Saúde

Obesidade – sete pontos cruciais necessários para o combate e prevenção eficaz

A obesidade é considerada pela OMS como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A expectativa é que em 2025, existam mais de 2,3 bilhões de adultos com sobrepeso; e mais de 700 milhões de obesos. Se nada for feito, haverá mais de 75 milhões de crianças com sobrepeso e obesidade.

No Brasil, a situação também é dramática. Alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso. Entre as crianças, essa faixa é de 15%. Dados do IBGE entre 2008/2009, mostram o movimento crescente e assustador da obesidade.

Como profissional de educação física muito antes de médico, especialista em nutrição esportiva e acadêmico de nutrição, tenho verdadeiro apreço pela medicina preventiva; em evitar que um número considerável de doenças devastem o corpo são, como é o caso da obesidade, que abre as portas do organismo saudável para uma série de desordens que vão desde doenças cardiovasculares a vários tipos de câncer. Nesse sentido, tenho que ser categórico na importância do seu estilo de vida, do seu dia a dia, funcionando como gatilho para o desenvolvimento ou não de DOENÇAS.

Em um estudo internacional recente, os dados coletados afirmam que há uma redução de 75% do risco de obesidade entre os filhos de mulheres que mantêm hábitos de vida considerados saudáveis. Há um equívoco comum de achar que tudo é culpa da genética, o que não é bem por aí. Essa premissa ganhou força na década de 1990, com a descoberta do projeto genoma, porém atualmente já caiu por terra. A genética, afundo, é apenas a ponta do iceberg. O que realmente importa é como você se comporta; a maior parte dos problemas vem dos hábitos!

Eu separei sete pontos cruciais necessários para o combate e prevenção eficaz à obesidade. Lembrando sempre, que a obesidade é uma doença multifatorial que exige um suporte interdisciplinar para o êxito do tratamento e controle.

1- Manter uma dieta saudável:
O que você come é crucial na manutenção de sua saúde e prevenção ativa às doenças crônicas não-transmissíveis (o mal do mundo contemporâneo). Hipócrates, o pai da medicina, antes de cristo, já preconizava e defendia a importância da alimentação na prevenção e combate às doenças; definitivamente você é o que você come.

2- Manter o peso sob controle:
Com o passar dos anos, o organismo tende a acumular mais gordura em decorrência de uma queda fisiológica e hormonal natural que ocorre com o processo de envelhecimento. Mais do que manter o peso na balança, você deve fazer uma avaliação física com o profissional de educação física ou médico ou nutricionista para que monitore como anda sua composição corporal;

3- Fazer exercícios físicos DIARIAMENTE:
O exercício físico é um verdadeiro elixir. Ele age diretamente, proporcionando bem estar orgânico, melhorando a função intestinal, hormonal, cardiovascular, imune…

4- Consumir álcool com moderação:
O consumo exagerado de álcool prejudica uma série de funções metabólicas indispensáveis para a manutenção de sua saúde. Segundo a OMS, os limites seguros para a ingesta de bebida alcoólica seria de no máximo 12 latas de cerveja/semana para os homens e 08 latas de cerveja/semana para as mulheres. Cada bebida tem um teor alcoólico específico, fiz o calculo com a bebida mais genérica para exemplificar a questão.

5- Não fumar:
Foi-se o tempo que fumar estava atrelado à saúde né!? As propagandas das décadas passadas foram substituídas por anúncios alarmantes sobre um hábito para lá de nocivo para o corpo humano. Fumar está associado a um número incontável de doenças que devastam a saúde de qualquer pessoa.

6- Controlar o estresse:
Estresse e ansiedade caminham lado a lado em uma sociedade cujo o fator tempo é o grande limitante para adoção de medidas necessárias para uma vida mais saudável. Recorrer a práticas milenares como meditação, yoga, ou simplesmente ter mais contato com a natureza que o circunda pode amenizar o quadro grave de tensão e ansiedade que vivemos inseridos.

7- Dormir adequadamente:
Talvez o maior desafio de todas as dicas. As pessoas vêm dormindo de forma cada vez pior. A ciência vem apontando com cada vez mais alarde de que noites de sono ruins possam justificar o aumento de peso de parte da população que se alimenta mal e ainda dorme pior ainda.

Fiz questão de não abordar questões medicamentosas, pois parte da população ainda insiste em encontrar uma cápsula mágica que seja capaz de substituir hábitos alimentares inapropriados e o sedentarismo avassalador. A grande questão para sua saúde é sua rotina e o seu dia a dia. Espero que tenha possibilitado uma reflexão interna necessária para a mudança. Matricule-se hoje mesmo em uma academia e passe a monitorar diariamente o que você come. Transforme sua vida com a alimentação e o exercício físico!

 

Yuri Brito é médico CRM-MG 76586, especialista em Nutrição Esportiva, profissional de Educação Física CREF MG 017563-G e acadêmico de nutrição
instagram @clinicacorpoperfeito