos professores Karina Gomes Barbosa e André Luís Carvalho.

O projeto produz programas de rádio para crianças, estimulando o desenvolvimento desse grupo, além de incentivar a escuta de rádio e de programas sonoros. Os episódios já estão disponíveis para escuta no  site da SBPC. DIVULGAÇÃO – Esta não é a primeira vez que o programa foi contemplado em editais de pesquisa.

O “Curiá” foi selecionado no edital do Sistema UFOP de Rádio — tendo sua programação veiculada nas emissoras de Mariana e Ouro Preto —, além da rádio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Na Rádio UFRJ os programas vão ao ar todos os sábados, às 10h. A Rádio Mec, também do Rio de Janeiro, fez uma matéria sobre as produções do projeto. Luana ressalta a importância dessas parcerias entre as instituições. “É muito bacana e contribui para que a gente alcance um público bastante amplo, fazendo circular uma produção que é desenvolvida aqui na UFOP”. 

Acompanhe o siteInstagram e Facebook do projeto.

Fonte: https://ufop.br/

Educação

Senac disponibiliza 2500 vagas para cursos gratuitos
SENAC MG 2019 → Cursos Gratuitos, INSCRIÇÕES 【VAGAS!】

O Senac em Minas disponibiliza cerca de 2500 vagas para cursos gratuitos de qualificação profissional até o fim do ano. Elas integram o Programa Senac de Gratuidade e estão distribuídas em 10 unidades pelo estado. Os cursos são voltados para as áreas de gestão, turismo, tecnologia da informação, saúde e moda. As aulas começam em outubro e novembro.

A oferta chega junto com o início da retomada econômica que, tradicionalmente, aquece a demanda por profissionais qualificados. De acordo o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado no dia 14 de setembro, o dado de julho registrou expansão de 2,15%.

Aos poucos, as atividades vão sendo retomadas, como o turismo, e alguns hábitos adquiridos na pandemia serão incorporados, movimentando, por exemplo, o e-commerce. “Nessa cadeia, a tendência é a reposição das vagas. E quem está qualificado sempre sai na frente na busca por uma recolocação profissional”, explica Luiz Paulo Smargiassi, diretor do Senac em Juiz de Fora. Existem cursos nas áreas de Assistente de Recursos Humanos, Vendedor, Assistente Administrativo, Assistente Financeiro, entre outros.

As vagas e cursos disponíveis estão relacionados no site do Senac na seção Cursos/Programa Senac de Gratuidade. Para participar do Programa, a renda família mensal per capita do candidato não pode ultrapassar o valor de dois salários-mínimos. O processo de análise de documentação e matrícula se dará remotamente. Atualmente, todas as unidades do Senac estão com aulas remotas.

Mais informações pelo 0800 724 44 40. 

Fonte: http://www.foconanoticia.com.br/

Educação

IFMG – Campus Ouro Preto abre inscrições para a 13ª Semana de Ciência e Tecnologia

Estão abertas as inscrições para a 13ª Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG – Campus Ouro Preto, com o tema “Inteligência Artificial: a nova fronteira da ciência brasileira.” Tradicionalmente, a Semana de C&T é realizada na data sugerida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações para incorporar a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Nesta edição, ela será realizada de 19 a 23 de outubro. Em virtude da pandemia da COVID-19, todos os eventos serão realizados de forma remota.

A Semana de C&T é pensada para integrar momentos de descontração com apresentações culturais e divulgação dos projetos de extensão, pesquisa e ensino realizados pela comunidade do IFMG – Campus Ouro Preto. A oportunidade de aprendizado e capacitação por meio de minicursos estão mantidas e serão ofertadas também de forma remota.

Para as palestras e mesas-redondas, foram convidados profissionais de renome na área de Inteligência Artificial, que conduzem trabalhos de grande relevância para a sociedade. A programação contará, também, com apresentação das pesquisas de mestrado e doutorado dos servidores docentes e técnico-administrativos da instituição e dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos dos cursos de pós-graduação.

O Campus realizará, ainda, algumas atividades em parceria com os campi Itabirito e Ponte Nova e também participará da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia Virtual e Integrada do IFMG, que reunirá eventos de praticamente todos os campi do Instituto.

Programação, inscrições e certificação:

A programação completa pode ser conferida no site do evento: semanact.ouropreto.ifmg.edu.br/. Já as inscrições devem ser realizadas gratuitamente no seguinte endereço: www.even3.com.br/snctop2020/.

Atenção: os interessados em receber certificados referentes às palestras e mesas-redondas deverão acessar e assistir a tais eventos a partir do site destinado às inscrições (www.even3.com.br/snctop2020).

Fique de olho!

Acompanhe as redes sociais do Campus Ouro Preto para não perder nenhum detalhe da programação! Lá serão divulgados, diariamente, todos os detalhes de cada um dos eventos programados.

Informações: Professora Sílvia Almeida: (31)98551-5066 (ligações e whatsapp) / silvia.almeida@ifmg.edu.br
Coordenadora da Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG – Campus Ouro   

Fonte: https://www.ouropreto.com.br/