Cultura

COMUNIDADE DE PRADOS TRANSFORMARÁ ESCOLA FECHADA EM CENTRO CULTURAL

image

A mão direita teimava em fazer os traços errados, mas com a ajuda da professora, o mestre de obras Osvaldo Teixeira, 53, conseguiu pela primeira vez escrever seu nome em uma folha de papel. Naquela época, quando tinha 6 anos, ele era um dos alunos da escolinha do Gritador, localizada no povoado de Vitoriano Veloso, mais conhecido como Bichinho, em Prados, no Campo das Vertentes. Hoje, quase cinco décadas depois, será ele um dos responsáveis pela obra de reforma das ruínas onde funcionou o colégio – desativado pela prefeitura da cidade há mais de 20 anos.

A iniciativa, que tem o apoio do Instituto Transformar, está sendo feita por cerca de 50 moradores da comunidade, que, sem o auxílio de verbas públicas, se uniram para fazer vaquinhas e arrecadar o montante de R$ 50 mil pela internet. Para isso, eles usaram a plataforma de financiamento coletivo Kickante. A ideia dos moradores não é reativar a escola, mas sim transformar o espaço no Centro Cultural do Gritador. Até domingo (31), eles já tinham arrecadado mais de R$ 9 mil.

“Queremos criar um acesso na comunidade para programas culturais, que, atualmente, não existem por aqui. Implantar ali uma biblioteca e desenvolver no local da antiga escola um espaço para oficinas e debates”, disse Mariana Martins, 49, uma das pessoas à frente da ação.

Hoje, o imóvel onde funcionava a escola – que também não havia sido construída pelo poder público, mas por um mutirão de moradores na década de 60 – sofre com a degradação. “Não vai ser muito fácil reformar o imóvel. Vai render alguns belos dias de trabalho, mas vamos fazer com muita gratidão. Ali era minha escolinha, e o pouco que eu sei de estudo nessa vida, aprendi nesse local”, disse Osvaldo Teixeira.

De acordo com o mestre de obras, para a reforma, a princípio, ele irá trabalhar com apenas mais um pedreiro. “O que está planejando é isso, mas toda a comunidade está muito empolgada. Aqui, quando falamos da reforma da escola, os olhos de todo mundo até brilham, porque, querendo ou não, parte da nossa história está ali”, acrescentou ele.

Hoje com 70 anos, a aposentada Terezinha Trindade foi a primeira professora do colégio e também é outra moradora que está feliz com a revitalização do prédio da escola. “Nós, uma vez, já tentamos fazer um abaixo-assinado, mas não deu muito certo. Mas, agora, com todo mundo envolvido e juntando forças, acho que ela vai voltar, para a alegria de todos”, afirmou.

Planejamento. Segundo Mariana Martins, a expectativa é que, até o fim deste ano, a restauração do colégio seja concluída. No projeto, estão previstas a recuperação de paredes e telhado, pintura e melhoria na iluminação.

“Nós estamos com essa plataforma de financiamento de R$ 50 mil. É um valor que será usado para essa reforma e, também, para uma futura manutenção. Nossa intenção é começar as obras em setembro”, disse ela.

A Prefeitura de Prados, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, irá contribuir com a manutenção do Centro Cultural do Gritador após a restauração do prédio da antiga escola. De acordo com a secretária de Cultura e Turismo da cidade, Keila Velho, a escola foi fechada devido à falta de alunos e porque a comunidade de Bichinho já frequentava outro colégio.

O projeto

image-136

Com obras previstas para começar em setembro, os objetivos do Espaço Cultural Gritador, que deverá ficar pronto até o fim deste ano, são:

Facilitar o acesso à produção artística na região em local específico para ações culturais.

Criar condições para a realização de programas de recreação ou vivência e rodas livres de expressão.

Promover o resgate da memória e a valorização da história local, com debates, conferências e exposições.

Participe das doações clicando AQUI.

DROGAS

Revitalização de espaço levará mais segurança a vilarejo

Se a empolgação com a retomada do antigo colégio é grande entre os moradores de Bichinho, a sensação também é de alívio e de mais segurança. Isso porque, desde que foi desativada, a escola vem sendo utilizada para uso de drogas e sexo. “Nada disso combina com colégio, com o que foi planejado quando todo mundo se juntou para construir isso aqui. E a gente acredita que, com a revitalização, essas coisas feias não aconteçam mais na escolinha”, contou esperançosa a aposentada Terezinha Trindade, 70.

Opinião semelhante tem Mariana Martins, uma das pessoas à frente do projeto. Para ela, que nem é da cidade, mas possui uma casa no vilarejo, a revitalização do espaço irá inibir a presença de vândalos e criminosos.

“Como atualmente está tudo abandonado e escuro, é um chamariz para quem quer fazer coisa ilegal. Então, além do benefício cultural, que esperamos ser grande, a comunidade também irá ganhar um pouco mais de tranquilidade nesse espaço”, disse Mariana.

O vilarejo. Desde 1938, a comunidade de Vitoriano Veloso pertence ao município de Prados, que fica a 12 km de distância. Entretanto, fica mais perto (7 km) da cidade histórica de Tiradentes, também no Campo das Vertentes.

Com a proximidade, a comunidade, que tem cerca de mil habitantes, chega a duplicar sua população durante os fins de semana, quando a região recebe turistas. (JC)

Informações O Tempo