Cultura

EXPOSIÇÃO TAMBORES DO CÉU TRAZ ESCULTURAS, FOTOGRAFIAS E TEXTOS SOBRE O CONGADO

Nesta quarta-feira, 4, os artistas Cyro José, João Novais e Osório Garcia marcam presença em Tiradentes, com a exposição “Tambores do Céu”, no Museu de Sant’Ana. A mostra conta com 29 esculturas de sucata, além de fotografias e textos sobre o congado presente no centro-oeste mineiro.

Esculturas em sucata serão uma das atrações do evento – Foto: Gustavo Borges / Divulgação

Segundo o artista plástico e ilustrador, Osório Garcia, as esculturas foram criadas há 10 anos, a partir do seu contato com o congado, no distrito de Lapinha, em Lagoa Santa. As obras representam o congo completo com todos os seus personagens. “Eu já conhecia o congado, mas não conhecia os processos. Fiquei muito encantado com aquilo e resolvi fazer algumas esculturas, eu já fazia algumas coisas de sucata, mas nada tão complexo quanto essa coleção que estamos expondo em Tiradentes”, relembra.


A mostra é um trabalho em conjunto e reúne as fotos de Cyro José, os textos de João Novais e as esculturas de Osório Garcia. O nome “Tambores do Céu” faz referência ao livro de mesmo nome do autor e fotógrafo Cyro José. Dessa forma, tanto o livro quanto a exposição se atentam à importância do resgate de memórias, manutenção da cultura afro-brasileira, religiosidade do povo negro brasileiro e do congado.


“É uma pena o congado acontecer nas cidades e a comunidade não participar, não prestigiar essa manifestação cultural que é uma das mais ricas e das mais belas do mundo. Com a exposição a gente pretende sensibilizar as pessoas para que elas conheçam essa tradição que acontece e não tem o prestígio que deveria ter”, acrescenta Osório.


A exposição fica em cartaz até o dia 30 de setembro no Museu de Sant’Ana, Rua Direita, 93, em Tiradentes. O museu funciona na segunda-feira, de 10h às 18h; de quarta a sábado, de 10h às 18h, e nos domingos, de 10h às 16h.

O CONGADO


O Congado nasceu na África, mais especificamente no país do Congo, inspirando-se no Cortejo aos Reis Congos, que era uma expressão de agradecimento do povo aos seus governantes. Durante a colonização portuguesa, vários africanos vieram para o Brasil para serem escravos e trouxeram consigo esta tradição, mesclando com a cultura local.

Basicamente, o congado trata de três temas em seu enredo: a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário e a representação da luta de Carlos Magno.


Em Minas Gerais além da devoção a Nossa Senhora do Rosário e São Benedito. Há também a devoção à Santa Efigênia.

Fonte: http://www.gazetadesaojoaodelrei.com.br