Category Archives: Economia

Economia

Selo internacional para café sustentável de Divino

 “As pessoas querem consumir produtos feitos com responsabilidade social e ambiental. Ter consciência do impacto que você gera com o seu consumo é uma tendência mundial, e a certificação nos ajuda a mostrar para os clientes que seguimos essas diretrizes no nosso trabalho”.

A afirmação é da produtora rural de Divino, Selma Garcia que conquistou recentemente o selo internacional Rainforest Alliance, junto a um grupo de participantes e técnicos de campo do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte, do Sistema FAEMG/SENAR/INAES.  “A conquista é resultado de um processo feito com união, respeito, compromisso e confiança que desenvolvemos no ATeG”.

Esse é o terceiro selo do Café da Gruta da Liberdade, que já tem o Certifica Minas e o SAT – Produtos sem Agrotóxicos, oferecidos pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). A cafeicultora explica que as boas práticas agrícolas, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade sempre foram uma preocupação dela e do esposo, Arnaldo Gonçalves na propriedade. Com o ATeG, a gestão e a qualidade também foram aprimoradas, e assim, as exigências para a certificação foram cumpridas com mais facilidade.

“Nós estamos produzindo melhor, construímos terreiros suspensos, estufas e fizemos cursos do SENAR. E com mais essa marca de qualidade, pretendemos alcançar um mercado diferenciado”.

Para a técnica de campo Sandy Espinoso, a abertura do casal para a inovação e a tecnologia em prol da qualidade e da busca de novos mercados, fez a diferença no processo de certificação. “Eles têm o perfil ideal, e, para mim, foi muito importante acompanhá-los em todas as etapas e ver o resultado positivo que vai ajudá-los a fazer melhores vendas dentro e fora do país”.

Os cafés especiais da Gruta da Liberdade são comercializados em Divino, Juiz de Fora e em feiras e eventos. O produto já foi vendido para turistas de 11 países. 

Responsabilidade socioambiental

Selma destaca que o processo de certificação internacional envolveu também as cinco famílias que moram na Fazenda Gruta da Liberdade e trabalham em regime de contrato de parceria agrícola. Suas condições de vida e trabalho foram aferidas durante a auditoria.

“O auditor esteve na casa de todos, falou com crianças e adultos. Achei muito importante esse olhar para as relações sociais, qualidade de vida e segurança no trabalho. Fizemos mudanças importantes que vamos manter”, reforçou.

Para cumprir uma das adequações para a certificação as famílias fizeram o curso de Fossa Séptica oferecido pelo SENAR.

“O SENAR é um grande parceiro, tem muitas capacitações excelentes que fazemos questão de aproveitar. Quando tivemos essa demanda, solicitamos ao Sindicato dos Produtores Rurais de Divino e fomos prontamente atendidos. Os trabalhadores participaram do curso e construíram sozinhos as fossas para as suas casas”.

Valorização feminina

Selma é a atual diretora de Sustentabilidade da Aliança Internacional das Mulheres do Café – IWCA Brasil, que alcança cerca de 700 mulheres que atuam na cadeia do café, e acredita que este ponto deve ser cada vez mais aprofundado na organização.

“Quero que outras pessoas conheçam formas sustentáveis de viver e produzir. Pretendo criar grupos de estudos, trocar experiências e trabalhar a questão da sustentabilidade no café com mulheres. Na IWCA reforçamos a importância da valorização do trabalho da mulher e de sua capacidade técnica e competência de produzir com qualidade e responsabilidade socioambiental”.

Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/

Economia

Certificação internacional em tempo recorde

Em apenas três meses, um grupo de três produtores e quatro técnicos do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte, do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, conseguiu o selo Rainforest Alliance. A certificação internacional identifica cafés cultivados em propriedades que seguem rigorosamente as leis do país e os padrões socioambientais estabelecidos pela certificadora. Os sete pequenos produtores da agricultura familiar têm, em média, uma área de 15 hectares de café plantado e são os primeiros desse porte a conseguir esse selo entre os 36 mil cafeicultores da Região das Matas de Minas.

Tadeu Vieira Otoni, técnico do ATeG, e Mauro Júnior, CEO da CertifiCafé

Feito no modelo convencional, o processo de certificação leva cerca de um ano até a sua conclusão. O tempo recorde do grupo foi resultado do comprometimento dos envolvidos, uma vez que a certificação em grupo só é validada se todos forem bem avaliados na auditoria, da assistência técnica e gerencial e da tecnologia da startup CertifiCafé. Ela é uma das startups da Rede Azys de Inovação e está avançada no processo de seleção para fazer parte do portfólio da NovoAgro Ventures.

Fundamental para a agilidade do processo, a startup elabora o diagnóstico da propriedade e disponibiliza um aplicativo que mostra aos cafeicultores as adequações a serem feitas. A cada etapa concluída, os produtores lançam na plataforma as comprovações em texto, áudio ou imagens e recebem relatórios sobre os progressos alcançados.

Ao final, toda a documentação necessária para a certificação fica disponível, de forma digital, para os produtores e os auditores, simplificando e diminuindo o custo do processo e otimizando o tempo de auditoria na propriedade. 

A superintendente do INAES, Silvana Novais, conheceu a ideia ainda no início, no evento Avança Café, promovido pela Embrapa em 2019. Reconhecendo o potencial e aplicabilidade da tecnologia para os produtores rurais, Silvana se prontificou a auxiliá-los no desenvolvimento da startup. E foi ela quem fez a ponte entre o grupo das Matas de Minas e os empresários Mauro Júnior, Luciano Oliveira e Leonardo Diniz.

“Esse projeto piloto contou com o olhar essencial dos agrônomos técnicos do ATeG Café+Forte. O programa prepara os produtores para organizar a propriedade, e a plataforma os faz enxergar as melhorias que precisam fazer para obter a certificação. Nesse sentido, um completa o outro, e fiquei muito feliz com o resultado”, explicou Silvana.

Produtor Rogério Dutra

Avaliação Positiva

“Ficamos felizes ao constatar mais uma vantagem do Programa ATeG, que é a economia durante o processo de certificação. A aprovação do grupo demonstrou que obter esse selo é possível e viável para os pequenos produtores. A solução da CertifiCafé democratiza a certificação e esperamos levá-la a mais atendidos pelo ATeG. A certificação gera oportunidade de crescimento e abertura para o mercado internacional.” – Marcos Reis, gerente do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Viçosa

“A metodologia do ATeG já atende a muitas exigências das certificações, tendo como pontos fortes a sustentabilidade, o manejo integrado de pragas e doenças, o manejo da água e do solo e a gestão. O SENAR também oferece aos produtores treinamentos que são exigidos pela legislação brasileira e, com isso, temos produtores mais preparados.” – Daniel Prado, supervisor do programa na regional Viçosa, que participou do grupo junto  com a esposa Dulcinéia Prado

“O Sistema FAEMG está preocupado em levar tecnologia e inovação para os produtos, e a parceria da CertifiCafé com o ATeG comprova a efetividade e a importância dessa conexão. Com as orientações técnicas e a nossa metodologia, conseguimos o resultado a um custo 60% menor do que a certificação no método convencional.” – Mauro Júnior, CEO da CertifiCafé

“Essa conquista é histórica e, sem o ATeG, seria impossível. Rodamos 4.000 quilômetros para acompanhar o grupo de perto. Conseguimos mudar a mentalidade do produtor, que achava a certificação difícil e demorada e, agora, estão a vendo como aliada. Queremos treinar os técnicos do ATeG para usarem a tecnologia e multiplicarem esse feito.” – Luciano Oliveira, consultor e CMO da CertifiCafé

“Certificações em grupo diminuem os custos para todos os envolvidos. Para nós, foi importante participar desse projeto piloto para conhecer o perfil dos produtores da região e entender as demandas para mais trabalhos. O selo Rainforest Alliance é uma chancela de qualidade e sustentabilidade importante. Existe uma procura crescente por produtos com esse certificado no mercado internacional.” – Alexandre Schuch, gerente do Group Ecocert no Brasil

“Sempre nos preocupamos com a sustentabilidade na nossa propriedade, e a conquista do selo é uma vitória para nós. Somos gratos pela oportunidade de fazer parte desse grupo.” – Selma Garcia Gonçalves ,esposa de Arnaldo Gonçalves, atendidos pelo ATeG,em Divino

“Participei do processo como produtor e como técnico do ATeG. A conquista foi uma satisfação dupla. Nesse período, trabalhei com os produtores Rogério Dutra e Gilson Clemente uma visão mais criteriosa da organização das propriedades e, principalmente, da qualidade de vida e segurança do trabalho.” – Tadeu Vieira Otoni, técnico do ATeG em Santa Margarida

“Trabalhamos em família no Sítio Jasminum e a certificação só foi possível porque contei com o auxílio dos meus pais e irmãs. Vencemos juntos. Fiz o plano ambiental e o licenciamento, e o meu pai melhorou a organização e a eficiência na execução das atividades em campo. Trabalhamos com café especial, e o selo é um grande passo para a produção de cafés sustentáveis. A experiência foi um aprendizado que levarei aos produtores que acompanho no ATeG.” – Jéssica do Carmo, técnica de campo do ATeG e produtora

Lista dos certificados

Dulcinéia Carvalho de Abreu Prado
Jéssica do Carmo
Sebastião Brinate
Tadeu Vieira Otoni
Rogério Dutra 
Arnaldo Gonçalves de Jesus
Gilson Gomes Clemente

Fonte: http://www.sistemafaemg.org.br/

Economia

Coca-Cola FEMSA Brasil oferece qualificação profissional para o mundo do trabalho em curso 100% on-line e gratuito para jovens em Minas Gerais

No estado, o programa está presente em Belo Horizonte (Cabana, Coqueiros, Morro das Pedras, Nazaré, Sumaré e Suzana), Betim e Itabirito

Estão abertas as inscrições para o “Coletivo Online”, programa de empregabilidade 100% digital, realizado pelo Instituto Coca-Cola Brasil em parceria com a Coca-Cola FEMSA Brasil, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola no mundo em volume de vendas. A iniciativa tem como objetivo conectar jovens de 16 a 25 anos, em situação de vulnerabilidade, ao mercado de trabalho a partir de uma rede de cerca de 400 parceiros empregadores. Em Minas Gerais, o programa está presente em Belo Horizonte (Cabana, Coqueiros, Morro das Pedras, Nazaré, Sumaré e Suzana), Betim e Itabirito.

Para participar, além da faixa etária, os requisitos são: ter concluído o Ensino Médio ou estar cursando e possuir um número de WhatsApp, já que o curso é 100% on-line e será realizado pelo aplicativo.  Os interessados devem se cadastrar, até o dia 21 de junho, por meio do link http://bit.ly/coletivafemsa

O conteúdo do “Coletivo Online” é focado em temas do mundo do trabalho, elaboração de um plano de vida, planejamento financeiro, construção de currículo e como se preparar para entrevistas e processos seletivos. Quem assistir às videoaulas e fizer as atividades práticas recebe um certificado de conclusão e, ao final do curso, os participantes são convidados a se cadastrarem nas comunidades de vagas do programa, podendo se candidatar aos processos seletivos de uma rede de parceiros empregadores.



Atuação que gera impacto

A iniciativa faz parte da plataforma Coletivo, que conta também com o bem-sucedido programa Coletivo Jovem, que já beneficiou cerca de 88 mil jovens nas regiões que a Coca-Cola FEMSA Brasil atua. Desde o início de sua implementação, em 2009, a plataforma Coletivo impactou mais de 256 mil jovens em comunidades brasileiras espalhadas em 22 estados mais o Distrito Federal —incluindo as suas duas versões: o Coletivo Jovem, com aulas presenciais, e o Coletivo Online, com turmas 100% digitais. Desses, mais de 77 mil tiveram acesso ao mercado de trabalho. Apenas em 2020, 7.500 se formaram nas aulas dos programas presencial e on-line, sendo 68% negros e 70% mulheres. Os resultados mostram que, até seis meses depois da conclusão do curso, 53% dos jovens formados conseguiram se inserir no mercado de trabalho, antes da pandemia, e 41% durante a pandemia. No caso do “Coletivo Online”, 91% dos jovens acreditam que o curso contribuiu para o desenvolvimento pessoal e a taxa de empregabilidade desse programa será aferida ainda este ano.


Sobre o Instituto Coca-Cola Brasil
O Instituto Coca-Cola Brasil (ICCB) é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que, há mais de 20 anos, tem como missão a transformação social em larga escala por meio da articulação de parceiros e da capilaridade do Sistema Coca-Cola Brasil. Reconhecido por sua tecnologia social e capacidade de escala, assumiu o compromisso público de, até 2030, elevar o patamar de milhares para milhões de jovens impactados por suas iniciativas, incluindo intencionalmente as perspectivas de equidade de gênero e raça. Para cumprir seu compromisso, redesenhou sua estratégia para focar exclusivamente na inclusão produtiva de jovens e expandiu novas formas de atuação para além de seus programas proprietários. Até hoje, o ICCB já beneficiou 426 mil pessoas.

Sobre a empresa
A Coca-Cola FEMSA, S.A.B de C.V é a maior engarrafadora de produtos Coca-Cola do mundo em volume de vendas. A empresa produz e distribui bebidas sob as marcas registradas da The Coca-Cola Company, oferecendo um amplo portfólio de 129 marcas para mais de 265 milhões de consumidores. Com mais de 80 mil funcionários, a companhia comercializa e vende por ano aproximadamente 3,3 bilhões de caixas unitárias por meio de quase 2 milhões de pontos de venda. Operando em 49 unidades fabris e 268 centros de distribuição, a Coca-Cola FEMSA está comprometida com a geração de valor econômico, social e ambiental para todos os stakeholders em sua cadeia de valor. A companhia é membro do Índice Dow Jones de Sustentabilidade MILA Pacific Alliance, do Índice FTSE4Good Emerging e do Índice S&P/BMV total México ESG, entre outros. Suas operações cobrem territórios no México, Brasil –onde atua há 18 anos– Guatemala, Colômbia e Argentina e, em nível nacional, na Costa Rica, Nicarágua, Panamá, Uruguai e Venezuela, por meio do investimento na KOF Venezuela. Para mais informações, visite www.coca-colafemsa.com.

Fonte: Taiane Rocha 
(31)9.9839-4670 (WhatsApp) / (31)9.9839-1670 (ligações)
www.interfacecomunicacao.com.br

Economia

GERDAU abre 160 vagas para programa de aprendizagem em Ouro Branco

As inscrições estão abertas até o dia 15 de junho e as atividades iniciam entre agosto de 2021 e fevereiro de 2022.

Carreira: Faça Parte do Nosso Time | Gerdau

A Gerdau, maior empresa brasileira produtora de aço, acaba de abrir inscrições para o Programa de Aprendizagem 2021, que é realizado anualmente com o intuito de incluir jovens que estão iniciando no mercado de trabalho. Em parceria com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), a iniciativa possibilita que o (a) jovem integre teoria e prática industrial iniciando pelas áreas de manutenção e operação da Usina de Ouro Branco.

As 160 vagas são para os cursos de eletromecânica e operador siderúrgico com duração de 18 a 24 meses, a depender da formação escolhida. A primeira etapa acontece no SENAI com duração de 4h de aula teórica por dia, durante o período de 6 ou 12 meses, e na segunda etapa os (as) jovens seguem para o aprendizado prático na Usina durante 6 horas diárias por 12 meses.

Poderão se inscrever jovens nascidos entre dezembro de 2000 e janeiro de 2004, que tenham o ensino médio completo e residam nas cidades de Ouro Branco, Congonhas e Conselheiro Lafaiete. As inscrições estão abertas e vão até o dia 15 de junho. Entre as 160 vagas, serão admitidos 80 jovens em agosto de 2021 e outros 80 em fevereiro de 2022. Os (as) selecionados (as) serão beneficiados (as) com a bolsa educacional, transporte fretado da empresa, plano de saúde, plano odontológico e alimentação na empresa, durante o período de prática.

A aprendizagem profissional proporciona o crescimento do jovem de várias formas, abrindo um leque de oportunidades para o amadurecimento e inserção no mercado de trabalho. Alessandra Marciana Martins, 26 anos, hoje colaboradora da Gerdau, teve a oportunidade de fazer parte do programa e conta como foi a sua experiência. “Todas as etapas que passei foram essenciais para o meu aprendizado. Minhas expectativas em relação ao programa se transformaram em resultado. Pude colocar em prática tudo que tinha aprendido no curso. Hoje em dia eu gosto muito de trabalhar com mecânica e vejo grandes mudanças no meu comportamento profissional. Tenho muito mais paciência e preparo para trazer soluções”, afirma. Para Alessandra, os jovens que estão interessados em se inscrever no programa devem aproveitar cada momento, se atentando para aprender os detalhes de todo o processo, e completa falando o quão importante foi o acompanhamento próximo do seu padrinho no programa e de todos os profissionais que estavam à sua volta sempre disponíveis a ensinar.

Serviço:

Programa de Aprendizagem Gerdau 2021

Inscrições até dia 15/06/2021

Para se inscrever CLIQUE AQUI.

Fonte: http://www.foconanoticia.com.br/

Economia

Produção Associada ao Turismo

A produção associada tem sido grande aliada do turismo sustentável e incentiva a criatividade no entorno do destino. Investir na estruturação e qualificação à Produção Associada é essencial, pois a mesma é um importante pilar sociocultural e para o desenvolvimento equilibrado da atividade turística, gerando mais oportunidade para desenvolver a economia de um povo.  

De acordo com o Ministério do Turismo, o conceito diz respeito a “qualquer produção artesanal, industrial ou agropecuária que detenha atributos naturais e/ou culturais de determinada localidade ou região, capaz de agregar valor ao produto turístico. São as riquezas, os valores, os saberes, os sabores; é o desenho, o estilismo, a tecnologia, o moderno e o tradicional.”

Minas Gerais possui grande potencial nesse sentido e hoje, o turismo tem sido fortalecido através da produção do queijo, cachaça, quitandas, doces ou artesanatos. A alternativa tem sido um caminho viável para o desenvolvimento.

Os benefícios gerados para a atividade turística incluem diversificação e agregação de valor à oferta; aumento da atratividade do destino; e fortalecimento da identidade local, além de agregar maior experiência ao turista. Vemos grande presença na Produção Associada de artesãos, artistas culturais e criativos, pessoas envolvidas com gastronomia, agropecuária, além de produtos locais.

Para a comunidade gera fortalecimento dos produtos locais; geram negócios, ampliam a comercialização; geram a qualificação de produtos; e estimulam a profissionalização e a formalização de pequenos negócios.

Produção Artesanal da cachaça Capela de Minas em Cambuí – MG
Fonte: https://serrasverdes.com.br/cambui/img_0253/

Produção associada de artesanato em Tocos do Moji – MG
Fonte: https://serrasverdes.com.br/tocos-do-moji/img_5230/

Economia

Nova turma do Programa Agente de Turismo na região de Caparaó

Participantes dos municípios de Alto Jequitibá, Alto Caparaó e Caparaó iniciaram este mês, o programa Agente de Turismo Rural oferecido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Alto Jequitibá.

A região é conhecida pela produção de cafés especiais e pelas belezas naturais, e durante a capacitação os 16 alunos aprenderão a aproveitar as potencialidades da área para receber visitantes e empreender no turismo.

O primeiro dos seis módulos do programa, aconteceu no Parque Nacional do Caparaó, conduzido pela instrutora Cláudia Ferolla Ferreira. No encontro a turma tratou das oportunidades, produtos e serviços turísticos. O próximo módulo acontecerá de 14 a 17 de junho.

“Acreditamos que o programa vai prepará-los para empreender, com qualidade, nesse setor tão promissor, e para buscar o apoio e cobrar iniciativas das secretarias de turismo locais que fomentem o turismo rural”. – Jorge Faria, mobilizador do Sindicato dos Produtores Rurais de Alto Jequitibá

“O programa veio para fortalecer o que já existe, criar conexões entre os municípios e mudar a mentalidade das pessoas da região sobre o turismo rural. Nós temos uma região linda que pode se desenvolver muito nesse segmento. Os conhecimentos também vão auxiliar no crescimento da nossa cafeteria”.  – Paula Gripp, participante proprietária da Cafeteria Coffe Gripp.

“Minha família já atua no turismo, com hospedagem, há mais de 25 anos. Agora estamos investindo em nossa propriedade rural, valorizando a nossa produção de café. Estou bem animado e confiante de que o programa vai ampliar meu conhecimento e contribuir para a melhoria do nosso negócio. Após o primeiro módulo já surgiram boas ideias que, até então, eu não enxergava” – Ramiro Horst de Aguiar, de Alto Caparaó.

Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/

Economia

Fabricação do doce de leite Viçosa é reconhecida como patrimônio imaterial de Minas Gerais

Deputados votaram projeto de lei que pretende tornar o processo de fabricação do doce como sendo de relevante interesse cultural

Doce de Leite Viçosa o Melhor doce de Leite do Brasil MG - A Canastra Online

Deputados estaduais aprovaram em 1ª votação nesta quarta-feira, 19, o projeto de lei que reconhece a fabricação do Doce de Leite Viçosa como sendo de relevante interesse cultural para o estado de Minas Gerais. O projeto é de autoria do deputado Coronel Henrique (PSL) e, originalmente, propunha a classificação da fabricação do doce como patrimônio imaterial do estado.

O Doce de Leite Viçosa é produzido no Município de Viçosa desde 1980, é reconhecido pelo público e por especialistas, tendo sido premiado nove vezes como melhor doce de leite do Brasil no concurso nacional de produtos lácteos organizado pela Epamig e Instituto de Laticínios Cândido Tostes.

A fabricação do doce, a cargo do laticínio da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), é completamente industrializada e seus segredos de produção guardados a sete chaves por uma equipe altamente capacitada e utiliza matéria-prima de primeira linha, processada com tecnologia de ponta e seguindo rigorosos padrões técnicos.

Apesar de a fabricação ser feita sob sigilo industrial, e a população não ter acesso ao modo de preparo do badalado produto, para o deputado, a simbologia, história e tradição do doce de leite justificam a aprovação do projeto, que tramita na casa desde 2019.

Fonte: https://www.folhadamata.com.br

Economia

Coca-Cola FEMSA Brasil contrata operador de produção e analista de qualidade para a fábrica da empresa em Itabirito (MG)

A Coca-Cola FEMSA Brasil, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola no mundo em volume de vendas, está contratando analista de qualidade e operador de produção para atuação na fábrica da empresa em Itabirito (MG). As vagas estão disponíveis também para Pessoas com Deficiência (PCD) e os interessados podem se cadastrar no site trabalheconosco.vagas.com.br/femsa ou solicitar uma carta de encaminhamento no Sine de Itabirito (Praça Doutor Guilherme, 169 – Centro). Entre os principais benefícios oferecidos pela empresa, além de salário compatível com o mercado, estão assistência médica e odontológica, programa de remuneração variável, seguro de vida, vale-alimentação e vale-refeição ou refeitório na empresa (a depender do cargo).

Para o cargo de “Operador de Produção”, estão abertas duas vagas. Os profissionais contratados vão alimentar as linhas de produção com os insumos necessários, além de mantê-las limpas e organizadas para dar suporte aos técnicos de manufatura que operam as máquinas. A escolaridade mínima exigida é Ensino Médio completo.

Já para o cargo de “Analista de qualidade PL – Meio Ambiente”, o candidato precisa, de preferência, ter formação superior na área de engenharia ambiental e experiência na função. Entre as atividades a serem exercidas pelo profissional, estão gestão dos monitoramentos ambientais; condução de processos de licenciamento junto aos órgãos ambientais para obter ou renovar autorizações e licenças requeridas, coleta e validação dos dados do processo para geração dos indicadores ambientais; condução de campanhas internas relacionadas à conscientização e divulgação de ações ambientais.

A Coca-Cola FEMSA Brasil alerta que todas as suas vagas de emprego são divulgadas nos canais oficiais: Vagas.com e redes sociais Facebook e Instagram da empresa (perfis com sinal de verificado). A companhia orienta que, em caso de recebimento de informações relacionadas à empresa, a pessoa faça a checagem nos canais oficiais e não clique ou compartilhe links que possam redirecionar para sites falsos.

Sobre a Coca-Cola FEMSA

A Coca-Cola FEMSA, S.A.B de C.V é a maior engarrafadora de produtos Coca-Cola do mundo em volume de vendas. A empresa produz e distribui bebidas sob as marcas registradas da The Coca-Cola Company, oferecendo um amplo portfólio de 129 marcas para mais de 265 milhões de consumidores. Com mais de 80 mil funcionários, a companhia comercializa e vende por ano aproximadamente 3,3 bilhões de caixas unitárias por meio de quase 2 milhões de pontos de venda. Operando em 49 unidades fabris e 268 centros de distribuição, a Coca-Cola FEMSA está comprometida com a geração de valor econômico, social e ambiental para todos os stakeholders em sua cadeia de valor. A companhia é membro do Índice Dow Jones de Sustentabilidade MILA Pacific Alliance, do Índice FTSE4Good Emerging e do Índice S&P/BMV total México ESG, entre outros. Suas operações cobrem territórios no México, Brasil –onde atua há 18 anos– Guatemala, Colômbia e Argentina e, em nível nacional, na Costa Rica, Nicarágua, Panamá, Uruguai e Venezuela, por meio do investimento na KOF Venezuela. Para mais informações, visite www.coca-colafemsa.com.

Fonte: Silvia Pires

Economia

Sérgio Cotrim eleito presidente do Conselho das Matas de Minas

O cafeicultor e engenheiro agrônomo Sérgio Cotrim D’Alessandro foi eleito diretor presidente do Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas. A diretoria é composta ainda pelo Diretor Administrativo Fernando Romeiro Cerqueira e o Diretor Financeiro Sebastião de Lourdes Lopes.

O Conselho das Entidades da Região das Matas de Minas reúne representantes de produtores, cooperativas de crédito e produção, sindicatos, associações, organizações  de pesquisa e extensão, poder público e demais envolvidos na cadeia produtiva do café. Trata-se de uma governança  voltada ao desenvolvimento dos cafeicultores dos 64 municípios que compõem a área reconhecida como Região das Matas de Minas, comunicando uma cafeicultura “Naturalmente Artesanal“.

“Quero agradecer a confiança dos membros do conselho e contando com o apoio de sempre para exercemos uma boa governança. Muitas ações aconteceram desde o início do projeto com apoio fundamental do Sebrae-MG, tendo hoje a Região das Matas de Minas conquistado o reconhecimento da Indicação de Procedência pelo INPI. Será desenvolvida uma gestão estratégica  para proteção e comunicação ao mercado da IP de nossa região, dentre elas o trabalho com  novas lideranças e parcerias para o desenvolvimento da Região das Matas de Minas” – destaca o novo presidente, Sérgio Cotrim D´Alessandro.

Entre as propostas do novo presidente, estão fortalecer o sentimento de pertencimento dos produtores da Região das Matas de Minas e buscar incessantemente trabalhar pela percepção dos consumidores quanto a Indicação de Procedência (IP) das Matas de Minas, posicionando a região como uma Origem Controlada reconhecida pelos  consumidores, dentro dos pilares da Qualidade artesanal, Sustentabilidade natural e desenvolvimento coletivo.

Participaram da eleição, os representantes da SCAMG (Associação de Cafés Especiais de Minas Gerais), Sicoob Credisudeste, Sicoob Credilivre, Sindicatos dos Produtores Rurais de Manhuaçu, Lajinha e de Manhumirim, Sicoob União dos Vales, Coocafé, Sicoob Credcooper e Sicoob Credicaf.

MATAS DE MINAS

O projeto Café das Matas de Minas começou em 2011 com o objetivo de desenvolver a cafeicultura na região. É baseado em quatro pilares: qualidade, identidade, governança e mercado. Busca valorizar o café dessas localidades, organizar as ações dos produtores e estimular o acesso a mercados.  A iniciativa inclui ainda ações de capacitação e orientação ao produtor sobre o processo de melhoria da qualidade, governança e identidade.

A Região das Matas de Minas está situada em uma área de Mata Atlântica, no leste de Minas Gerais, e compreende cerca de 36 mil produtores de café, responsáveis pela produção de 7 milhões de sacas anuais, 24% do total no estado. Em 64 municípios, com 275 mil hectares plantados na área demarcada, os produtores geram cerca de 75 mil empregos diretos e 156 mil empregos indiretos na colheita do café.  

A produção é naturalmente sustentável, marcada pela predominância da agricultura familiar, gerando impacto econômico e social direto e indireto, além de estimular fatores culturais presentes na cafeicultura da região. 

Em 2017, foi criado o Selo de Origem Região das Matas de Minas, iniciativa que garante a origem do produto, permitindo a rastreabilidade, definindo o processo de produção e contribuindo para a qualidade do produto.  Em dezembro de 2020, a região produtora de café Matas de Minas recebeu a chancela de Indicação de Procedência (IP) pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Ao longo dos anos, o café Matas de Minas recebeu diversas premiações de relevância nacional e internacional, como, por exemplo, os prêmios Ernesto Illy de Qualidade do Café para Espresso, Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas,  Coffee of The Year, Concurso de Qualidade ABIC e Cup of Excellence, dentre outros. 

Fonte: https://www.portalcaparao.com.br/

Economia

E-commerce de queijos premiados no sul de minas é pioneiro nas vendas pela internet com reconhecimento internacional

Tray fornece plataforma robusta que impacta diretamente no negócio da Queijo d’Alagoa-MG na economia local

A empresa Queijo d’Alagoa-MG, nasceu em 2009, na cidade de Alagoa, no sul de Minas Gerais. Pioneira e inusitada nas vendas de queijos pela internet, faz entregas de norte ao sul do país.

A Queijo d’Alagoa-MG é renomada e acumula várias premiações ao longo dos anos como “Melhor Queijo Artesanal de Leite Cru do Brasil” e no “Mondial du Fromage”, na França, entre os melhores queijos do mundo. O impacto desse reconhecimento é extenso e tem feito transformações sociais e econômicas no município de Alagoa (MG), além de resgatar a tradição e a cultura fomentando o produtor local e incentivando o turismo.

No início do e-commerce, em janeiro de 2012, a parceria foi feita com a Loja Virtual, da Locaweb. Naquele cenário, a ferramenta era a que mais se encaixava com as necessidades da empresa. Posteriormente, com a ampliação da presença na internet foi feita a transição para a Tray, unidade de negócios da Locaweb.

Antes da parceria com a Tray, o processo era bem ineficaz. De acordo com Osvaldo Filho, fundador da Queijo d’Alagoa-MG, “começamos vendendo através de um blog. O cliente tinha que fazer o depósito primeiro pra depois receber o queijo em sua casa. Isso gerava uma certa desconfiança e não passava credibilidade para o cliente”.

Com o passar dos anos, as melhorias nos serviços e benefícios que a Tray trouxe para Queijo d’Alagoa-MG foi sentido internamente. A empresa percebeu nítidas melhorias nos processos e, para os clientes, mais facilidade na hora de efetuar as compras e pagamentos.

Para Filho, “havia a necessidade de estruturar uma loja virtual completa, que fosse simples e fácil de alimentar as informações, além de oferecer meios de pagamentos eletrônicos que facilitasse no repasse dos valores”, conta ele.

“Para nós, é um privilégio acompanhar desde o início o crescimento da empresa Queijo d’Alagoa-MG, no e-commerce. Saber que as nossas tecnologias robustas e layout customizável na plataforma atendem com praticidade aos clientes de diversas regiões do país traz muita satisfação. Sem dúvida alguma, é um case de sucesso no qual nos orgulhamos de fazer parte”, afirma, Thiago Mazeto, Diretor comercial na Tray.

Sobre a Tray

Com 17 anos de história, a Tray – unidade de e-commerce da Locaweb – é uma das empresas de tecnologia brasileira mais competitivas do mercado. Sua plataforma robusta oferece produtos e soluções exclusivas, integrações com os maiores marketplaces do país, além uma interface amigável e 100% customizável. Ideal para todos os estágios do empreendedor online, fornece um ecossistema completo que atende desde o pequeno varejista até as grandes operações, através da sua divisão corporativa Tray Corp. Para mais informações, acesse: www.tray.com.br

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA : NR-7 Comunicação