Cidades

‘Baile da Dri’ e ‘Chiquita Bacana’ agitam a programação da Gruta em julho

Completando cinco meses de retorno presencial, espaço cultural icônico de BH recebe, em julho, show da cantora Adrianna e festa ‘Chiquita Bacana’

Adrianna – Foto Marcos Leaum

Em julho, a Gruta completa cinco meses desde a reabertura de suas portas. Com eventos praticamente semanais, a programação presencial do icônico espaço cultural traz, neste mês, duas animadas atrações. No dia 23/7, sábado, o “inferninho” mais amado de BH recebe o “Baile da Dri”, show especial da cantora Adrianna, referência da black music na capital. Já no dia 29/7, sexta-feira, a pista vai esquentar com “Chiquita Bacana”, comandada pela DJ Fê Linz e pela DJ Firmina (Marcelo Veronez). Ingressos e informações podem ser encontradas no LinkTree da Gruta.

Uma das vozes mais potentes de BH, Adrianna volta à Gruta depois do show autoral que abriu a programação do espaço, em março. Desta vez, a cantora chega com o “Baile da Dri” e o melhor da black music. “É um show com clássicos e releituras da música nacional e internacional. Estou preparando um repertório diverso e dançante, para celebrarmos a vida”, diz a cantora, que estará acompanhada pelos músicos Léo Pires (bateria), Cláudio Kiari (guitarra) e Egberto Brant (baixo). A noite ainda contará com a discotecagem da DJ Fê Linz, que volta ao espaço no fim de semana seguinte, com a festa “Chiquita Bacana”.

Para a cantora, a Gruta sempre foi um importante espaço de acolhimento. “Fiquei mais próxima da Gruta em 2019, quando participei do projeto Rampa, e fortaleci essa relação durante a pandemia. A Gruta foi um canal que levou arte, amor e um pouco de alento no confinamento”, ressalta a cantora, que soma quase 30 anos de carreira (12 deles à frente da banda Dib Six e cinco como backing vocal do Jota Quest), além de carregar na bagagem o DVD autoral “Antes de Abrir os Olhos” (2019). 

Chiquita Bacana – Fe Linz e Veronez – Foto Wanira Vampira

Uma das integrantes do coletivo que atualmente gere a Gruta, a artista e produtora Ju Abreu celebra o sucesso da programação presencial, que segue até o fim do ano. “Em 2022, já foram realizados 25 eventos, cumprindo quase metade da programação viabilizada por este projeto. Sem contar outros eventos que aconteceram e seguirão acontecendo de forma independente”, afirma, ressaltando que esta edição da Chiquita Bacana” será especial. “A data coincide com o aniversário do Marcelo Veronez, a DJ Firmina, que também é um dos gestores do espaço. Então, será uma grande comemoração”.  

Segundo Ju Abreu – que também faz parte do coletivo cênico Toda Deseo, cuja sede é a própria Gruta -, o espaço “tem se tornado cada vez mais um abrigo para os artistas independentes da cidade, principalmente da música”. Mas as outras linguagens não ficam de fora: “Para o segundo semestre, estamos pensando em uma curadoria de teatro, para trazer peças solos, performances e experimentos até a Gruta, que é sede de um grupo de teatro”, pontua, lembrando que os espetáculos terão tradução em libras.

De portas abertas

Realizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, a programação de reabertura da Gruta começou em março deste ano, após dois anos de portas fechadas. As atividades dão continuidade ao projeto de fomento do espaço, que viabilizou atividades virtuais ao longo de 2021, possibilitando com que o espaço conseguisse se manter vivo durante a pandemia. “A Gruta é uma prova de que as pessoas podem se reunir em torno do objetivo de manter um espaço cultural de pé”, reflete o cantor e ator Marcelo Veronez, que integra o coletivo que atualmente gere o espaço, na ativa há 20 anos, na Rua Pitangui, no Horto.

Sobre a Gruta

Localizada no coração da Zona Leste da capital mineira, a Gruta é um espaço cultural independente que funciona, desde 2001, como ponto de convergência entre artistas de diferentes linguagens da cidade. O lugar surgiu como local de ensaios de grupos teatrais e, ao longo dos anos, se reconfigurou por diversas vezes, assumindo também o caráter de casa para pequenos shows e espetáculos, e espaço de festas. Autogestionado, se mantém como uma referência fundamental para a promoção da experimentação artística e de um espaço livre e diverso, que acolhe criações e debates que incluem as pautas feminista, LGBTQI+ e antirracista, entre outras.

Foi administrado de forma aguerrida durante muitos anos por Joyce Malta e Admar Fernandes e, atualmente, é gerido por Marcelo Veronez, Wanira Vampira (Wagner Alves), Juliana Abreu e Akner Gustavson (Toda Deseo). Em 2021, a fim de manter o espaço vivo diante das dificuldades impostas pela pandemia, a atual gestão realizou uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo e aprovou um primeiro projeto na Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Com o aporte, foram realizadas atrações virtuais entre os meses de abril e agosto, e entre dezembro e fevereiro deste ano, além do pagamento dos custos fixos do espaço e da reforma do telhado.

Programação de Julho na Gruta

Sábado (23). “Baile da Dri”, com a cantora Adrianna
Sexta-feira (29).  Festa “Chiquita Bacana”, com DJ Fê Linz e DJ Firmina (Marcelo Veronez)
Horários, preços de entrada e compra online no LinkTree da Gruta
Endereço Gruta. Rua Pitangui, 3.613, Horto
Nas redes. Instagram | Facebook | YouTube
Informações para a Imprensa